Cinco Rounds #7 – Análise – UFC 128

Atendendo 12 mil pessoas e arrecadando 2 milhões e 140 mil dólares, o UFC 128 ocorreu no Prudential Center, em Newark, Nova Jérsei. O cartaz do evento traz o brasileiro e campeão mundial dos meio-pesados e também uma lenda do Pride, Maurício “Shogun” Rua, que defende seu cinturão contra o americano e estrela em ascensão, Jon “Bones” Jones. Co-estrelando a noite está o “California Kid” Urijah Faber que tentar entrar na rota de colisão de Dominick Cruz, o atual campeão dos peso-galo, porém Eddie Wineland vem com o mesmo objetivo. De brinde no card preliminar tivemos cinco brasileiros buscando um lugar ao sol na maior organização de lutas do mundo, será que foram bem sucedidos?

https://getreadytorumble.files.wordpress.com/2010/12/fundo.png?w=349&h=134

Iniciando a noite temos o croata e outra lenda do Pride, Mirko Cro Cop. Tentando reencontrar seu rumo no UFC, e o mais importante, na divisão dos Pesos-Pesados, Mirko tenta se recuperar depois da fatídica performance contra Frank Mir. Seu oponente para este combate não o credenciará mediante a todos os seus feitos, mas é de grande valia para uma possível recuperação.

Mirko Cro Cop vs. Brendan Schaub – Heavyweight Bout

Infelizmente, ao contrário do que todos queriam, Cro Cop não foi páreo para o fôlego de Brendan Schaub. O combate rendeu até o terceiro round, onde Mirko já demonstrava cansaço e com lentidão não foi capaz de se defender dos socos de Schaub, a conseqüência foi um soco na têmpora que o fez cair desacordado no chão.

Schaub é um atleta forte, habilidoso e inteligente. Ele soube trabalhar a luta no chão assim como manter uma boa distância de Cro Cop, o que possibilitaria a Filipovic o seu chute letal, porém ele entrara desacreditado de si mesmo. Dizer que Cro Cop não é o mesmo do Pride é redundante, entretanto há de se salientar que o mesmo não é um atleta ruim, só não se enquadra nesta divisão de pesados no UFC. Ele não possui adversários que o favoreçam, seu estilo de luta está ultrapassado para lutar contra um peso-pesado, este combate comprova esta afirmativa..

Seu rendimento ainda foi considerável, mas conversando com um amigo levantamos a questão do controle de anabolizantes no Pride em comparação ao UFC, com isto temos noção de que sem algumas substâncias muitos lutadores não são capazes de render 100% de si, e no caso de Mirko o aconselhável a esta altura do campeonato é a aposentadoria. Se há uma ultima luta que ele deva fazer, esta deve ser contra Randy Couture, o que acredito eu, seria um combate digno para fim de carreira de ambos, independente do resultado.

Nate Marquardt vs Dan Miller – Middleweight Bout

Dominando por três rounds, Nate Marquardt venceu esta luta na decisão dos juízes por 30 a 27, em um combate com muita técnica, mas sem muito brilho. Nate tentou trabalhar a luta minando socos em seu oponente até conseguir encaixar o golpe nocauteador, Miller por sua vez confiou em seu jiu-jitsu para se defender e contou com algumas guilhotinas para alcançar o seu objetivo, entretanto Marquardt demonstrou conhecimento de solo o suficiente para escapar destas submissões.

Nate não possui um futuro muito certo nesta divisão, pois vale ressaltar que o campeão é Anderson Silva. A sua única esperança é confiar em seus 31 anos e esperar pelo dia em que as coisas tornarem-se favoráveis a ele, o que não creio ser possível, pois vale ressaltar que vinha de derrota para Okami, ou seja, possui uma vasta lista de adversários pelo caminho caso deseje o título. O mesmo pode se atribuir a Dan Miller, que tem no seu cartel derrotas para todos os “grandes nomes” desta categoria. Miller é e será o típico lutador para encher cartel de oponentes, possui certa técnica, mas aparentemente não tem malícia de luta.

