Farofa do Raposa – “Je suis le meilleur combattant” – What?! Parte 2

Estou de volta com a segunda parte dos lutadores  que sempre vão escutar um coro dizendo “USA” quando falarem qualquer palavra com sotaque de sua pátria…

Sim, a lista dos lutadores estrangeiros na WWE continua, dessa vez mais variada, pois temos os europeus, e igualmente tratados com clichês que só o bom e velho povo xenofóbico dos EUA pode proporcionar…

Se você achou que as sátiras dos Simpsons era o pior do que pode vir de lá, leia o resto dessa coluna pra saber…

Europa

Ah sim, o velho continente, tão bem representado nos ringues estadunidenses, tinha tal importância que até um titulo europeu foi criado na WWF, o qual ficou mais nas mãos dos norte americanos do que dos próprios europeus, até o unificador inveterado RVD unifica-lo ao intercontinental… Temos grandes lutadores europeus que estão na historia da luta livre mundial, mas na WWE sempre foram retratados como nacionalista arrogantes, com um certo ar esnobe de etiqueta e para seus colonizadores os ingleses, um certo ar “tudo se faz melhor do outro lado do oceano”.

Dave Taylor


Nem todos os lutadores da inglaterra eram bons, mas Dave teve sua história, participou da WCW como o típico lutador arrogante inglês e fez dupla com Willian Regal, formando a nobre tag team “Blue Blood” antes que se pergunte, não me refiro a Sangue Azul, torcida desorganizada do meu time de futebol Rio Claro FC, mas sim a denominação que se da a quem pertence a nobreza de “ter o sangue azul”.

E era assim, a dupla arrogante que de tão se achar os donos do mundo nunca passou de fantasia e teve algum destaque, talvez o ponto alto da dupla foi participar de um dos melhores combates de todos os tempos… Onde podemos ver a vasta gama de golpes de Dave que se resumem a “europe upercut” e “drap”.

Bem, Dave fundou uma academia com esse nome junto com Finlay, que faliu mas rendeu bons frutos como o lunático que acredita viver na mesma cidade que o Superman trabalha, Chris Hero… Puts Taylor, nem pra formar alunos você deixa de cometer gafes?

Se abrir uma casa de chá vai servir o que? café?

Ludvig Borga


Já que falamos da europa, não podemos esquecer da “terra do norte” onde teve guerreiros cultuados até hoje…os vikings, e claro que tínhamos que ter um representante legítimo da Finlândia… Sim, Borga o vinking civilizado  do século XX.

E depois você achava um absurdo ter um lutador voodoo nos ringues, Ludvig já foi apelidado até mesmo de Thor, pois é, mas diferente do deus do trovão, a carreira do finlandês aqui foi bem curta e pouco expressiva…

Bom, pelo menos o máximo que um ambientalista consegue sobreviver criticando a sociedade norte americana, sinceramente só Lisa Simpsons consegue isso sem precisar ser uma montanha de músculo e ainda durar por mais de 20 anos…

CHUPA ESSA SEU VIKING DE ARAQUE! PERDEU PRA UMA GAROTINHA AMARELA DE 8 ANOS!!!

Pra simbolizar que ele não era um bárbaro como sugeria seu visual e alcunha, sua musica de entrada não era batidas de tambores ou gritos de guerra que poderiam dar alguma moral pra Ludvig que seu figurino já não tenha lhe tirado, mas era o hino de seu país… E após perceber que não podia usar o Mjolnir ele se aposentou e virou um politico ativista..

Pera ae, os políticos que governam a Finlândia em pleno século 21 são bárbaros? De repente questionar a alfabetização do Tiririca não parece grande coisa…

Roddy Piper


Tudo bem, nosso amigo boca suja é canadense, mas sua personagem não… Ela um legítimo escocês que pra entorna isso entrava tocando gaita e com sua inseparável kilt!

Ele incorporou tão bem o espírito da terra dos homens de saia que ganhou o apelido de “Rowdy”, simbolizando sua raiva escocesa…A carreira lendária de Piper todos conhecem, mas o que interessa é que ele foi tão bem nesse papel que ganhou um tributo de uma legítima dupla da Escócia que falarei a seguir…

Fit Finlay


Ah sim, uma lista de lutadores europeus não estaria completa sem Finlay…

O legítimo irlandês do norte (que não pertencia ao IRA), tem simplesmente a alcunha de “o  o homem que adora lutar”, com um apelido desses não é preciso dizer mais nada…

Esqueça tudo o que você pensa saber de Finlay se começou o acompanha-lo em 2008 quando entrava com seu “filho” Hornswoogle, digamos que seus melhores momentos foram antes, desde um heel de respeito na WCW, a um lutador perigoso na Smackdown, muitos podem dizer que Fit não teve grande expressões, mas lembre-se que ele participou de diversas lutas importantes como contra o Booker T valendo o WHC, várias MITB e Elimination Chamber…

E hoje assume um cargo que teve no inicio de carreira na WWE, o de treinador e agora agente… Um cargo importante assim só pode ser dado a um homem de respeito como Finlay.

