Cinco Rounds #2 – UFC 125 Resolution

Eu sei, eu sei… O blog não é de MMA, e eu invés de postar algo sobre a temática do blog estou mais uma vez me evadindo e trazendo espaço ao MMA. Porém peço que aos que não gostem e tendenciam a ignorar o post, que comece a visar um pouco mais o MMA. Pois apesar de você não ser um apreciador no momento, você gostaria muito que uma pessoa que não gosta de wrestling começasse a ler e se interessar por wrestling, não é mesmo? Então vamos lá e leia um pouco sobre o evento, ou baixe o mesmo se preferir… E para quem já acompanha, confira a análise, com os links para download no final!

Welcome everybody! Primeiro evento do ano, e logo minha primeira análise do ano. Com um card não muito promissor, um evento que tem tudo para ser esquecível, vamos logo ao que rolou no card principal!

https://i1.wp.com/images.orkut.com/orkut/photos/OgAAAJL7eCY-V39Cp9Dws7VPC-7V9bDB27B81OIjL_oBEpxZb4fQojHg7gnoBu-ufcwS9h5x_69gDp67iMWiq5nx4QUAm1T1UA6KMVYIQcPY6aublS7NlK4hRYp6.jpg

Clay Guida vs. Takanori Gomi

Eles começaram dançando, e seguindo os passos desse ballet. Clay Guida venceu o primeiro round graças a três golpes que conseguiu encaixar, sendo eles dois chutes e uma queda. Após a queda a luta ficou amarrada, mas o round já estava terminando… O segundo round começou da mesma forma, porém tendeu a piroar indo pra amarração de solo, Guida foi derrubado, mas conseguiu tirar vantagem e aplicou uma guilhotina, forçando Gomi a dar tap-out, é… Gomi dançou mais do que Guida! Submissão bem encaixada e em um belo momento, merecedora do prêmio de submissão da noite.

– Um combatezinho medíocre pra começar o evento com uma pulga atrás da orelha.

Nate Diaz vs. Dong Hyun Kim

A luta foi extremamente disputada, e bem equilibrada nos dois primeiros rounds, porém alguns podem discordar do seu resultado, mas ele foi justo. Vamos para uma análise mais técnica:

1º round: O combate foi no solo, e Diaz manteve-se por baixo o tempo inteiro. Eu até compreendo, estava tentando buscar por uma submissão, entretanto do que adianta se o seu oponente está socando-lhe a cara e fazendo pontos? 10-9 Hyun.

2º round: Novamente os socos foram meros coadjuvantes. Ambos fizeram um bom combate de solo, sem ser monótono. E aqui vamos nós, novamente! Diaz manteve-se por baixo, dando espaço para Hyun aplicar socos e pontuar. Não há muito o que se questionar. 10-9 Hyun.

3º round: Sabendo da clara situação na luta, Diaz teve que ser mais ofensivo, e isto garantiu a sua vitória. Após a interrupção do combate, quando Diaz aplicou uma joelhada em Hyun que estava de três apoio, o combate ficou extremamente agitado, com clara vantagem de Nate Diaz, porém não o suficiente para empatar a luta. 10-9 Diaz.

Logo a vitória por decisão unânime tem que ser 29-28 para Dong Hyun Kim! Nate Diaz tem que abrir o olho, pois na categoria dele não pode ficar dando uma bobeira dessas…

– Até agora o evento não trouxe nada que mereça ser lembrado, e que daqui a 2 meses ninguém comentará, e estava sendo uma perda de tempo…

Brandon Vera vs Thiago Silva

O começo desse combate foi muito amarrado, e ali já previ que ela iria até o terceiro round. Dito e feito. Porém o combate não merece ser visto como uma perda de tempo completa. Apenas parcial se você deseja dar umas risadas e dizer: “-Agora vai!”. Sim, me refiro ao final do primeiro round onde Thiago provocou Vera, animando as coisas no segundo round, onde teve mais amarração. Até então o brasileiro estava vencendo a luta, logo Vera tinha que vir no terceiro round com tudo, dito e feito! Porém não o suficiente, não custou muito para Thiago Silva se recompor e grudar nas costas de Brandon Vera. Aí sim cheganos na parte legal, Thiago virou uma mochila batedora de tambor, que desfigurou o nariz de Vera, e vencendo o combate por decisão unânime de 30 – 27, 30-27, e um juiz exagerado que deu 30-26 (destaque para esse juiz, ele foi muito importante neste evento)

– Quem não foi dormir esteve perdendo uma bela chance de sonhar que ganhou na mega-sena da virada…

Chris Leben vs. Brian Stann

Sabe do que eu mais gosto em uma luta? Quando eu queimo a língua. E aqui foi mais um caso. Pra mim, seria uma amarração por três rounds, mas pelo contrário: trocação! Eles partiram com tudo, e quem se saiu melhor foi Brian Stann. Stann conseguiu joelhadas, boas sequências de socos, e Leben caiu uma vez, se levantou, e caiu pela segunda, mas não se levantou. Bom nocaute, e merecedor do prêmio de Nocaute da Noite

– Aqui uma bela luta para começar a “salvar” o evento e que merece ser lembrada.

