“Recordar é viver”…#8

Nostalgia na veia! Sim, caros amigos, está se aproximando mais um recordar é viver! A coluna (que na verdade só eu que uso, rs) que traz textos que fizemos algum um tempo atrás e que vale a pena mostrar hoje. Com um grande prazer apresento a 6ª saga da série, “Diversidade do Wrestling” que para mim foi o mais prazeroso e bacana texto que escrevi (bem que não são grandes coisas, rs). Tanto pela complexidade por ter que fazer uma conexão entre os textos anteriores, quanto por falar de dois de meus ídolos.

Dá uma olhada! Lembrando que as letras vermelhas em parênteses são meus comentários atuais.

Este texto foi publicado no “This is Wrestling” no dia sexta-feira, 21 de novembro de 2008.

Salvem Amigos! Motivado pelas mudanças marcantes, que estão “bombando” no mundo do Wrestling, segue mais um pitoresco BRB. Já reparam que o BRB é que nem notícia ruim, não tem data nem hora para chegar. Quando menos se espera, chega o BRB atropelando (é verdade, cuidado que pode aparecer um a qualquer momento)!

Estamos muito perto do final da série “Diversidade do Wrestling” que durante cinco artigos descrevi e exemplifiquei os tipos diferentes de Wrestlers que contém neste mundo que idolatramos. Esta série, que está me dando muito prazer de escrever, mostra um pouco minha visão sobre a magia do Wrestling, um entretenimento fascinante que move milhões de fãs e geradora de várias discussões sadias (continua assim, com cada vez mais gente do Brasil se interessando por isso).

E se juntássemos todas características que falamos nestes cinco artigos em somente um Wrestler, o que ele seria? Senhores, que rufem os tambores, pois falarei dos sujeitos que tem mais intimidade com o ringue do que a foca com a bola. Os caras que não são apenas Wrestlers e sim essência do Wrestling, eu estou falando dos lutadores perfeitos ou simplesmente os craques!

Cada artigo que escrevi diz uma característica marcante que um Wrestler de ponta pode ter. Vocês devem ter concordado algumas vezes, mas discordado muitas, e grande parte disto acontecer, foi à utilização de critérios ou regras que submeti para a confecção destes artigos. O primeiro critério foi falar somente de lutadores na ativa, ou seja, Wrestlers da atualidade. Quis fazer algo eclético, que todas as pessoas por mais idade ou menos idade, que acompanha mais ou menos tempo, pudesse associar rapidamente o lutador com a característica que está sendo relatada.

Outro ponto importante foi não repeti nomes. Nessa, eu pensei no atributo e pensei no nome automaticamente. Sei que muitos lutadores citados por mim, contemplavam mais de uma característica, por exemplo, Triple H. Eu o aloquei no grupo dos líderes, mas podia muito bem ter alocado no grupo dos técnicos, pois possui esta característica também. Em John Cena, quis ressaltar sua raça e paixão ao Wrestling, mas não podia ter o citado também como um exemplo de líder? E Jeff Hardy que além de um grande High-flyer é um Wrestler extremamente apaixonado pelo que faz (Apaixonado mesmo! Não acreditava que iria para TNA lutar wrestling hardcore). Alem disso temos os lutadores que não foram citados em nenhum dos cinco artigos, mas possuem estas características que somadas formam em extraordinários Wrestlers, como: Kane (HeHeHe), Sting, Big Show, AJ Styles, Samoa Joe, Kevin Nash, Booker T, etc…

Ser mencionado como um craque é muito mais complexo do que se imagina. Juntar ou desenvolver as cinco virtudes: brutalidade, liderança, habilidade, raça e técnica, é algo que se leva tempo. Lógico, que até mesmo para um lutador completo, é impossível ter as cinco características na mesma proporção. E isto não é para ser mesmo exato. A graça do negócio está em ver que mesmo dominando os pilares do wrestling, o lutator perfeito pode ter seu próprio estilo (falei bonito, mas é a pura verdade: Randy Macho Man Savage, era perfeito dentro e fora do ringue e tinha um estilo único, o de cara fanfarrão e abalador).

