Overtime #11 – Análise – TNA Sacrifice!

Mais rápido que o Vettel, mais forte que Pacquiao, argumentando melhor do que Alan Shore, chega até você a décima e primeira edição do OOOOOOVertime! E aqui analiso o Sacrifice, da TNA. E como o nome disse, foi um sacrifício… Nem tanto, ok, mas não podia perder a deixa.

https://getreadytorumble.files.wordpress.com/2011/04/bannerovertime.png?w=446&h=148


“There ain’t no beer… Can hold my attention up!”


Preparem-se crianças, porque o show só vai começar…

Mexican American (Hernandez e Anarquia) vs. Ink Inc. (Shannon Moore e Jesse Neal)

Personagens genéricos não possuem personalidade (redundante o que eu disse)e nem tão pouco uma história a contarem durante o combate, logo estes quatro apenas nos proporcionaram golpes de uma simples luta, e resumiram-se a utilizar o clichê durante todo o tempo que estiveram no ringue, fazendo um trabalho medíocre com a crowd forçando-lhes a gritar USA! Eles limitaram-se ao uso de submissions dos heels sobre os faces, puxando então os chants, e com a resposta vindo em golpes elásticos banalizados, sem grandes efeitos. O fim da luta se deu ao haver uma confusão entre a manager do Mexican American com a Ink Inc, resultando em contra-ataque mexicano e Hernandez aplicando seu finisher e o pinfall sobre Moore.

Avaliação: **1/2
Comentários:

Luta simples. Nobody cares, e chata até mesmo para abrir o pay-per-view. Nada de mais, aplicaram bastante golpes, mas não chama a atenção, serve apenas para por em um highlight, já que teve muitos golpes, porém pouca/quase nenhuma história contada em ringue.

– Jeff Jarret vem fazer uma promo explicando que sua amável esposa não poderá lutar devido a uma lesão… Thank you God! Logo não haverá combate, devido as ordens médicas. Isto é, de acordo com Jarret, que logo começa a sair do ringue, mas Foley entra em ação.. Ele vem e muda o final dessa história, ele afirma que haverá luta ali, pois aquilo é um ringue de wrestling, onde deve ocorrer lutas de wrestling, porque wrestling faz diferença… Irônico e paradoxal, eles não estão fazendo uma promo neste exato momento? Por fim, Foley desmascara a farsa de Karen para não haver combate, e a mesma se irrita e atira a bota ortopédica sobre Foley, que já saíra do ringue. Então parece que teremos essa match tag mixed… Foley Mick Poxa

Robbie E. vs Brian Kendrick

Isso faz parte do web show do Zack Ryder? Se não, devia fazer, seria no mínimo cômico… Mas na TNA é apenas sem graça. Uma cópia do Ryder contra um drogado com gimmick de… drogado! Ou seria então um teaser de uma nova versão do The King of Fighter e eu não sei? Afinal de contas quem nunca comparou Kendrick com o Chin, “tiozinho bêbado” do The King? Tá, acho que só eu…

Apesar dos pesares, ambos cumpriram o objetivo no ringue, que era fazer graça. Brian usou suas tuants de yoga, enquanto Robbie fez suas bobeiras tradicionais. Os dois também lutaram (deal with it), embora tenha havido mais dropkicks do que socos. Detalhe para Kendrick que cortou a boca durante o combate, que terminou com Brian levando a melhor após aplicar seu finisher, que se misturou ao monte de golpes aplicados desde o começo. Ao término do combate Kendrick tentou cumprimentar Robbie E., porém ele se recusou e a Cookie o protegeu, criando um clima estranho entre os dois. Aê, já temos um motivo para a revanche!

Assistir um combate onde dois lutadores que ninguém se importa já é chato, e a situação piora quando um deles está utilizando um roupão que impede a nossa visão do que está sendo feito no ringue, não é mesmo?

Avaliação: **
Comentários:

Não foi ruim, só que não deu pra levar a sério essa tentativa de comedy match.

Madison Rayne vs Mickie James

TNA Knockouts Championship Match

– Antes da ação começar, Tara veio até a ringside, o que irritou Madison que foi de encontro a ela e as duas bateram boca…

… Deixando Madison livre para Mickie que resolveu atacá-la e começar a luta… Que logo se deu no meio do ringue. Ambas estavam vestindo shortinhos pequenininhos e fizeram questão de aplicar golpes que os deixassem cada vez mais em evidência, fazendo a alegria de Bin Laden (vide isto). Um grande destaque vai para Tara que em diversos momentos se preparou para socar, tanto Madison quanto Mickie, em sua completa confusão.