Frankie Edgar (c) vs. Gray Maynard – UFC World Lightweight Championship Match

A premiada como melhor luta da noite! E de fato foi um grande duelo, onde Frankie Edgar tentou provar porque é o campeão da categoria, e Gray Maynard o porque de merecer ser o campeão. O primeiro round Maynard destruiu Edgar, quase encerrando o combate duas vezes, porém Edgar teve um coração incrível e conseguiu aguentar, embora tenha feito uma referência ao Evans quando levou o segundo knock down, e a Lesnar no momento pião da casa própria. Um round 10-8 para Maynard. Deste round até o último a luta foi mais técnica e o objetivo dos lutadores era tentar impor o jogo para assim pontuar o round. No segundo Edgar foi bem sucedido, com direito a um takedown incrível, 10-9 para o campeão. O terceiro foi bem disputado, e os jogos se assemelharam muito, entretanto Gray conseguiu algumas quedas e socos, o que lhe garantiu 10 a 9, embora no final Edgar tenha dado um susto em Maynard com aquela guilhotina. Nos dois últimos por sua vez Edgar foi mais objetivo e procurou mais a luta de solo, e encaixar socos precisos. Vale ressaltar que tiveram momentos em que ambos estiveram cansados, mas não estragou o brilho da luta da noite. O último minuto dos 25 mostrou exatamente como foi o combate, com ambos dispojando o gás final e tentando fazer o ponto decisivo para vencer o cobmate nos pontos. Na minha contagem ficou: 47-47. Na dos juízes ficou: 48-46 para Maynard, 48-46 para Edgar, e 47-47, dando empate.

Análise geral:

Card

Clay Guida vs. Takanori Gomi
Nate Diaz vs. Dong Hyun Kim
Brandon Vera vs Thiago Silva
Chris Leben vs. Brian StannFrankie Edgar (c) vs. Gray Maynard

1ª luta: 5 – eles mais dançaram do que lutaram, mas quando lutaram, não fizeram feio.
2ª luta: 6,5 – teve mais técnica, não ficaram de amarração, porém não foi um primor de combate.
3ª luta: 6 – Mediana e interessante. Porém amarrada em certas partes que duraram… Porém com provocações, bem interessante num aspecto geral.
4ª luta: 7,5 – Apesar de ter sido rápida e não dar para avaliar muito por isto, ela durou praticamente uns 4 minutos, e foi bem legal o combate, com o que, se a mão dele fosse mais pesada, seria um estupro, mas por sua vez foi um nocaute muito contundente e mostrou a boa trocação do Strann…
5ª luta: 8,5 – Surprendeu a todos, Edgar mostrou um cardio fora de série, um duelo bem travado por ambos, recuperação notável por parte de Edgar, assim como uma bela série de ataques no primeiro round por parte de Maynard, e boa condução de combate que poderia ter ganho, se tivesse conseguido implacar o ritmo. Eu gostei mesmo da luta.

Média: 6,75

Premiações:
Submission of the Night: Clay Guida (Guilhotine Choke)
Knockout of the Night: Jeremy Stephens (KO, Punches)
Fight of the Night: Frankie Edgar vs Gray Maynard

Concluindo o que foi o evento, eu diria que para os padrões UFC, foi um evento na média. Diria eu, nota 6,75. Os combates dos últimos pay-per-views que merecem ser lembrados são apenas o co-main event e o main event, e este evento seguiu esta regra. Um main event muito bom, onde houve um duelo de titãs, e o co-main event que superou expectativas. Aliás, está aí a palavra: Superar expectativas. 6 é a nota média para um bom padrão (vide tirar 6 em colégio bom), o 0,75 que eu adiciono na qualidade deste pay-per-view vai justamente pela superação de expectativas. Com este card, eu não esperava que fosse citar muitas coisas boas nesse evento (não contando o card pré-liminar), entretanto as duas lutas principais que pra mim seriam exemplos de lutas amarradas, foram deveras interessantes. Feliz ano novo para todo mundo, e tomara que este tenha sido o pior UFC do ano, no meu mais sincero e esperançoso voto de que os próximos pay-per-views sejam inesquecíveis do começo ao fim!

Valeu, e espero ver novos fãs de MMA!

ps: – Carinha que fez o banner, upa o banner e coloca o link nos comentários, já que a gente nunca fica on no mesmo tempo no msn.

ps²: – Em breve um novo Stand Up sobre a temática Wrestling.

ps³: – Feliz ano novo!

ps4: – Em breve nas melhores lojas!