Jim Miller vs. Kamal Shalorus – Lightweight Bout

Jim Miller é talvez um dos lutadores mais subestimados do UFC atualmente. Suas performances são agradáveis e já demonstrou ser um lutador páreo para os nomes da divisão dos leves, ele é experiente e merece um lutador de mais renome. Está invicto desde o UFC 96, onde perdeu para Gray Maynard. No seu cartel também consta uma derrota para Frankie Edgar, entretanto está em boa fase, contando agora com 7 vitórias. Kamal Shalorus fez sua estréia no UFC e não teve psicológico necessário para se desenvolver no combate.

Miller conseguiu encaixar golpes contundentes no primeiro e segundo round, detalhe para um mata-leão de Miller que quase encerrou o combate no segundo round. O psicológico, como havia citado, de Shalorus não é muito resistente, sendo assim pro terceiro round Kamal entrou cometendo equívocos em sua guarda, o que fora essencial para Miller aplicar um golpe forte o bastante para desnorteá-lo e seguir com uma série nocauteando-lhe.

Urijah Faber vs. Eddie Wineland – Bantaweight Bout

Dependendo do prisma em que se viu este duelo, as opiniões poderão divergir drasticamente. Aos que são fãs de uma boa pancadaria de bar, não recomendo. Agora, se preferes um show de técnica e aprender com dois lutadores de alto nível, assista essa luta.

Eddie Wineland possui grande defesa de quedas, Faber teve um trabalho gigante no primeiro round para conseguir algo, enquanto Wineland aplicava alguns golpes – não tão contundentes, porém de valia para a pontuação geral. Como um California Kid, Faber voltou no segundo round disposto a conseguir o que não foi capaz antes, a queda! Mas vale salientar que ela partiu de um erro adversário, porém contribuiu para abalar o psicológico de Wineland, enquanto Faber marcava seus pontos e minava golpes.

O terceiro round era onde a luta seria definida, mas para Eddie Faber estava vencendo os dois rounds, sendo assim ele precisava fazer algo, logo isto inclui em atacar para tentar o nocaute. O grande problema quando isto acontece é que você indiretamente se expõe, e se expor para Urijah Faber é um perigo, e Wineland pagou o preço ao receber socos fortíssimos tanto em pé, quanto no chão – desta vez Faber o derrubou por mérito, ou será que não? A luta terminou por uma justa decisão dos juízes, 29-28. Faber quer ir de encontro a Dominick, terá ele algum adversário a altura que o impeça de chegar ao caminho do título? De qualquer maneira, Faber já o advertiu e mandou esconder a família e o cinturão, pois está indo para pegar a cinta

Mauricio “Shogun” Rua vs. Jon “Bones” Jones – Light Heavyweight Championship Match

Se o brasileiro permanecesse com o cinturão, o cenário para Shogun vs Spider estaria montado, e teria como palco o UFC Rio. Entretanto o destino nos forneceu um ótimo preview de como seria essa luta. Jones é amigo, fã, e treina com Anderson Silva. Entrou na luta com o espírito do Spider e soube majestosamente como trabalhar sua enorme envergadura contra Shogun. Shogun ficou ofuscado por esta estrela em ascensão, e perdeu o fôlego de maneira tão rápida que chegou-se a questionar sua resistência física e preparamento para o combate.

Verdade é que os americanos possuem agora mais um campeão americano, após três rounds de total dominação e sem receber um mero soco, sem ficar por baixo em nenhum momento, sem sentir a pressão de uma possível derrota, Jones realizou o massacre de Nova Jérsei e fez o que chamamos de “atropelo”, aplicando uma série de socos que machucaram Shogun e o fizeram dar tap-out, entretanto Herb Dean havia paralisado a tempo de validarem o tap-out.

Jones dominou em cada aspecto da luta, e teve a mesma estratégia de Shogun, lutar (quem viu a entrevista pós-luta deve entender). Quando se tem um tamanho desproporcional em comparação ao de seus oponentes, e uma das, se não a maior envergadura da história da divisão dos meio-pesados do UFC, e sabe lutar muito bem, é isto que acontece. O próximo oponente de Jones será seu ex-companheiro de academia, Rashad Evans. Será no primeiro ou segundo round? Quem virá depois? Não importa, só há neste momento um lutador com chances de tomar este cinturão, e creio que ele vencerá no UFC 129, terá uma nova luta com Shogun e correrá em direção ao título, pois é um verdadeiro campeão, e ele é Lyoto THE DRAGON Machida, o homem que trará o cinturão desta disputadíssima categoria de volta ao Brasil.