Diferente do que fora visto antes no Sacrifice, as duas trouxeram uma história ao ringue, e não se limitaram a apenas valorizar seus dotes. O árbitro foi atingido duas vezes, na primeira Madison aproveitou-se para buscar por sua luva, entretanto Tara a bloqueou… Na segunda, Mickie ia aplicar seu finisher quando Tara a interrompeu e veio dar-lhe um soco com a luva, porém refletiu por um instante… E então ficaram Madison e Mickie, uma forçando Tara a dar o soco na sua respectiva adversária, que nem naqueles filmes onde o homem e a mulher estão chamando o cachorro para decidir a quem ele irá. Tara decide dar o soco em Madison, e puxa o referee para fazer a contagem, 1, 2, 3! Vitória da campeã Mickie James!

isso sim é perna aberta… hehehe

Avaliação: *3/4
Comentários:

Bem, como você já deve ter notado, eu valorizo uma história contada em ringue. Entretanto não deve-se esquecer que há um combate de luta livre a ser realizado naquele ringue. Como luta, foi extremamente fraca. Como segmento da storyline, foi muito bom. Avaliando ao todo, diria que minha avaliação é justa, levando-se em consideração o contexto em que tudo isto está inserido.

Max Buck vs Kazarian

X-Division Championship Match

E se havia algo que faltava a esta X Division, eis que finalmente temos aqui: Uma boa exibição. A qualidade de ambos é inquestionável, embora Kazarian não venha demonstrando o que é capaz de fazer há um bom tempo. Entretanto contra Max ele se soltou bastante, e o seu adversário correspondeu a altura.

A luta foi basicamente para ser lutada, digamos assim, Max e Kazarian entraram no ringue com o objetivo de vencer seu oponente para, conquistar o cinturão, ou retê-lo, respectivamente. Para cumprir este objetivo tudo valia, inclusive variar golpes incríveis, tentar submissões, saltos, e fosse o que fosse, nós fãs temos somente a agradecer. Entretanto o preço a se pagar, é algo citado já nesta análise, a banalização dos golpes. Porém não foi um grande problema, já que eles estavam em um confronto direto, e apesar de não terem tanto apelo popular, são lutadores mais decentes do que os que já se apresentaram até então.

Tudo acabou quando após uma série de reversões, Kazarian aplicou um chute, que diria eu ser um bycicle kick, e finalizou com pinfall, retendo o título, dando boa parte de si no ringue, de acordo com o que tem sido dito naquelas promos de auto-estima que só ocorrem nas quintas…

Avaliação: ***1/2
Comentários:

Eu, particulamente eu, gostei do que fizeram no ringue, embora não tenham dado muito tempo para desenvolverem mais no ringue. Parece que agora essa joça engrena, ou eu espero que assim seja.

Abyss vs Crimson

Talvez a melhor luta mesmo tenha sido eu VS Streams. Obviamente isto prejudicou muito a coisa toda, porém deu para entender o que se passava no ringue, apesar das dificuldades, e que no final das contas ajudaram, afinal de contas estava insuportável ver Abyss com sua boca desdentada parecendo um vampiro as avessas!

Quem não conseguiu ver o combate, pode assistir a próxima Botchamania, que com certeza terá alguma referência, tal como a incrível capacidade deste referee conseguir começar a fazer o count do 0… Invés de dar 1 tapa e gritar 1, depois partir para o segundo, que nem todos fazem, ele resolve dar o tapa inicial, depois começa com o 1, 2… Ou seja, quando o lutador dá kick out no 2, ele já contou 3 números, entenderam?

O confronto resumiu-se ao duelo entre dois gigantes, havendo obviamente uma notória diferença de peso entre Crimson e Abyss, porém esta diferença foi colocada de lado ao Crimson aplicar golpes que evidenciassem sua força e agilidade, assim como resistência ao suportar um duro combate contra o monstro Abyss. A luta terminou com um spinebuster de Crimson, seguido do pinfall, 1, 2, 3! O engraçado é que Abyss aplicou inumeros golpes que matariam qualquer fisiculturista facilmente, e Crimson venceu com um simples spinebuster, que quase não causou danos a Abyss que praticamente não vendeu o golpe…

Avaliação: **
Comentários:

É aquilo né, os streams prejudicaram bastante, mas os wrestlers também não colaboraram… Logo não há o que se comentar.

Beer Money vs Matt Hardy e Braden Walker Chris Harris

Após anos afastado fazendo trabalho comunitário e salvando o mundo, ele, a lenda, está de volta! Braden Walker!!

Se vale a pena citar minha opinião ou o que aconteceu de fato, eu não sei o que dizer. Mas posso resumir que vi essa luta que nem vejo Vasco x algum time de terceira divisão na copa do Brasil. Ou seja, vi uma tag team que simpatizo contra caras que não to nem aí, logo o resultado para mim seria o mais óbvio de todos, e o contrário me deixaria extremamente surpreso.

Neste caso, o resultado não é quem ganha ou quem perde, a filosofia wrestling está acima disto. Refiro-me a quem terá uma boa atuação no ringue, e o óbvio ocorreu, a Beer Money não me decepcionou. Por outro lado, Matt Hardy está mais duro do que múmia engessada! E quanto ao seu parceiro, Chris Harris, demonstrou que tem assistido muitos dvds de wrestling. Ou seja, sentado no sofá comendo pipoca, frango e bebendo coca-cola, ou seja: está gordo! Talvez seja proposital o fato dele estar gordo, para não acharmos o Matt tão gordo assim. Falando no peso de Harris, um crédito merecido a Robert Roode que segurou Harris para Storm aplicar um atomic leg drop e finalizar a entediante luta com pinfall.