Ser perfeito ou craque, primeiro de tudo é ter dedicação e uma longa carreira. Desta maneira o lutador terá subsídio para desenvolver e inovar. Outro fato é a escolha de sua gimmick. Se for mal escolhida, sempre faltará alguma coisa, mesmo o lutador sendo um “monstro” dentro do ringue (Um grande exemplo é o Evan Bourne). Suas storylines serão sempre deficientes, dificultando assim suas promos e feuds.
Para ajudar a descrever o que é ser craque, citarei dois ícones que agigantam (e agigantaram) o ProWrestling.

1) Undertaker

O “Deadman” em qualquer lista de melhores do mundo ou de craques de todos os tempos é a barbada. Mark Calaway é um símbolo do wrestling mundial. Sua forte e envolvente gimmick, repleto de misticismo e mistério, seu figurino assustador envolvido pela música sombria, esconde um pouco o gênio que Undertaker é dentro do ringue (percebe que com a mesma gimmick, o Taker conseguiu fazer vários personagens?). Para visualizar melhor isto, usarei as cinco características e analisarei se Taker realmente as engloba.

Brutalidade(“Como ser um cavalo”):

Na faculdade onde Regal, JBL e Kozlov se formaram em truculência, Undertaker fez o jardim de infância. Seu tamanho de jogador de basquete e a cara que come criancinha no almoço, ajuda o Coveiro ser muito temido (quando começa o Chokeslan deitado no caixão é terrível!). Sua ferocidade vai desde arremessar Mick Foley a mais de 6 metros de altura, passando por jogar o braço do “irmão” Kane no fogo, até dar um Tombstone piledriver em Vick Guerrero.
Até seu golpe de submissão é violento, tanto que foi “proibido” pela cúpula desportiva da WWE. Este ser é tão bruto, tão bruto que faz até gigantes como The Great Khali e Big Daddy V sair do ringue por medo (continua fazendo. Vocês viram a cara do Kane, quando ele saiu do caixão?).

Liderança (“Manda quem pode, obedece quem tem juízo”):

Em relação à liderança, Undertaker a utiliza sem dizer uma palavra. Basta olhar para ele e ver em seus largos e longos anos de Wrestling, que Undertaker é um verdadeiro líder, sempre é lógico, se mantendo atual e no topo. Os Wrestlers temem o coveiro, mas além de tudo o admiram e esperam conquistar a metade da fama e o sucesso que ele teve e tem.

Durante a sua carreira vitoriosa, The Phenom liderou uma stable épica e sombria: “The Ministry of Darkness”. Esta Stable que fazia lembrar uma seita, tinha como objetivo tomar o poder da WWF das mãos do grupo formado por Vince McMahon, a “The corporation”. Négocio era tão sinistro que até seqüestrar Stone Cold e crucifica-lo no meio do ringue fizeram (clássico!).

Habilidade (“Lutando e voando”):

OK, Taker não tem a habilidade de voador mexicano e nem a impulsão do Kofi Kingston, entretanto amigos estamos falando de um cara que tem 2,11 metros! Mesmo assim, o que Undertaker já faz é de se admirar. Ou vocês acham fácil andar em cima das cordas, como que estivesse passando em uma calçada (Old School).
Um dos pontos altos do Unforgiven de 1998 e da história do Pro-Wrestling , foi em uma Inferno Match contra Kane, onde Taker deu um vôo simplesmente espetacular por cima da corda superior, com o ringue em chamas por debaixo dos seus pés ( e aquele superman que deu no HBK, no WM 25?).

Raça (“No peito e na raça”):

Como disse no artigo “No peito e na raça”, a maior façanha de um lutador é interagir de alguma maneira com o público, para que este o louvem e adorem, fazendo que o Wrestler continue lutando por muito e muito tempo. A maneira mais intensa de fazer isso acontecer é a raça, que nada mais é, do que o amor cego ao seu trabalho. Mark Calaway tem mais de 18 anos de bom wrestling e continua o amando, fazendo de cada show um momento inesquecível (Continua Taker, continua).

