Podcast Ready To Rumble #35 – Dissecando o TNA Victory Road (2.0)

Round one! Fight! No espirito de Street Fight, chega a 35ª edição do podcast. Desta vez com a apresentação de Ricardo “Mr. Bison” Silveira, na presença de Jack “The Guile”, como convidado João “Blanka” Modesti e nosso leitor Murilo “Vega”, para preencher as duas últimas vagas, João “Ken” Aranha, e Gustavo “Ryu”.  Se na semana passada falamos de WrestleMania, nesta edição iremos dissecar tripa a tripa o Victory Road. Acompanhe já, caso não queira um… HADOUKEN!

Duração: 89 Minutos e 49 segundos.

Download (ogg):39,6 mb
Download (mp3): 72 mb

Player Archive: AQUI.

Player WordPress:

E-mail para enviar cartinha do leitor, mensagem de voz, entre outros: podcast.grtr@gmail.com

Siga-nos no Twitter: http://twitter.com/_GRtR_

Twitter dos membros do podcast

Jack: http://twitter.com/#!/JackSaidSo

Gustavo: http://twitter.com/#!/Gustavo_Fresco

Ricardo Silveira: http://twitter.com/#!/Don_Silveira


Jack Stunner – Smeells like teen spirit
https://getreadytorumble.wordpress.com/2009/07/06/jack-stunner-smells-like-teen-spirit/

Overtime #7 – TNA Victory Road
https://getreadytorumble.wordpress.com/2011/03/14/overtime-7/


1. Guile’s theme (Abertura de Jack)
2. Blanka’s theme (Abertura de João Modesti)
3. Ken’s theme (Abertura de João Aranha)
4. Vega’s theme (Abertura de Murilo)
5. Ryu’s theme (Abertura de Gustavo)
6. Bison’s theme (Abertura de Ricardo)
7. Dick Dale – Misirlou
8. Villa Lobos – Allegro preciso – 1º movimento, concerto para violão
9. U2 – All because of you
10. Disturbed – Monster
11. System Of A Down – Boom
12. Scorpions – Can’t live without you
13. Drowning Pool – Less than zero
14. Cutting Crew – I Just Died In Your Arms Tonight
15. KoRn – Alone I break
16. AC/DC – House of jazz
17. Nirvana – Come as you are
18. Ramones – Pet sematary
19. Alphaville – Sound like melody
20. Rage Against the Machine – Snakecharmer
21. Ozzy Osbourne – Shot in the dark
22. Ozzy Osbourne – Working class hero
23. Village People – YMCA

Deixe você também o seu comentário sobre o que fora discutido neste podcast, comente também sobre a edição, o que melhorou, piorou, entre outros detalhes. Se possuir algum desejo em participar do podcast, comente aqui no post e entraremos em contato a partir do e-mail que você fornece no formulário.

Abraços!

Anúncios

33 comentários em “Podcast Ready To Rumble #35 – Dissecando o TNA Victory Road (2.0)

  1. Mas o Matt Hardy deu uma boa duma emagrecida e ta até lutando um pouco melhor, mas ele ta muito travadão.. parece que ele não tem joelho! e realmente, na epoca da ECW o Matt Hardy lutava bem ainda. (Pelo menos ele não ta gordo igual ao Gorstavo)

    RVD é outro dorgado.. Ele é muito otario.. Porra, a equipe criativa fodeu.. empatar? VAI SE FODER.. meus comentários foram feitos

    John Morrison rula.. Assistam o ultimo BWF Telecatch #87 .. o Red deu uma inspirada legal no Morrison e eownou tbm!

    O Sting ficou muito puto com o Jeff Hardy.. todo mundo gritando “Its bullshit” e no final o Sting falou: “I agree, I agree” e eu fikei loco aki kkkkkkk…
    A TNA deu 6 meses no site TNA Ondemand pra todo mundo que comprou o PPV..
    Ótimo Podcast! Qaundo comprar um foninho descente eu participarei! RÁ!