Em uma das pérolas de Serdan, ele diz que o cetro de  Finlay lutava mais do que ele, vai ver porque Michel nunca tenha entendido de historia da luta livre mundial direito…

Os Highlanders


Agora sim, legítimos escoceses, a dupla não podia ter um nome mais clichê do que esse… Ainda bem que eles perdiam tanto que ninguém precisou tentar decapita-los pra saber se eram imortais...

Depois de uma analogia tosca como essa em referência ao filme de Christopher Lambert, falar da dupla é fácil, estrearam com promos divertidas onde como dois escoceses se viravam na “cidade grande”.

Pera ae, os EUA realmente acham que a população no reino unido vive em feudos e são camponeses ainda? E depois você  fica chorando como putinha desorientada quando nos retratam na selva… Nem um país de primeiro mundo não foge de piadas pastelões e clichês naquela sociedade xenófoba.

E também nunca ganharam nenhum titulo, participaram só de um PPV e acho que a coisa mais expressiva que a dupla carismática fez foi a homenagem a Piper que citei acima…

Acho que a maior expressão escocesa na WWE foi a promo de Triple H e John Morrison vestido de Willian Wallace…

E agradecemos aos céus por eles usarem alguma coisa embaixo do kilt, diferente de seus compatriotas…

John Nord


Se o finlandês anterior era um vinkig culto preocupado com o meio ambiente que frequentava as reuniões druidas do Panoramix e tomava a poção mágica, John Nord é bem o contrario…

Vindo das terras frias e selvagens da Islândia, do povo descendente diretos dos nórdicos, onde as mulheres são peludas, os homens mais peludos ainda e as criança pequenos tufos de pelos…

John Nord se trajava como um legítimo nórdico, e assumia a alcunha de “Berzeker”, pra você que não joga RPG, o nome simboliza o “bárbaro furioso”, porque nem todo bárbaros são furiosos, uns são cordiais dotados de discursos ativista como Ludvig…

Este guerreiro que em pleno século XX  achava estar vivendo no passado onde podia tomar hidromel, matar dragões e violentar mulheres, onde seu instinto selvagem só precisava usar seus dois únicos neurônios pra funcionar foi eficiente, pois conseguiu vencer uma Battle Royal de 30 homens e nos proporcionar um dos momentos mais imbecis da história da WWF, onde só um vinking sem miolos poderia fazer…

Tentar cortar Undertaker com sua espada cenográfica…

Pois é, depois vocês achavam que o pedaço de pau cheio de pregos do Abyss era um absurdo…

Rene Dupree


Agora sim, o país que mais é alvo de piadas nos EUA, a França, teve seu representante vindo da”cidade luz” da terra de  um dos machos incontestáveis do cinema como Jean Reno…

Rene fez sua estreia com Sylvain Greiner formando a tag “La Resistence” cujo o tema eu considero como um dos melhores se tratando de musicas em orquestra da WWE.

Eles eram como todo estereótipo de francês tinha que ser, arrogantes, com sotaque carregado, enfatizando a França com a clássica entrada com a bandeira de seu país…

Mas Rene não tinha muito bom senso, ele entrava com uma poodle chamada Fifi, e vamos ser sinceros… Um homem desse tamanho entrando com um cachorrinho de madame mesmo que seja pra simbolizar seu país é tão ridículo quanto se Kafu entra-se com um macaco nos ombros… Tudo pra simbolizar que franceses são afeminados para terra do Tio Sam…

Rene criou um talk show apenas realizado uma única vez, onde fez chacotas em Torri Wilson, o “Café de René”…

Se permanece-se provavelmente serviriam sushi de escargo pra simbolizar a união de Dupree com Kenzo onde os dois ganharam o cinturão de duplas uma vez…

Willian Regal


Ah sim…Lord Willian Regal, o cara que já fez uma tag “nobre”, que já foi GM da Raw, King of Ring e o detentor do European Championship de maior duração…

Muitos podem eleger British Bulldog como o melhor lutador inglês a atuar na WWE, eu consagro Willian Regal, com sua theme imponente, sua expressão perfeita de heel, sua postura arrogante no ringue, e sua incrível técnica, o cara é simplesmente um dos melhores representante da terra da velha rainha…

Willian conquistou muitos títulos em sua carreira, teve muitas feuds que não compensa citar aqui, mas suas técnicas não se resumem só a socos ingleses, ele possui uma vasta gama de slams complicados, algo que deve fazer inveja a lutadores mais pesados que só sabem realizar uma ou duas variações…

Nosso amigo bebedor de chá aqui é um brilhante heel, desde sua expressão facial a sua personalidade arrogante e atitudes, como obrigar as divas a cantar o hino de seu país quando era GM.