Técnica (“Técnicos e Técnicas”):

Taker é um lutador bastante técnico que dá e recebe os golpes com bastante intensidade e segurança, além, é claro, de passar muita credibilidade em suas lutas. Sua forma para um lutador de 43 anos é simplesmente fabulosa (agora 45).

Falando em forma e técnica, vem a minha cabeça, a luta contra Edge no “One Night Stand”. No fim da luta, que era uma “TLC Match”, Undertaker é empurrado de uma escada caindo em cima de quatro mesas que estavam empilhadas. Após o “pin” de Edge, Taker levanta e sai cabisbaixo, triste com a derrota que causaria sua demissão, mas totalmentee inteiro e saudável. A técnica não está relacionada somente dar golpes, mas também recebê-los sem causar dano para si próprio.

Esse cara é o não é, um gênio do Wrestling mundial? (É)

2) Shawn Michaels

Aí que o bicho pega! Agora, irei falar de meu ídolo no Wrestling…(ah Shawn, que falta que faz…)

Michael Shawn Hickenbottom, é uma lenda. Sua carreira é espetacular, que daria um livro BestSeller. Nela temos comédia (DX), drama (sua lesão nas costas), traições (The Rockers, Hulk Hogan), escândalos (The Montrel Screwjob), vingança (Unforggiven 08) e conquistas (muitos e muitos títulos). The Heartbreak Kid é um wrestler completo e todos sabem disso. Mesmo quem não simpatiza com ele, tem que concordar que HBK é um fenômeno (difícil, alguém não ver o valor que o cara tem). Sua gimmick de playboy conquistador, misturado com sua técnica e habilidade no ringue, tornam um Wrestler perfeito. Duvidam? Vamos lá:

Brutalidade:

Quando HBK era mais novo, seu físico era bem diferente do que é hoje. Era mais musculoso, um pouco mais “parrudo”. Se a idade fez Shawn “enfraquecer”, ela não fez a sua fúria no ringue diminuir. Seu finisher , o Sweet Chin Music é prova disso. Se pararem para pensar, este golpe mais parece um coice de cavalo, pois pega o adversário distraído. Todas as traições de HBK começaram com este golpe, inclusive a primeira, quando deu Sweet Chin Music na cara de Marty Jannetty fazendo ser jogado contra a janela da Barbearia de Brutus Beefcake. Outro exemplo da brutalidade de Shawn aconteceu há pouco tempo no Unforggiven, quando deu uma surra histórica em Chris Jericho e no final o agraciou com belas chicotadas usando seu cinto. (Outra: a participação dele no Royal Rumble 2010 foi muito agressiva! Ele estava transtornado! Sua obsessão em lutar contra Undertaker no WM 26 o tornou extremamente brutal no ringue.)

Liderança

Nas storylines ou na vida real, HBK é um líder nato. Professor de muitos lutadores famosos como Lance Cade, The Brian Kendrick, Bryan Danielson, Shawn Michaels marcou sua trajetória ensinando muitos jovem lutadores a se aperfeiçoar no Wrestling. Um dos mais famosos é Triple H, seu amigo inseparável, que deve grande parte de seu sucesso aos ensinamentos de HBK (desde a época do The Klic).

Já dentro do ringue, foi líder de uma das mais importantes stable de todos os tempos, como já disse em meu outro artigo, The Heartbreak Kid era o coração da DX. Sua mic-skill aliada a sua carismática personalidade o tornam exemplo de como um wrestler deve se comportar quando não está lutando em um ringue. Shawn Michaels prova que a verdadeira liderança não é aquela que é imposta e sim adquirida. Quando se aposentar, a WWE não perderá apenas um grande lutador, mas sim um grande mestre (Pausa!E perdeu! Parece que estava adivinhando que Shawn estava para se aposentar)..

Habilidade

Isso nem preciso falar muito. Além de muita habilidade e a soberba agilidade, HBK é um malandro dentro ringue. Ele aproveita todos os subterfúgios para impulsionar sua destreza. Não que seja um oportunista nato que nem o Edge, mas que Shawn Michaels sabe aproveitar todas as chances, ah isso ele sabe!