  2. Falaram que o AJ foi pro caminho errado ou algo assim,mas ele já luto na WWF não sei se foi só uma ou se ele fazia parte do roster.Ótimo Podcast

    A Luta do Aj

  3. Resolvi o problema que muitos reclamaram em privado: O audio de MP3 agora é só de 72 mb. Aparentemente eu havia deixado a salvação com 320 kbps, aí deu no que deu… Agora mudei pro padrão 128.

  4. Não costumo comentar, mas preciso observar algo: nessa edição, houve momentos que às vezes prejudicam a imagem de um blog e que creio que seja necessário serem analisados. Comentários como “só quero ver luta de mulheres com roupa curta” e “o juiz é mais lesado que uma pessoa com síndrome de down” são muito queima-filme.

    Sobre a edição, melhorou bastante, mas tenham cuidado com os vazios e com o volume do fundo. Se tem um silêncio muito grande, é melhor cortar a parte silenciosa e colocar uma música mais alta. Em momentos de silêncio mais curto, aumentem o volume só um pouco.

    Tô deixando essas observações como crítica construtiva, espero que entendam.

    • Falar que ve a luta das Ko’s só pela roupa, é apenas um fato. Afinal, qual a qualidade delas tirando o corpo? Algumas até tem qualidade, mas são também MUITO gatas, e homens olham mesmo. Não dizer isso, seria hipocrisia. A da sindrome de down, assumo que também achei meio forte, mas, infelizmente, é um fato, quem tem essa síndrome, dependendo do grau, tem maiores problemas mentais e motores.

      Aceito suas críticas numa boa, mas também deixo minha opinião 🙂

    • Não creio que os pontos citados sejam ”queimação de filme”. Muitos, assim como eu, só veem lutas femininas por causa das roupas curtas e golpes de pernas abertas, simplesmente falei o que penso. Sobre o juiz mais lesado que uma pessoa com síndrome de down… Bah, ok, exagerei, mas gente com síndrome de down não é das mais rápidas, né? Não falei por mal, só comparação mesmo.

      Enfim, sem PG no podcast hehe

      Quanto ao que comentastes da edição, verei isto dos grandes espaços sem fala, mas isso não é uma balada né, o que importa não é a música, e sim a fala dos participantes. Mesmo assim, valeu pelo comentário, abs!

  5. Consegui escutar, gostei muito do podcast, só achei que quem editava anteriormente deveria voltar XD (nada contra o Ricardo, mas fica meio estranho a edição, as vezes não tem um som de fundo, que dá a impressão de monotonia do podcast, tá, coube bem no que foi o PPV :P). Sobre as participações em si, achei que foi a primeira participação bacana do Gustavo :P, os outros foram bacanas, só achei o Modestim (XD) meio perdido em alguns momentos (deve ser por nervosismo, é normal :)) não importa o quão fã de empresa vc é, aquilo foi uma porcaria, você poderia colocar Godoi, Rooney, eu ou qualquer outro fãnzaço da TNA que ia xingar da mesma forma, e eu já vi gente defendendo aquele main event (Não do jeito que o Jack falou,mas dizendo que akilo foi bem feito e talz ‘-‘).

    Sobre a luta do RVD vs Anderson, eu achei que tava bacana até o final, se fosse pra terminar em empate, que fizesse uma luta muito foda, e que no final terminasse em Double Pin, depois de um desgaste imenso, o publico ia gostar da luta e ficaria uma sensação de “Eles são tão fodas que não tem como definir um vencedor”, ai eles fazem essa merda no PPV e fazer o que eu digo no IMPACT seguinte ¬¬.

    • Qual o problema comigo? 😦

      São dois estilos de edição diferentes, eu uso tema para cada pessoa, e deixo alguns espaços sem música porque o mais importante é a fala, não a música, a música é só uma opção… Depois comento emlhor, abs

    • Consegui escutar, gostei muito do podcast, só achei que quem editava anteriormente deveria voltar XD (nada contra o Ricardo, mas fica meio estranho a edição, as vezes não tem um som de fundo, que dá a impressão de monotonia do podcast, tá, coube bem no que foi o PPV ).

      Me senti importante huashuashuashauhasuh

  6. Também acho super importante que as músicas nunca parem no podcast. Pode até colocar os temas, mas, tem que ter música sem parar. Não tem como ser de outro jeito.