Falando em Brasil, dos cinco que lutaram no card preliminar, 3 venceram. Um conseguiu um belíssimo chute rodado e conquistou a vitória por decisão, vale ressaltar que um dos dois que perdeu fora nocauteado de maneira similar a que Cro Cop fora. Assim se encerra o evento, que foi muito disputado, não foi uma decepção se comparado ao UFC 126, apenas há de se ressaltar que os combates foram muito estáticos. E é justificável, pois atualmente o nível no UFC é altíssimo, e qualquer vacilo pode significar o fim.

Anúncios

14 comentários em “Cinco Rounds #7 – Análise – UFC 128

  1. Realmente o evento foi muito bom.
    Concordo com quase tudo que vc disse aki, menos quanto a luta do Crocop.

    Na minha opinião, essa foi uma das melhores lutas dele no UFC. Sou fã do croata e na minha contagem ele tava ganhando essa luta até o soco q praticamente matou o resto da sua carreira. Tá certo que o Shaubb deu vários takedowns nele, mesmo assim Mirko estava sendo mais efetivo nos golpes.

    Veja bem, discordo de você ter dito que ele estava apático. Apático eu o considero na luta contra o Mir, que foi uma das piores que eu já vi em MMA. Quanto ao que você disse da carreira dele é exatamente isso, o fim.

    Se eu não me engano, o Dana falou que o Mirko n pisará mais em um octógono, mas nunca se sabe, né?

    Seria mesmo muito bom ver uma luta entre Couture e Crocop.

    Engraçado vc ter dito isso dele mudar de categoria, pois foi exatamente o que eu disse ontem a um amigo.

    Vou pular logo pra última pois vc já disse tudo nas outras.

    Primeiro, nunca ouvi falar que John Jones treina com o Anderson Silva, sei que ele é fã e tudo mais, mas treinar que eu saiba eles não treinaram.

    Segundo, não ficou claro da forma que você escreveu, mas vc quis dizer que o Herb Dean terminou a luta entes de validarem o tapout?

    Costumo dizer que há dois Shoguns. o 1º é aquele que segue um retrospecto de lutas muito boas e se mantém no topo, o 2º é o que lutou nesse evento, se recuperando de uma lesão. Quem não acredita assista a revanche Shogun vs Coleman ou Shogun vs Griffin que vcs verão exatamente o mesmo Shogun do UFC 128 nem sombra do Shogun do UFC 104 que aguentou 5 rounds com o Lyoto.

    Bom, nem preciso dizer mais nada quanto a essa luta. Vencveu o melhor e ponto final.

    Concordo com você que provavelmente nesta categoria, o único que é uma ameaça para o Jones é o Lyoto, pois os estilo dele encaixa perfeitamente contra o do campeão. Muito provável que o Lyoto iria tentar cansá-lo evitando os seus golpes e contra-atacando, o Jones é rápido e com certeza tentaria vencer via ground and pound, ok, mas o Lyoto tb n é nenhuma lesma e sabe muito bem evitar quedas. Mas que fique claro, disse que é uma ameaça, diria que é 60% vs 40% pr Jones, mas torço pr Machida!!!!!

    Não sabia que você era fã dele, tb sou.

    Além de um exímio lutador ele é um exemplo de pessoa. Aqui em Belém ele andas nas ruas como todo mundo, vai no supermercado, restaurante de boa e atende todos os fãs n importa onde esteja, um exemplo de pessoa que não pirou com a fama.

    Parabéns pela review!

    • Opa, impossível eu não ser fã do THE DRAGON. Sobre o Cro Cop, também acho que tenha sido a melhor performance dele no UFC, mas muito aquém do que ele realmente pode ser, e isto se atribui aos adversários e seu estilo de luta.

      Quanto ao Herb Dean, o Shogun deu tap-out, mas antes disso o Dean interrompeu a luta, sem ber o Shogun, só ao observar que ele estava acabado mesmo… hehe

      Vlw aê pelo comentário, abs!