Além disso, HBK tem seus momentos de voador, principalmente quando usa o seu Diving Elbow Drop, não importando da onde que sai, às vezes de grandes alturas.

Raça

Essa para mim é a razão dele ser um grande ídolo. Seu amor ao wrestler é tão grande que nem mesmo uma contusão seriíssima o fez desitir. Em Janeiro de 98, HBK lutou contra Undertaker num Casket Match. Durante o combate HBK sofreu uma violenta queda de costas contra o caixão. A lesão foi tão grave que HBK não conseguiu se levantar durante dias. A gravidade da lesão obrigou ao fim da carreira como lutador. A batida monstruosa fez aparecer grandes lesões em dois locais da coluna cervical de HBK. Ficou quatro anos em clínicas de recuperação e unidades operatórias. Mesmo com todos pensando que estava acabado, Shawn Michaels voltou!

Hoje, HBK, aos 43 anos ainda comove a todos com sua arte nos ringues.
(Não comove mais. Esperei este momento para falar da despedida de Shawn Michaels. Todos sabem da habilidade, técnica, raça, liderança ou brutalidade que este cara tem, mas sua verdadeira força no wrestling não limita apenas a rotulo ou a momentos. A essência do Pró-wrestling está misturada a carreira de HBK. Em cada sweet chin music dado, se era para o bem ou para o mal, uma nova história Shawn contava. Com o fim de sua carreira, e não vamos discutir se foi precoce ou não, o Wrestling perdeu um filho. E saibam, na minha humilde opinião, foi seu mais ilustre filho, aquele que deu mais orgulho a todos.)

Técnica

Ser eleito oito vezes pela Pro Wrestling Illustrated como melhor luta do ano, já explica tudo. Este ano deve ganhar de novo, ou acham que a luta contra Ric Flair não vale este título? (E foi!!!).

Vale ressaltar que em quase todos artigos, HBK foi lembrado nos comentários pelos nossos leitores.

É amigos, assim termina mais um Boemio’s Ring Bar. Antes de terminar, quero deixar uma pergunta: se eu disse o tempo todo que tem sete artigos e fechei no sexto com os craques, o que será que o sétimo? Hehehe…aguarde e confie, pois nesta estarei totalmente inspirado !!! (este foi o artigo mais polêmico e contou com mais número de comentários).

Agora mostrem que são craques dos comentários e comentem!!! (Faz o que o homem está mandando...)

Abraço!

Boemio

Anúncios

14 comentários em ““Recordar é viver”…#8

  1. Nossa , que texto do car*lho !! Muito bom , e ainda com seus comentários atuais ficou muito bom!!

    Não tinha visto esse texto ainda (não é do tempo que venho aqui no Blog), mas pra quem já viu , com certeza adorou!!

    Realmente Taker e Shawn são os “craques” do Pro-Wrestling, únicos no jeito de ser , de lutar , de apoiar , de TUDO!! Suas Gimmicks são excelentes(eram, por parte de HBK)seus Move – Sets , suas Entrances , suas Themes e o o que mais tiver …

    São caras que tem amor àquilo que fazem. Tanto é que ficaram muito tempo fazendo isso. Taker é o único que ainda está no ramo que estava no primeiro RAW da história (há um tempo atrás, HBK tbm estava relacionado). Passaram pela época de Hogan/André The Giant , pela época de The Rock/SCSA , e tbm pela época de John Cena/John Cena (se é que me entendem), e quem sabe Taker estará numa época de jovens talentos de hoje num Main – Event (isso depende dele mesmo).

    Suas lutas na WM 25 e 26 foram épicas , resultando em uma como a Melhor de 2009 , e possivelmente a desse ano pode novamente reocupar esse posto.

    E hj infelizmente , não podemos mais presenciar HBK nos ringues , o que deixará muitas saudades . E Taker ainda podemos ver por um bom tempo ainda, mesmo se ele não estiver na sua forma ideal , mas com certeza veremos Show por parte.

  2. Velho, seu texto é tão foda, que cheguei de uma festa, vi no blog a essa hora, quis ler, vi que até é grande, li tudo e dá até vontade de comentar hehe. FODA!!