    E Ricardo, mesmo sendo esse o “seu estilo”, se ele não agrada, você tem que mudar. Isso é evolução.

    Você vem melhorando, mas precisa corrigir isso aí pro próximo 🙂 Se houver um próximo! #foraricardo hahaha

    • =X

      O povo quer música direto, eu já acho que isso enjoa, mas tudo bem… Agora, já experimentaram ouvir um pod americano? PUtz, lá é sem música alguma hehehe Claro, tem uns que tem, mas é bem dessa como eu falei, mas ok então…

  7. Já reclamei isso aki antes e parece que o Ricardo não entendeu:

    Na minha opinião, o podcast tem que haver músicas constantes.

    Quando eu comentei no outro post q ficava com inúmeros espaços vazios eu me referia a sem músicas e também com os participantes. Porque em vários momentos os participantes ficam calados sem saber o que dizer ou porque o assunto foi finalizado e isso é chato. Não sei se você sabe Ricardo, mas vc pode tirar esses espaços vazios na edição também, torna o podcast mais dinâmico, é assim que eu faço quando edito.

    Agora quanto ao comentário sobre os sindrômicos. Esse ai eu só falarei depois de ter escutado a edição, mas desde já afirmo que esse tipo de comentário É INACEITÁVEL e INJUSTIFICÀVEL. A única coisa a se fazer nessa situação é se retratar e pedir desculpas.

    Ainda comentarei a respeito

  8. Eu gostei do podcast e já deixei minha posição em relação as músicas. Agora sobre a Síndrome de Down, mesmo não sendo eu o autor da frase, vou esclarecer um pouco o que penso:

    1) Entendo completamente que os familiares de sindrômicos se sintam ofendidos, mas por favor sejam razoáveis. Não houve intenção de ofender os sindrômicos, e naquela altura da noite o “filtro” anti-bobagens vai diminuindo mesmo. Natural.

    2) Aliás, se esse tipo de comentário for considerado ofensivo, também deveriam ser considerados ofensivos todas as referências aos homossexuais que já fizemos ao longo dos podcasts.

    3) Em nenhum momento tentamos ofender os portadores de doença, ou as opções sexuais de cada um, mas a sociedade em si tem esse tipo de “brincadeiras” a tanto tempo que acaba sendo algo natural de se dizer. É o caso de quando alguém chama o outro de “retardado”, “bicha” ou até de flamenguista rs.

    Enfim, não vamos supervalorizar. Somos um blog, pessoas amadoras fazendo o que gostam e como amigos acabamos brincando um com o outro.

    Se for o desejo de vocês, nossos ouvintes, realmente podemos entrar numa linha editorial mais dura, removendo esse tipo de comentário que não ficaria bem para um meio de comunicação em grande-escala, mas aí teremos que ser imparciais e não existir nenhuma brincadeira/comparação com nenhum tipo de camada social, religiosa ou condição de saúde.

    Enfim: Pareceríamos o Jornal Nacional, porém com mais ética rs.

    Então eu acho que é exagero porque quem fez não teve a intenção de causar mal e embora isso não sirva de justificativa, acho que atesta inocência e está dentro de um nível de tolerância.

    • Jack, concordo que tenha sido um comentário infeliz, mas sejamos francos. Um comentário desse tipo pode sair sim numa roda de amigos a noite com as justificativas que você deu, entretanto, editar o material e deixar público tal comentário pra qualquer pessoa na rede ouvir é muita imprudência!
      Não tenho parentes sindrômicos, mas conheço vários e como você disse, eles com certeza se sentiriam ofendidos.

      Por muito menos pessoas estão sendo processadas por ai. A verdade que a internet passa uma falsa impressão de privacidade porque você está dizendo suas besteiras do aconchego do seu lar, mas da feita que você dá o upload do seu vídeo, comentário, texto, podcast, a coisa complica. Você estará divulgando a sua “brincadeira” pra todo o mundo e a maioria não entenderá o que você quis dizer. Até você explicar que “A grande obra do mestre Picaço”não é “O grande picaço do mestre de obra” será tarde demais.

