Na Teia do Aranha #30

Sim, pessoas! Estamos chegando a 30ª edição deste espaço. Muito obrigado aos que nos acompanham até aqui e espero que continuem acompanhando. Desta vez, com um apanhado sobre conversas que tenho com vários fãs de wrestling pelos MSNs da vida e que me levou a este pensamento. Leiam, reflitam e debatam dignamente. Sugestões de outros textos, deixem junto aos seus comentários, ok?

Abraços e valeu!

Reclamar é Preciso

 

A situação no mercado de lutadores do pro wrestling anda bem movimentada nos últimos anos, com lutadores querendo mais visibilidade, outros querendo mais emoção e outros querendo ser mais livres para lutar com o que tem de melhor. Eles vão se encaixando nas empresas que se identificam mais ou nas que acham chances para ficar, já que nem tudo são flores e muitos são demitidos por não se encaixar ao padrão ou não ter mais uso pelas federações. E mesmo quando se consegue arrumar o plantel e caminham com suas histórias e programas, os fãs continuam a reclamar, sempre dizendo que falta alguma coisa. E quais são as maiores cismas do público?

A primeira que falam são as próprias histórias e rivalidades que se colocam. Algumas começam muito bem, se desenvolvem de forma interessante e, quando fazem o desfecho, é como se os bookers estivessem numa noite de surto e destroem tudo que foi construído durante semanas. Outras vem de uma idéia interessante e os próprios lutadores a transformam em algo desnaturado e algumas são sem sentido desde o seu começo até o final. Pior são as que são interrompidas pelos próprios bookers, pois nem eles agüentam mais ver tamanha perda de tempo que se faz em cima do ringue.

Outro problema igualmente citado é sobre a falta de títulos. Alguns entendem que não há mais a necessidade de se ter tantos cinturões assim em disputa, pois são outros tempos e se os wrestlers são bons o suficiente, conseguirão manter as suas rivalidades de modo que não será necessário ter um título em jogo. Porém, uma boa parte reclama que os cortes e aposentadorias dois cinturões foram exageradas e muitos lutadores ficam deslocados nas suas federações e jogados aos low e lower-midcards da vida.

Um que também cai na boca do povo é sobre a qualidade dos lutadores. Por menor que a federação seja, a internet tornou de deixar essas empresas mais próximas do público fã de pro wrestling. Com isso, fatores que eram vistos como vitais para que uma pessoa se tornasse lutadora, como a própria habilidade de luta ainda são importantes, mas vão perdendo espaço para lutadores que possuem uma melhor desenvoltura na atuação ou no resultado financeiro que aquela pessoa traz para a empresa, mesmo que o conhecimento técnico da pessoa seja fraco. Não basta ser bom de luta, tem que ser um produto rentável.

Outro ponto que falam é sobre a falta de carisma dos personagens. O pro wrestling que se via até o início dos anos 2000 era pleno de criatividade, com personagens que fizeram história e outros que são a vergonha da luta livre em todo mundo (Shoooockmasteeeeer) , mas o que se vê nos últimos anos são lutadores que surgem sem uma identidade, algo que os faça se aproximar do público. E se colocasse aqui sobre as reclamações sobre os gimmicks que são estúpidos e outras palavras carinhosas mais, não teria espaço no texto.

Qual o caminho ideal para que os fãs possam se sentir satisfeitos? Será que haverá um dia em que não faltará mais nada e a existirá a federação perfeita? Até quando se verá a raiva dos fãs com esses pontos que faltam. E, principalmente, quais as opiniões mais construtivas para ajudar a luta-livre a crescer diante dos problemas e aprender com eles?

Anúncios

12 comentários em “Na Teia do Aranha #30

  1. Aranha,

    só sei de uma coisa, a WWE no meu tempo era muito mais divertida…tinham personagens, bons lutadores e grandes rivalidades.

    Cara, to gostando das fotos finais hein???

    • Fotos finais são sempre pensando no público, hahaha.

      E a WWE varia muito de acordo com o pensamento do público mesmo. Até as reclamações mudam bruscamente com o decorrer dos tempos.

      • Verdade, lembro que reclamavam demais de não termos stables… Após Nexus, Corre e Legacy, alguns até reclamam que tem muitas stables KKKKKKKK Se não reclamar, não melhora, esse é o intuito de reclamar 😛

  2. É isto, o povo ama reclamar. Reclamar é preciso? Até é, mas a galera exagera? DEMAIS! Não acho que a situação esteja tão ruim e alarmante como falam por aí, mas sei que não é um mar de flores…

    Agora, é claro que o passado sempre será perfeito e o presente sempre será ruim, pois temos a tendencia a lembrar das coisas boas, e nunca das ruins. E quando citamos as atuais, sempre citamos as ruins e nunca as boas… Daqui a alguns anos vão citar com carinho a época em que Santino lutou vestido de mulher… Enquanto em 2009 todos acharam uma puta palhaçada.

    É o ciclo da vida, rsrsrs

    Abs!

    • Sim, Criador, tem horas que o pessoal reclama demais. Só botarem a mão na consciência que conseguirão criar uma linha de pensamento coesa. Simples assim.

  3. Belo texto!

    É aquilo, na WWE obviamente o que mais conta é saber falar e vender bem. E não achemos que isso para na WWE não. Claro, em federações menores, isso é bem menos importante, mas lembremos de algo: A TNA tá indo pro MESMO caminho da WWE. Ou por caso vocês acham que RVD estar com o title até pouco tempo, e atualmente estar o Hardy, é por mérito deles no ringue? NÃO… Obviamente é pela fama e pelo dinheiro que podem gerar sendo a face principal da empresa.

    E tem aquilo que o meu rookie falou, a WWE até tenta criar novos caras e tal, mas mesmo assim estamos BEM carentes de lendas… Se pensarmos em quem a WWE quer deixar como lenda no futuro, os nomes que me vêm são Orton, Cena e Edge (que já pode ser considerado lenda). E esses caras, SE chegarem a esse status, serão muito mais lembrados por serem super-homens que não mandam TÃO bem no ringue (principalmente o Randy “the big ego” Orton) e não por serem fodões nele (casos de Taker e HBK por exemplo).

    Bom texto, nos faz pensar sobre muitas coisas!

    • É, a criação de personagens sempre é e sempre será um problema. Não é à toa que vários lutadores já passaram por vários tipos de “personalidade” e um somente que emplaca.

  4. Acho assim, só reclama quem gosta. Se o pessoal reclama, é pra chegar ao ponto que eles esperam…. Tá certo que tem uns maletão ai que reclamam por acharem que é seu papel, mas a reclamação geral sempre vem no intuito de melhorar a parada…

    Grande texto João…

    • Sim, por isso o título do texto: ‘Reclamar é preciso”. Porque tb com as pessoas fazendo esse feedback, a empresa tem certeza de que está sendo acompanhada e aumenta a responsabilidade de fazer algo melhor.

      O problema é quando as pessoas querem estufar o peito, dizendo que são as mais sábias do mundo e, na verdade, não sabem de nada ou na verdade, são um moleque espinhento punheteiro que não tem o que fazer e vai apurrinhar o hobby dos outros.

  5. Concordo, se o Shockmaster não tive-se trupicado… Quem ia levar a sério um cara com capacete de lantejoula?

    huahauhau!

    Muito bom o texto, sempre objetivo, não precisamos gastar um tempão lendo e interpretando… Diferente dos meus que são compridos e entediantes XD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s