    Sobre os exemplos usados, nada mais justo, tanto que quando li o começo, não sei se é porque já li, ou se é comum pensarmos isso (segunda opção mais provável) eu pensei: deve ser HBK e Taker, só pode… E era, porque uma carreira dessas, com brilho brilho e mais brilho, acho que ninguém mais construirá, penso talvez em AJ Styles na TNA se fizer um sucesso comparavel a WWE, por ele ser um TNA original, um cara completo. E TALVEZ Cena, mas esse com menos chances de chegar no patamar deles (até porque isso será quase impossível pra qualquer um). Porque de resto, acho difícil, pois eles são únicos, completos como mostrado, e que com certeza ficarão marcados como os maiores, apesar de eu achar que o maior MESMO e o Flair, mesmo com falsas aposentadorias, brigas de backstage, mudanças de empresas, etc.

    Belo texto, fico por aqui porque to morrendo de sono. Great Boemio, great! Realmente muito bom como falado ai em cima!

  3. Craques do wrestling, algo que por gerações podemos vir, poderia dizer que sem dúvidas no futuro poderia renascer mais craques, wrestlers que possívelmente marcarão história como os nossos ídolos (como o Taker e o Stone Cold mesmo, entre outros lógico, mas esses dois merecem minha citação por ser meus grandes ídolos).

    Nunca escondi que o meu craque, que será marcado como craque para toda história, é o grandioso Undertaker, que sem dúvidas é uma figura para ser lembrado por todos. Agora vamos as comparações.

    Brutalidade. De fato, a gimmick do Undertaker clama para que haja brutalidade presente nele, pois seria muito estranho um homem assustador, sombrio, e com gimmick de homem morto, não conter um grão de brutalidade. Dentro ou fora do ringue, Taker consegue dominar essa brutalidade.

    O Shawn têm sua brutalidade um pouco mais disfarçada, mas que em certos tempo quando for preciso, ele solta de algo visível, até estranho por não conter o melhor porte físico. E um grande exemplo disso mesmo, foi jogar o Jannetty contra o vidro, segmento que dali, ficou marcada a brutalidade do grande Shawn Michaels.

    Liderança. Nada demais a falar também, mas a gimmick do Undertaker, também clama por liderança, e de fato essa liderança é visível em seu personagem. Sua maior liderança creio que seja no Ringue, pois demonstra ser seguro, e sabe cada peça necessária dentro do grande palco do wrestling.

    A liderança de HBK nada demais a falar mesmo, resta olhar o histórico desse grande wrestler, e ver que já foi figura importante para NWO e DX, algo que o lhe revolucionou. Para destacar essa liderança, só basta lembrar que ele começou como tag, e depois um grande single.

    Habilidade. Como você já citou, para um monstro de mais de 2 metros de altura, suas habilidades no ringue é algo muito, mas muito satisfatória. Não é um grande “voador” como você já falou, mas caso presta atenção, Taker sabe como poucos dominar a técnica do High Flyer tendo um porte físico enorme como o dele.

    Habilidade. Ah, HBK sempre dominou de modo incrível essa característica, e graças a ela, pôde proporcionar combates marcantes, que foram o grande atrativo de sua carreira. Se alguém questiona as habilidades desse mestre, pode-se dizer que é um doente xD.

    Raça. Algo que posso citar apenas nesse parágrafo. Os dois têm o absoluto amor pelo o que faz, com anos de profissionalismo, e se sacrificando pra lutar com mais de 40 anos de idade, e com mais de 20 anos de carreira, isso é exemplo de raça? Sem dúvidas.

    Técnica. Taker foi um grande exemplo de técnica no pro-wrestling, sabe aplicar os golpes com uma perfeição única, ou vocês acham realmente fácil um wrestler de 45 anos aplicando um Suicide Dive? É um move que proporciona muita técnica e locomoção, e Taker o aplica como se fosse fácil, gênio!

    HBK. a técnica que ele contém é indíscutivel, por tanto, acho que eu não tenho mais nada a falar certo?