      Posso estar exagerando MUITO, ou não, mas se esse tipo de comportamento não for moderado, mais besteiras poderão ser ditas e sabe-se lá qual será o teor delas.

      Galera, não quero ser a censura do blog, mas como estamos expondo um conteúdo na internet devemos pelo menos ter cuidado com o que será postado. Apesar de ser algo amador, se estamos postando material expressando nossa opinião e milhares já vieram aki pra conferir, podemos nos considerar formadores de opinião, e isso é relevante para termos cuidado com o que escrevemos.

      Ricardo, aparentemente e pelo o que o Jack falou vc é um garoto novo. Não sou um ancião como o Bohêmio, mas não sou também mais nenhum garoto assim como o Jack. Estou te dando essa dica porque o blog n tá a disposição só dessa galera fã de wrestling, mas a qualquer pessoa. Sei que com certeza você não teve a intenção de ofender ninguém, mas você precisa ter cuidado com o que você posta aqui. Não pense que eu tenho algum tipo de marcação em vc e no que vc diz, muito pelo contrário, já disse ao Corba no msn q vc tem um grande potencial de mostrar serviço, mas as vezes vc é muito afobado e acaba se atropelando.

      Sejam razoáveis e tentem entender o que eu estou querendo dizer, só estou tentando zelar pelo nosso blog 😉 .

  9. Também concordo com o Jack, agora vai fazer igual a WWE, que fez uma aliança com o São Paulo Organização GLAAD
    E dizer dos comentários quanto a sexualidade são ofensivos, é a mesma coisa de falar dessa forma de síndrome de DOWN, Pois que esas pessoas tem uma capacidade menor é fato(lógico que não precisa jogar na cara),mas ele não chegou dizendo coisas do tipo: Ah, essas pessoas com síndrome de down são uns retardados debilóides, ou esse juiz é tão FDP quanto uma pessoa com síndrome de down*.

    *:Sim, eu tinha um colega com essa doença e já ouvi muitos dizerem isso pelas costas

    Assim como o Ricardo não ficaria ofendido se chamassem ele de mala que só faz merda #brinks

  10. Não serei eu quem editará a próxima edição do Podcast, eu acho, mas tentarei rever esse meu conceito sobre as músicas, já que estão falando isto constantemente. A respeito dos cortes, po… Ficar cortando todos os espaços vazios custa um tempo inacreditável, eu levei 3 a 4 horas editando este podcast. Como é que é? Quer que eu fique 6 ou mais? :S

    Sobre o síndrome de down, o que é inaceitável e inadimissível??? Eu falar que uma pessoa com síndrome de down é retardada é a mesma coisa que eu dizer que um homossexual é gay. O que há de errado nisso? Síndrome de down não causa um retardo mental? Por favor né… Se eu quisesse ofender pessoas com síndrome de down eu diria que elas merecem morrer, ou coisas do gênero, o que muito pelo contrário, eu até estava planejando como projeto de término de curso uma maneira de inserir pessoas com síndrome de down no controle ao meio ambiente, no caso, métodos de ensino.

    Vocês estão exagerando muito, vendo chifre em cabeça de cavalo.

    • Cara, vc se engana, eu entendi o que vc quis dizer. Mas isso que vc disse pode ser interpretado de outra forma por outras pessoas, por isso que eu disse que tais comentários poderiam ser evitados.

      Concordo com todos que comentaram que isso é um exagero da minha parte, mas temos que entender que tudo que é dito aki está exposto a milhares de maneiras de interpretações, por isso que temos que ter cuidado com o que dizemos, só isso.

      Mas deixa pra lá a dica tá ai, n vou me prolongar mais nisso.
      Só demonstrei uma preocupação q deveríamos ter com o q deve ser dito.

      Quanto ao tempo de edição, blza, concordo com vc que isso demora. Se vc demorará 6 horas pr editar o cast e vc n tem esse tempo livre é melhor deixar mesmo do jeito que está. 😉

      Se o povo tá elogiando o seu progresso é sinal q é notória a sua melhora, por isso q eu dei essa dica dos espaços, pra ficar melhor ainda.

