Game Analysis #4 – Ahhh! É o Godzilla!

Parabéns para mim, nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida!
Hoje vamos celebrar o aniversário do haruo com um post muito bacana sobre um game que gosto muito.
Com vocês a quarta edição do…

Em 1991 foi lançado no Japão um game de wrestling muito interessante, com um tema de kaijus (monstros gigantes), onde em 1996 o Japão sofreria de uma contaminação nuclear, onde seis seres seriam infectados e se transformariam em monstros gigantes. (é? conta outra, essa é velha…). Eles lutariam entre si para determinar quem seria o…

O jogo:

King of the Monsters foi lançado em 1991, para os arcades, pela SNK (The King of Fighters), e mais tarde ganhou ports para Mega Drive e SNES pela Takara. O jogo conta a história de que a seis monstros estariam lutando para sabem quem seria o melhor e dominar a Terra. O jogador pode escolher entre:

Geon
O Godzilla.
Woo
O King Kong.
Astro Guy
Um Ultraman pobre.
Poison Ghost
Provavelmente baseado em Hedorah, um dos inimigos do Godzilla.
Rocky
O monstro de pedra.
Beetle Mania
Um besouro gigante com um nome…

Nos ports de Mega e SNES, Woo e Poison Ghost estão ausentes.

Pontes explodem?

Os monstros lutam em seis cidades Tokyo, Kyoto, Kobe, Osaka, Okayama e Hiroshima, uma cidade para cada personagem. Os cenários podem destruídos quase por inteiro, podemos destruir uma longa ponte, grandes prédios, enormes antenas, ou simplesmente andar por cima das casinhas. Podemos pegar aviões, tanques, trens, entre outros veículos e arremessar no adversário.

Gráficos:

a
Era uma vez um prédio…

Cada versão tem gráficos diferentes, a melhor sendo a do arcade. Tudo é bem colorido com vários veículos passando pelo cenário, desde barcos a aviões. Há várias construções para serem pisoteadas e destruídas. As grandes construções como estádios, rodas gigantes, arranha-céus, são mais difíceis de serem destruídas, por razões óbvias. Os cenários variam entre dia e noite, sendo a primeira luta de dia e a segunda à noite. O estranho é que quando a luta a noite começa não vimos nenhum sinal da destruição causada antes, os pedreiros japoneses são tão rápidos assim? 😛
Nos cantos do cenário temos campos de força que servem como as cordas de um ringue, podemos fazer o monstro adversário correr para lá e quando ele voltar podemos usar um lariat ou jogar o bichão para trás ou até mesmo levar um encontrão do monstro.

Som:

A música é bem legal e cada monstro tem seu tema. Elas combinam bem para a aparência do monstro, como a do Astro Guy que lembra uma música de herói.

O som também é muito bom, os bichões também têm suas próprias vozes que ilustram bem o seu tipo, temos vários barulhos de destruição, como explosões, casas sendo pisoteadas, entre outros.

Jogabilidade:

Shuwatch

 

A jogabilidade é boa, e é bem fácil de jogar. Os movimentos são: A soca, B chuta, C corre, A+B pula, segurando A temos um movimento de wrestling, e segurando A+B temos o especial. Toda vez que arremessamos o oponente ele deixa uma bolinha com um P, juntado dez bolinhas o monstro muda de cor, fica mais forte e tem um especial mais poderoso. O bicho pode chegar até o nível 3.

Para derrotar o oponente não é só tirar toda sua energia, mas sim pinar o bichão. Quando o seu monstro estiver sendo pinado você deve apertar os botões bem rápido para se livrar do fechamento.

O game pode ser jogado com dois jogadores em Versus ou em modo Cooperativo, onde teria quatro monstros na tela! Mas no Mega Drive não tinha o modo Cooperativo então não tive o prazer de jogar nesse modo…

Dificuldade:

Toma isso baratão!

No começo é tudo bem fácil, mas com o passar de fases o jogo vai ficando bem difícil, chegando nos níveis finais tive que usar pelo menos 3 créditos para derrotar o monstro. Mas se estiver jogando de dois deve ficar tudo mais fácil.