    Ufa xD. Para por final nisso, os dois são verdadeiro gênios do wrestling, foram figuras que revolucionaram a indústria, e foi algo que marcou nossas gerações. Espero que futuramente tenha algum jovem talento como potencial necessário para substitui-los (Bourne, Swagger..Se liga WWE, seus futuros astros estão na sua frente).

    Ótimo texto Boemio, ótimo texto mesmo, um dos melhores que eu li de sua pessoa, meus parabéns cara :P.

    Abraço.

  4. Mano Que Texto, li e leria de novo apesar do tamanho concordo com absolutamente tudo oq vc falou. Muito bom texto e estou sem palavras.

  5. Escrever sobre Wrestling já bom demais, mas ter este feed-back que vocês me deram, não há coisa melhor. Eu realmente fiquei feliz em ter escrito isso e que bom que ficaram em ler.

    Vamos lá:

    Valeu Rickie! Sempre vejo seus comentários aqui no Blog.
    TAker e HBK mostraram muito talento quando lutaram juntos, infelizmente não poderemos ver mais novas lutas, mas as que fizeram já entraram na nossa mente! Só não sei se Taker irá lutar muito ainda.

    Que isso Thechampcena! Não anda lendo muito, hein? Rs…brincadeira! Obrigado MESMO pelo elogio!

    Grande Gustavão, meu camarada! Valeu pelas palavras! O tamanho do texto é proporcional ao talento dos caras.Rs
    Ficou meio grande, pois precisei citar as características dos cinco textos anteriores. Mas o importante é que não ficou cansativo!
    Lembro que você foi uns que comentaram lá no TIW.

    Que bacana Patrick! Conseguiu enriquecer mais ainda o texto! Esses seus comentarios são realmente muito legais, e nos incentiva em escrever mais e mais.
    Os são gênios, que gostaríamos que não parassem, mas realmente a renovação é importante. Acho que nesse ponto, a WWE tem mais lutadores com perfil de serem “craques” do que a TNA. Se a TNA tam AJ Styles, Samoa Joe, Mr Anderson, a WWE tem Randy Orton, J. Morrison, Swagger, Daniel Bryan, Edge, caras que forem bem trabalhados no futuro podem viram ícones. Uns já estão até mais prontos para isso (Edge, Orton).
    Valeu pelo rico comentário!

    Que isso Raphael_CM_Punk, só sou um cara que ama o wrestling e adora escrever sobre isso!
    Valeu pela força!

    Obrigado Gui The Phenom! Ainda tem um ultimo para vir que fecha o caixão! Espero que leia também!

    Abraço amigos e continuem comentando!

  6. Hehe falar o que…Vc já disse tudo! e muito bem dito!…acho que eu já tinha lido esse na época.

    Pra mim Taker sempre será o número 1! HBK está entre meus preferidos também…e meus olhos marejaram em sua ultima luta. Pra mim a luta mais emocionante que já vi.

  7. Caracoles hein Boêmio! Apelou bonito agora…
    Não demore muito pros próximos textões bonitos, corados, enxutos, bebê Johnson como esse 😀

  8. Vamos comentar minha gente! Deu trabalhão para fazer este texto…rs

    Grande Xandão! Não sabia que gostava do Taker….
    Hehehe…O cara é fantástico…ele e HBK são os mestres dos mestres.

    Hahahha Haruo, você é demais….valeu pelos elogios sinceros.
    Gostei do BeBê Johnson…só não combina muito quando o assunto é luta-livre né? hehehe

    Abraço!

    Ps: REspondendo ao Gustavo! O Flair não entrou na lista, pois já estava aposentado na época. Valeu!

    • Na verdade falei mais por achar ele o maior, enquanto estava citando que HBK e Taker são uns dos maiores, mas pensando bem, acho que Flair também se encaixa em tudo dito ai… Acho que pra ser uma lenda, precisa ser completo MESMO!!

    • huahuahuahuahua
      São as frases de um professor de desenhos geométricos que eu tinha.
      Ele falava pra fazer um “círculo bonito, corado, bebê Johnson e se não gostar de bebê Johnson pode ser bebê York.”
      huahuahuahuhaua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s