      • Sim, vou ver isso. O problema dos espaços é que, como você tinha comentado na primeira edição que eu fiz, pra colocar em mono o audio. Aí eu coloco no mono e vou cortando, tem uma hora que tá totalmente descompassado, entendeu? Aí…

        Mas eu não vi muitos intervalos sem fala, é mais da fala da pessoa.

        Eu também entendi o que você quis dizer sobre o lance de síndrome de down e tals, agora eu te digo: No outro podcast, o 34, eu cortei uma coisa pra não pegar mal pra um participante, aí agora eu não cortei nada assim, só uma explicação que eu fiz sobre o filme PET SEMATARY e uns trechos que o Jack congelava… (entendeu?) rs

        Aí caio num mato sem cachorro…

    • Incrível, mas concordarei com o Ricardo.

      Eu tenho um primo, filho do irmão da minha mãe, que tem sindrome de down. E, QUERENDO OU NÃO, ele tem um retardo mental. O problema é que a palavra retardo soa como um xingamento, mas é um fato, é da doença dele. Seria o mesmo que dizer que alguém com lepra não fica com a pele danificada, ou que alguém com vitilígo não fique com a pele zuada também.

      Acho hipocrisia ignorarmos esse fato. A diferença é que a linha é muito tênue entre fazer uma comparação que contenha fatos de uma determinada doença, como essa feita INOCENTEMENTE pelo Ricardo, e uma zoação com a mesma. Talvez por isso alguns agiram dizendo que isso é errado e tal.

      Por mim, é algo comum de ser dito, se parar nesse ponto. Até é “forte” de se ouvir, mas isso porque toda uma sociedade é levada a não falar, parecendo que se falar algo, está denegrindo e sendo preconceituoso ou taxativo.

      Por mim é tudo normal, algo comum, e que como Ricardo disse, estamos achando chifre em cabeça de cavalo. Se o Ricardo tivesse zoado de algum jeito as pessoas com essa síndrome, eu seria o primeiro a criticá-lo, mas FELIZMENTE ele não fez!

      • Gustavo, concordo meu caro em gênero, número e grau com o q vc disse.

        O Ricardo já me entendeu, o que eu estou tentando dizer é que o que foi dito pode ser mal interpretado por outras pessoas externas ao blog e isso pode causar um mal entendido pior que esse agora, pois estou do lado de vocês e todo mundo acha q eu estou contra.
        Só estava tentando alertar como as pessoas poderiam interpretar o q foi dito e os problemas que isso poderia causar, nada mais.

        Já está resolvido galera, o Ricardo entendeu o que eu quis dizer com o comentário. Me dou por satisfeito.

        • É, o pessoal sempre distorce as coisas desse tipo. Eu também entendi você. Ou seja, todos nos entendemos 😀

      • Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar.

        Como disse no comentário, a minha opinião é de que os comentários que citei são do tipo que podem queimar filme, sim. E se falo isso, não é com o objetivo de apenas criticar, mas tentar ajudar o blog a ter um pouco mais de cautela com fatos como esse. Entendo que o Ricardo não quis ofender, mas “retardado” é um termo que é pejorativo, não adianta… Quando você fala de um soropositivo como “aidético”, automaticamente vai soar como alguém preconceituoso. É praticamente a mesma situação, embora a doença realmente cause um retardo.

        Eu só acho que para um blog com a projeção que o GRTR tem, é complicado mexer com isso. Como disse, sei que o comentário foi inocente e infeliz demais, mas a questão é evitar levar isso ao ar e principalmente: ter mais cuidado com o que se fala. Não quis arranjar confusão, mas evitar que em próximas ocasiões, comentários como ou piores que esse vão ao ar e acabem prejudicando a imagem do podcast, de quem falou isso e até do blog.

        Sobre os espaços, eu notei alguns e acho que é algo pra ser cuidado, mas entendo que é um tempo gasto muito grande. Quem fizer a próxima edição, no entanto, tenta pelo menos atenuar esse problema…

  11. Podcast tá bom, comentários interessantes (embora suma às vezes no meio do comentário), perfeito o que falaram sobre o Jeff Hardy, só discordo do que falaram do Kennedy. Mas é opinião, cada um vai com a sua. Continuem melhorando!

    Ah, já ia esquecendo: #foravampetoca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s