No Mega nunca terminei o jogo por ser um pouco longo, mas com a ajuda dos emuladores finalmente fechei no meu PSP. O final do jogo é legalzinho, não é longo mas é engraçado.

Conclusão:

Sou meio suspeito para falar desse game, pois quando ganhei meu primeiro vídeo game de mesa, um Mega Drive usado (antes tinha um Game Boy Classic), esse jogo foi um dos que vieram junto. Mas apesar disso o game é muito bom e divertido. Ficar pisoteando as casas e destruindo tudo pela frente é a coisa mais legal do jogo, e ainda ganhamos pontos por isso 😛 .

O jogo ainda rendeu uma seqüência em que o tema de wrestling foi embora dando lugar a um beat’n up MUITO difícil.

Vídeo de abertura.

Vídeo de demonstração.

Game Over

– Select Mission

WCW World Championship Wrestling(NES)WWF Wrestlemania (NES)

Smackdown vs RAW 2004 (PS2)

ECW Hardcore Revolution (PS)

Shuwatch
Anúncios

26 comentários em “Game Analysis #4 – Ahhh! É o Godzilla!

  1. Muito legal velho, realmente parecia ser um bom jogo pra época, e se envolve wrestling, fica ainda melhor. E é muito legal você jogar um jogo de luta depois de conheçer e entender de wrestling, porque por exemplo o Def Jam Fight for NY (faça uma análise se possível :P) antes eu só jogava na parede e vencia, agora a graça é ver os vários e vários golpes de wrestling que existem, como chokeslam, suplex de vários tipos, submissions características,pedigree, etc. Isso sim é legal, jogar um jogo depois que “conheçe mais sobre”! Bela análise, boa escolha!!

      • Verdade, deviam lançar versões mais atuais dele (nem sei se tem na verdade :P) porque teríamos rappers mais recentes e personalidades atuais, além da jogabilidade foda!

        • Deviam mesmo , uma atualização é sempre bom de vez em quando … Eu mesmo gostava de lutar com um gordão que tinha lá , e com um novo Move – Set (e eles tem Move – Set??) , seria muito loko !!

        • E assim é o jeito mais fácil de estragar um jogo. o foda é que alguns jogos os caras querem deixar muito real e fazem essa merla, tipo o jogo Fifa Street 2, o um é fake mas foda, o dois chatão. o Def Jam PELO VÍDEO parece ser assim…

        • Agora eu vi, esta sendo produzido pela Konami, mas vai ser um Spin Off, paraece que será só de Karaoke o jogo

  2. Tenho um caso muito parecido com o Gustavo, mas no caso é Urban Reign que tbm tem um monte de golpe de pro wrestling…

    E só pra saber, qual dos 3 vai fazer a review do jogo da WcW pra PS1?Meu primeiro contato com o wrestling quando tinha uns 9 anos 😀

  3. Esse jogo não poderia ser analisado por ninguem menos que o Haruo, só ele tem doutorado em experiência de ataques de monstros gigantes…

    Esse jogo me pareceu muito legal, me lembrou Rampage Universal Tour hehehe!

  4. É isso aí pessoal!
    Muito obrigado pelos comentários e pelos parabéns!

    Gustavito você errou, soma mais 13 anos que você acerta 😛
    E o Def Jam Fight for NY é pra PS2 né? Essa área é do Raposudo.

    Da WCW posso fazer, vou ver se faço do Thunder, foi um dos jogos que vieram no meu PS1. 😀

    Pode até parecer Rampage na destruição mas esse não tem nada a ver com wrestling né?

    Valeu pessoal!
    Semana que vem eu volto (eu acho XD)

  5. Muiiiito legal esse jogo mesmo, e ótima análise…. Eu joguei ele uma’s vezes, mas tinha esquecido o nome e estava procurando novamente…. PIMBA

    E parabéns Haruo San, continua com essa sessão de jogos que acho muito bacana, até porque ESTÁ PARA NASCER alguém capaz de me derrotar em QUALQUER jogo de luta….

    Abraço pequeno gafanhoto…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s