Anúncios

21 comentários em “Cinco Rounds #2 – UFC 125 Resolution

    • Olha,vale a pena o co-main event e o main event! Mas se você não está acostumado a baixar, baixe porque foi bom, 6,75 é bom. E ok, continuarei! ;D

  1. Bom, eu acompanho UFC a algum tempo, mais o GRTR sempre foi um blog de Wrestling as vezes essa mistura com MMA em alguns blogs ficam um pouco estranha, só minha opinião, mais fora isso, a Review do UFC do blog de pro wrestling foi boa, não assisti o UFC 125 por que Combate mete a faca em meros mortais como eu, mais vou baixar, pelas notas vale a pena ver.

    • Eu entendo, eu também vou tentar fazer o caminho reverso e puxar fãs pro wrestling, ainda conseguirei! Mas também é interessante puxar fãs pro MMA. Até porque vai ter o UFC Rio…

  2. Ótima Análise, Criador! Me ajudou bastante já que (outra vez)não assisti!!

    Bom, só peço para alguém ai, se dá para dizer onde tem Links para o Shows, mas não de Downloads, só pelo YT, DM etc.. Vlw ai!

    • Verdade, pra não gerar estranhesa eu só tenho é que fazer mais textos sobre wrestling hehehehe, porque já tem 2 sobre MMA… E te adicionei, mas eu quase não entro por msn…

  3. Muito bom!! E acho que tem que ter isso mesmo, afinal, MMA e wrestling tem uma certa ligação (Lesnar que o diga) logo, porque não falar/escrever sobre?

    Sobre o evento, não vi e nem pretendo ver, mas fiquei curioso pelo ME, já que é difícil demais dar empate no UFC, ainda mais em lutas de título.

    Num geral bem legal, mostra bem o evento e tal, booa!

  4. Achei sua analise razoável. Mas para a proposta é aceitável afinal aqui é um blog de pro-wrestler.

    Mas sério fiquei com pena do Pettis ao fim da luta do cinturão dos leves. O cara vai t q esperar a segunda revache.

    • Valeu, a análise tende a ficar mediana tendo em vista que eu a estou publicando para um “novo público”, onde não convém citar termos técnicos, dizer histórico dos lutadores, nem coisas do gênero, apenas o que se passou.

      Sobre o Pettis… Ah cara, eu não sei o que comentar… Eu fiquei muito dividido, eu acho que o mais certo a se fazer era colocar a luta pela unificação dos títulos (se essa empatasse, pqp…), e depois dava a Title Shot certa pro Gray Maynard…

  5. isso deveria ser feito por alguém que admira mma, não alguém por uma pessoa que aparantemente deixa o wrestling em primeiro lugar (nada contra, eu também adoro wwe e tna,senão não estaria aqui). nada contra sua análise, até foi legal, mas as notas foram ridiculas! nota 6,5 pro evento ? cara o ufc 125 foi foda, procura a saber um pouco mais sobre artes marciais antes de dizer que os caras ‘dançaram’. a minha critica tem o objetivo de ser construtiva, caso não tenha considerado assim,desculpas ;~

    • Comentário muito pertinente. Vejamos, eu admiro wrestling e MMA na mesma proporção, cada um me prende por um motivo. O Wrestling pela magia e entretenimento, o MMA pela imprevisibilidade e jogo de técnica…

      Sobre as notas, cara, o 6,75 é pra nivelar a coisa. Imagine só, tivemos já Prides (vide GP 2005), tivemos K-1s, tivemos TANTOS EVENTOS fodões. O UFC 125 foi bom sim, 6,75 significa ACIMA DA MÉDIA. Se eu digo que o evento foi ACIMA DA MÉDIA, ninguém reclaria disto, mas na hroa que eu dou nome aos bois, parece que eu disse que o evento foi ruim :s Entendeu? po, ano passado teve o UFC 117, 115, entre outros que foram muito bons, colocar o 125 no mesmo patamar é complicado, até porque as 3 primeiras lutas deixaram a desejar…

      Sobre os caras dançarem em cima do ringue, eu sei que é um jogo de estratégia, ambos procurando o domínio do octógono, Guida foi mais eficaz neste quesito, porém para quem quer ver PORRADA, é algo bem frustrante. Vide Anderson Silva vs. Demian Maia (onde a expressão DANÇANDO NO RINGUE ficou mais forte). Mas sim, vou considerar as críticas, e quem sabe na próxima análise (UFC 126) eu traga um produto mehlor para vocês, com mais técnica e etc, pois vocês merecem.

      Valeu pelo comentário, todo comentário é construtivo, inclusive os que visam ser destrutivos, pois aprendemos um pouco de cada pessoa! (e não foi o seu caso, o seu é construtivo)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s