  2. Não vi as duas primeiras lutas e as outras duas antes do main-event não prestei muita atenção e me privo de comentar. Mas falando do main event, “Se o brasileiro permanecesse com o cinturão, o cenário para Shogun vs Spider estaria montado, e teria como palco o UFC Rio.” de onde você tirou isso? Anderson mesmo falou que não sobe e outra tá cheio de gente boa nessa categoria…

    “Jones é amigo, fã, e treina com Anderson Silva” Ele não é amigo e nem treina com o Anderson. Apenas fã.

    Falando da luta agora, primeiro Shogun estava lento e apático (minha opinião) e a partir do segundo round viu que não dava pra ir de encontro a envergadura do gigante Jones, tentando ir pro Jiu-Jitsu, mas de nada valeu… Além de cansado ficou apenas na expectativa de conseguir uma chave de perna, e foi massacrado dando tap-out até.

    Provavelmente Rashad não irá dar trabalho ao Jones, espero a vitória de Lyoto contra Couture e que ele volte a disputar o título (tenho fé que ele consiga um resultado expressivo contra o JJ) e também gostaria de ver Rampage vs Jones.

    • caraca! tinha esquecido disso Gabriel, muito bem lembrado. Nunca ouvi falar de Shogun vs Anderson Silva tb.

      E eu acompanho MMA constantemente….

    • “de onde você tirou isso? Anderson mesmo falou que não sobe e outra tá cheio de gente boa nessa categoria…”

      Dana White postou no twitter dele que essa luta, caso Shogun vencesse, ocorreria no Brasil.

      Lyoto depois de enfrentar o Couture, deverá pegar mais dois oponentes [talvez Rampage e Shogun], para depois enfrentar Jones, é o que eu acredito e torço.

      • Tudo depende do desempenho do Lyoto dia 30. Se for uma luta difícil ele pode ficar de 60 a 90 dias parado, mas se for fácil passar pelo “The Natural” ele tem pelo menos 30 dias pro próximo adversário.

        Shogun vai ficar afastado durante 60 dias e é muito provável que ele volte para o UFC Rio, acredito e muito na possibilidade de um Machida x Shogun 3 pq os dois vão acabar se encontrando no meio da categoria com o Lyoto subindo e o Shogun descendo.

        • Se o Lyoto perder provavelmente ele será demitido, se ele vencer deve pegar o Shogun e passando dele deve lutar mais uma vez pra ir lutar pelo título, enfim WAR LYOTO…

  3. Gostei, Ricardo… Não foi uma das melhores, mas foi boa em relação ao Show analisado!

    Bom, como toda vez digo, eu não acompanho MMA digamos “na hora certa”, ou seja, ao vivo ou um dia, uma semana ou sei lá quanto dias depois, então nem tenho muito o que comentar!

    O Cro Cop deve logo se aposentar mesmo… tá velho, não aguenta tanto mais (já vi algumas lutas deles recentes, e realmente tá só o caco)… A melhor escolha é parar de vez e nem tentar olhar pra trás!

    Acho que seria uma boa Shogun vs Silva no UFC Rio, daria um espetáculo à parte, e elevaria os dois em suas próximas lutas!

    E o Main Event, tbm não vi, e gostaria que o Shogun ganhasse essa luta, mesmo que não ele não foi superior ao seu oponente, ele deveira levar, já que é brasileiro! xD

    PS: Só comentei mesmo pra não ficar falando que eu não comento em seus Posts! 😛

    • Ricke, não importa, não comentou no Overtime 😦
      hehehehehe

      Valeu pelo comment aê mesmo assim, e é bom ver que se interessou por MMA.

  4. Gente, Shogun perdeu o fôlego devido o Jones ficar pressionando o externo dele, enquanto estavam no chão….. não tem mistério…. é só rever a luta…..
    Eu também acho que só o Lyoto tira essa cinturão, porém ta bem complicado para ele virar contender de novo viu? Não tem Rampage ou Rashad tão cedo…. talvez um Bader, eu acho mais coerente o Foreste Griffin…. porém, ele tem que passar pelo The Natural antes….. >D

    ps: Parem de postar sobre mma no blog…. ><'''''

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s