Na Teia do Aranha #26

Salve, salve, galera. Hoje venho aqui tratar de um tema que me foi sugerido (agora não me lembro por quem, mas agradeço a quem seja). Falarei neste pensamento sobre uma das categorias de lutadores mais amadas e injustiçadas dos útimos tempos da luta livre mundial: os high flyers. Lembrem-se de deixarem as suas opiniçoes e sugestões nos comentários, ok?

Abraços e valeu!

Voar, Voar, Subir, Subir…

O pro wrestling é um dos espetáculos de luta mais incríveis do mundo. Nele nós conseguimos ver a valia que possui a habilidade de luta de cada um que adentra o ringue, sem contar o fato de que é extremamente democrático, pois pessoas de todos os tamanhos e idades se enfrentam de igual para igual, sendo fator crítico o quão bom cada lutador é na hora do embate. Pessoalmente, me impressiona ver gigantes lutando contra outros mais baixos e franzinos, tal qual Davi versus Golias. E quem nunca se viu, nesse tipo de luta, torcendo pelo mais baixo, que aparentemente teria tudo para ser masacrado e que, no final, em uma grande reviravolta, vence e leva a torcida ao delírio? E uma luta entre dois desse tipo mais franzino? Uma explosão de golpes e combos acrobáticos que deixam quem assiste a luta de queixo caído, explodindo numa salva de palmas no final.

A emoção dos High-Flyers

Esses são os high-flyers. Personagens que são adorados pelos fãs por sua desenvoltura no ringue e sua capacidade de, literalmente, voar por sobre os adversários, fazendo as mais ousadas técnicas. Exemplos temos desde o passado, como Jack Evans e Jimmy Snuka, passando por alguns mais recentes como Evan Bourne, Billy Kidman, Rey Mysterio, RVD, Jeff Hardy, passando por Austin Aries, El Generico, Bem Satterly, Hayabusa e por aí vai. Todos esses possuem um fato que faz a alma de um “voador”: a vontade de se arriscar nos limites da gravidade sem o menor temor, e isso é muito bom para o universo da luta livre, além de ser maravilhoso de se ver, trazendo a luta que for um atrativo a mais.

Mas o que ocorre na atualidade com os lutadores desse estilo é lamentável. As federações não os conseguem aproveitar mais e quando têm nas mãos a chance de dar valor a esses tão estimados atletas, dão passos para trás e nada resolvem. Ao contrário, resolvem tudo de uma vez, acabando com tudo o que tinha sido construído ao longo dos anos. Por exemplo, a WWE, que possui o Cruiserweight Championship, um dos títulos mais importantes para os lutadores mais leves e acrobáticos, conseguiu aposentar esse cinturao, dando ele a, nada mais, nada menos, do que Hornswoogle. Não, não estou de brincadeira, ele foi o último WWE Cruiserweight Champion. Um cinturão que já teve como donos Jushin Liger, Eddie Guerrero, Chris Jericho e Ultimo Dragon terminou nas mãos de um anão de circo. A TNA tem a X Division, uma sacada muito legal e que traz a opotunidade de dar um destaque a esse tipo de lutador na federação, mas parece que de uns tempos para cá, a coisa ficou tão confusa por aquela divisão, com storylines sem fundamento e lutas que em alguns casos, se parecem com squash matches, que não duvidaria se Ric flair fosse campeão uma hora dessas.

As federações têm a obrigação de deixar que esses lutadores façam o que sabem fazer de melhor, que é se arriscar. Por maiores políticas de censura que possam ter, é triste ver que muitos wrestlers que possuem um arsenal incríel de golpes, não possam se atualizar e repetem os mesmos cinco ou seis movimentos durante todos os combates. Para os fãs, o que resta é partir para as federações independentes, onde o high flyer ainda é visto como uma fonte gigantesca de boas lutas, além de atrair bastante o público que gosta de combates pegados e aguerridos. Deixem eles se atualizarem, deixem eles voarem, para que tudo possa correr de modo que todos os lados possam agradecer no final com um grande sorriso e os gritos de vibração e emoção.

 

Anúncios

7 comentários em “Na Teia do Aranha #26

  1. Eu acho que se a pessoa quer mesmo ver wrestling high-flyier só assistindo indy mesmo, é oque você mais ve em Chikara e CZW por exemplo, e a situação tá tão lamentável mesmo que até na Lucha Libre AAA e CMLL que o wrestling é lembrado só como high flyier mesmo você vê homens bombados no main event e luchadores incríveis Rey Cometa, Aerostar, Mascara Dorada de low e mid-card.

    • CMLL até que ainda tem respeito, mas a AAA virou cover do PW americano , tanto no estilo de lutar quanto na habilidade, roster e aí vai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s