Espero que Wade Barret consiga continuar o legado de Regal, do inglês arrogante e patriota, e menos humilhado (porque Regal tem manchas em seu currículo também)…

Eu ia citar British Bulldog, mas já temos inúmeros textos tributos na blogosfera pra ele, e achei desnecessário…

Nunzio


O sangue ardente de italiano, Nuzio foi o cabeça de uma das stables mais divertidas formada por “estrangeiros”.

Digamos que Nuzio como lutador solo nunca foi um destaque, mas sempre foi muito carismático (como Santino Marella, mas esse não é italiano de verdade).

Sua stable FBI (não é o que você ta pensando) Full Blooded Italians passou por diversas federações e formações com vários lutadores que não eram necessariamente italianos, mas encarnavam como uns e entravam agitando as mãos como se pergunta-se “onde esta minha pizza?”.

Sabe como é, todo italiano é festivo e divertido… Ou é o que retratam por ai…

Mas a stable  obteve relativamente sucesso quando se resumiu a tag com Nunzio e Vito, então tivemos vários combates da dupla, várias promos carismática e Nunzio como um vilão adorado (assim como era Santino em sua época de “heel”).

Porque trocariam Nunzio por Santino as resposta são meio obvias, Nuzio é muito menor e tem um porte físico mais esbelto que Santino, este que faz melhor os padrões da WWE, fora que só Marella aceitaria pagar tantos micos que lhe foram dados…

Barão Scicluna Mikel


Vocês nem sabem que existe um país chamado Malta, mas ele já teve um lutador na WWWF, mais um aristocrata da nobreza europeia o Barão Scicluna Mikel…Que em plena década de 60 já mostra que os ricos também podem ser casca grossa e peitava caras como Gorilla Monsoon e Muhammad Ali.

Ele foi trazido a federação para ser desafiantes de grandes nomes na época como Bruno Sammartino e Pedro Morales, entrava com sua capa azul simbolizando sua nobreza.

Mikel é um exemplo de como os wrestlers antigamente ganhavam mal e sofriam com a luta livre, terminou a vida esquecido pelos fãs como um motorista em NY, só em 96 foi induzido ao Hall of Fame.

Paul Burchill


Paul era um pirata inglês…

Isso mesmo, nada de caribenho em século XVII, Burchil era um pirata moderno, que entrava no ringue balanceado por uma corda alá Simbá…

O pirata inglês fazia um certo sucesso, mas Regal sempre tentava dar uma dose de realidade a seu amigo e mudar sua personagem, ou seria um jobber como o Pirata da BWF…

Mas o cara era fã do Barba Negra fazer o que… Até imitava Jack Sparrow nos bastidores…

Mas não adiantou, Vince não conhecia o sucesso que estava fazendo o filme Piratas do Caribe na época e forçou Burchil mudar esse personagem… O que é pior? ter um personagem de carnaval ou incestuoso?

Ivan Putski


O polonês com incrivel físico, Ivan chegou a participar do mesmo concurso que Henry ganhou, de o “homem mais forte do mundo”.

Pelo seu físico avantajado, Putski recebeu o apelido de “Hammer polonês”, agora fiquem imaginando como deve doer uma porrada de um cara com esse apelido…

Ivan rivalizou com grandes nomes na época da WWWF como Iron Sheik, Jessy Ventura e principalmente pelo título principal da federação “Superstar” Billy Graham.

Ganhou o titulo de duplas com Tito Santana e seu personagem forte lhe rendeu a alcunha de “poder polonês”.

Aposto que a Polônia gostaria de te-lo usado contra os nazista na guerra, mas enquanto Ivan não fez nenhum alemão se borrar, ele foi induzido ao Hall of Fame em 95.

Nikolai Volkoff


Mas a WWE não seria a mesma se não tive-se o soviético inimigo em plena terra da liberdade, que canta o hino da União Soviética, blanda sua bandeira e saúda Mikhail Gorbachev em suas promos.

Sim, era isso que Nikolai fazia na WWF em plena década de 80, tudo para irritar o máximo que poderia, o publico norte americano em plena guerra fria…

Como se não basta-se, fazia dupla com Iron Sheik e cantava o hino da União Soviética em toda luta. Se não basta-se já ser odiado por natureza por ser comunista, Nikolai formou dupla com Boris Zukoff (esse que era ridicularizado por Vince pelo tamanho de sua cabeça),

Os Bolcheviques, onde faziam promos enaltecendo o espirito soviético, como a Mãe Rússia era soberba e seu presidente o maior de todos, que venciam por ele…pelos ursos…pelo gelo…pelo Zangief… pelo poder comunista…

Enfim, qualquer coisa que um estrangeiro precisa dizer pra fazer os estadunidense soltar espuma da boca e abraçar mais forte seu ursinho de pelúcia antes de dormir pra suportar suas frustrações…

Aldo Montoya


Ta, pera ae… Olhem bem pra foto acima…

Foi essa coisa que a WWE pensou em usar pra representar Portugal? Me desculpe aos portugueses que acessam o blog mas, eu não me sentiria nem um pouco homenageado por esse aborto… Pelo contrário…

Aldo Montoya era jobber do programa que só tinha jobbers… Ou seja, ele era jobber dos jobber no Superstar da  WWF, não sei se ele chegou a participar da Raw alguma vez mas, se ele já perdia no programa da segunda divisão, tenho medo de pensar o que fariam com ele na Raw…

Lembro uma vez que Aldo estava quase vencendo uma luta contra não me lembro quem, quando saiu pra comemorar precipitadamente e apanhou perdendo de novo… Alias, o grande feito de Montoya era ser alvo de chacotas, pois ficou marcado na mente de todos que assistiram WWF na Machete como o cara que só sabia perder…

E ele tinha cataventos de faísca quando entrava…Não preciso dizer mais nada…

Bom, a coluna acabou ficando grande demais, então em vez de duas partes teremos três, a terceira com os lutadores da Ásia e Oriente Médio… Não falarei de Drew e Sheamus por motivos óbvios, todos vocês já estão vendo a trajetória da carreira deles assim como seus personagens… Sei que não da pra lembrar de todos, mas comentei o que achei os mais relevantes, então me diga vocês o que acharam e se faltou alguns…

Podemos observar que quase todo europeu citado nessa coluna foi tratado como o estrangeiro ardiloso, isso só reflete o como o povo dos EUA não discrimina só o povo do terceiro mundo, e se compararmos ao Brasil que tinha grandes ídolos como Mister Argentina e Tigre Paraguaio e nenhum preconceito por serem de outro país, pelo contrário, faz poder dizer sem nenhum exagero ou clichê de que realmente o estadunidense são xenofóbicos…

Apesar de hoje em dia termos muito lutadores de fora como Kofi, Alberto, Mcintyre e Sheamus e quase não escutarmos o coro “USA”, não acho que as coisas estão melhor pra esse povo que vive lá…Mas se vermos a TNA onde ai sim, temos esse espírito preconceituoso ainda mais exacerbado…

E o que vocês acham? gostam de como retrataram essa turma? odeia alguns deles? ama? Quer se mudar pra Europa e visitar Malta?

Link para Parte 1

Anúncios

11 comentários em “Farofa do Raposa – “Je suis le meilleur combattant” – What?! Parte 2

  1. o que materia grande e legaal veey ! varios lutadores bem verdade eu nao conhecia mais conhecia muitos , teim o link ae da primeira parte ja que essa é a 2 ?

  2. Excelente farofa! Uma vez comentei com o Corbari que faltava um post sobre wrestlers europeus, mas este cobre o atraso.

    Eu acho que faltou o Heidenreich (Alemanha) e o Andre The Giant (França), mesmo que suas gimmicks não fossem de patriotas.

    []s

      • gfjkd
        eu adoro farofa a melhor que ja provei foi a de tatu, é tatu bicho, muito bom a carne tem um gosto pareceido com a de boi, mais é maismacia, tem um aroma diferente, um sabor unico, meu sonho seria comer esta iguaria novamente. Todos os chefes de cozinha iriam aprovar.

  3. Hehehe, boa seleção.
    Esse Ivan Putsky é de assustar hein. Cara de caos.
    Aldo Montoya, pqp, que ser grotesco.

    Sempre que vejo essa dupla ai, os Highlanders, lembro da clássica “…Here we are, born to be kingsss, We’re the princes of the universe”. Bons tempos, heehehehhe.

    E eu sou um que acho British Bulldog o melhor europeu a pisar em um ringue da WWE. Pode até não ser o melhor, mas o que mais gostei de ver lutar…
    Abs.

  4. Me amarro nesse tipo de coletânea. E essa de alguns lutadores “europeus” me fez ter lembranças bizarras de shows antigos da WWF, especialmente com Rene Dupree e Aldo Montoya, o “wannabe Rager Amarelo português”

    Muito bom, parabéns.

  5. gfjkd
    eu adoro farofa a melhor que ja provei foi a de tatu, é tatu bicho, muito bom a carne tem um gosto pareceido com a de boi, mais é maismacia, tem um aroma diferente, um sabor unico, meu sonho seria comer esta iguaria novamente. Todos os chefes de cozinha iriam aprovar.
    fantastico, fantastico, fantastico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s