Avaliação: **1/2
Comentários:

Entendiou, sabes? Não vi nada demais, até agora a X-Division Championship Match foi a melhor da noite, e a esperança de que ocorra algo melhor não existe, então agora estou com o mesmo sentimento de um motorista ao estar em um carro aquaplanando…

Tommy Dreamer vs AJ Styles

No Desqualification Match

Se procuras pelo significado de carregar luta nas costas, eis o combate que melhor traduz esta expressão. AJ Styles usou todo o seu conhecimento de wrestling e o pôs em prática contra Dreamer, que trouxe por outro lado o bom senso ao reconhecer que não está em condições, logo não optou por dominar o combate em grandes períodos, nem tão pouco forçar submissões que tornassem o combate uma grande porcaria.

Logo eles trabalharam bem a luta, usando algumas armas como lata de lixo e mesa, também se misturaram com a crowd, e tiveram espaço para invasões, sendo elas de Bully Ray, mas seguida logo por Christopher Daniels, tirando Ray dali. A luta terminou logo neste momento, como Ray atacou Styles, Dreamer o pegou desprevinido e aplicou um piledriver “botchado” sobre a mesa e concluiu a luta, que tinha tudo para ter se encerrado de maneira digna, mas ficou apenas comum como as demais graças ao final que fora estragado pelo booking da TNA. Por que não deixaram AJ vencer sendo este o grand finale para a série de bons golpes que ele aplicou durante todo o combate?

Avaliação: **1/2
Comentários:

Caras, Dreamer sabe que não dá pra ficar lutando nessa idade, por que ainda insiste? Não dá pra entender… Fica nos backstages, faz o trabalho dele, mas deixa o wrestling para os atuais wrestlers. A luta teve seus momentos legais, mas foi severamente prejudicada pelo final.

Jeff e Karen Jarret vs Kurt Angle e Chyna iiiiiiin box!

Mixed Tag Match

Uma observação a ser feita, e merecidamente, é como a Chyna “melhorou”, digamos assim. Ela está bem feminina para quem carrega um pênis no lugar do clitoris (não vide isto… … sim, é ela… e eu avisei para não clicar!).

A luta resumiu-se a basicamente Kurt Angle vs Jeff Jarret, obviamente. Eles trabalharam o wrestling de sempre, com Angle dominando grande parte da luta e Double J fugindo o máximo possível. Angle logo resolveu forçar a entrada de Chyna, porém Jarret preferiu apanhar do que deixar sua esposa encarar a mulher-macho que antes era mulher que parecia homem, mas agora é ex-mulher que virou homem e parece mulher, digamos deste modo.

Mas é claro que os esforços foram em vão, mais cedo ou mais tarde Karen encararia Chyna. E esta hora chegou, porém antes Chyna teve que enfrentar Jeff Jarret também, ou se esqueceram que a monstruosa já o encarou antes? É, a mulher batia em homem maiores do que ela, quem sabe uma luta contra o Netinho não fosse boa hein? No mais, quando ela pegou Jeff para um slam, ela botchou, e com certeza veremos um pouco disto no Botchamania 172…

Porém também aplicou os golpes padrão, até finalmente atacar Karen com seu pedigree e aplicar o ankle lock de Orton, Swagger, Lawler, Michael Cole… Jeff veio impedir, porém também pegou um ankle lock de Angle, o mesmo ankle lock de Ken Shamrock, Chris Jericho, AJ Styles, e outros que já o encararam.

Avaliação: ***
Comentários:

Fizeram o óbvio e não erraram, com a exceção de um botch ou outro, porém até dá para relevar… Agradaram, tendo em vista que comparado com os demais combates, o pay-per-view está sendo um sacrifício…

RVD vs Sting

TNA World Championship Match

– Mr. Anderson se juntou a mesa de comentaristas…

Um combate bem disputado entre um cara que está perto da hora de parar, e outro que já passou da hora, mas ainda não o fez por amor ao wrestling e saber das necessidades da companhia onde trabalha, e está ciente que ele precisa elevar o nome da empresa para que tenha seu nome fixado na história do wrestling, como coisa que já não o tivesse.

Pois bem, RVD e Sting se respeitaram do começo ao fim, e a escolha por fazer uma luta no meio da crowd foi acertada, tendo em vista que se fosse no ringue, as coisas teriam sido bem monótonas e sem graça, logo lá tivemos a “desculpa” de não poderem ter rendido mais graças ao pouco espaço. Quando o booking erra, eu falo, mas quando acerta, também tenho que falar, e aqui vai os votos de mérito para eles.

No mais, uma luta resumida no brawl entre eles, com RVD aplicando alguns golpes mais ousados. Encerrou-se ao momento em que RVD bobeou e Sting aplicou seu finisher, o scorpion death drop, e reteu o título!

Um adendo… Teve uma coisa que eu não entendi e ainda não entendo até agora… Eles lutaram no meio do público por quase uns 10 minutos, e ao Sting retornar ao ringue o árbitro começou a contagem para RVD retornar? Que regra é essa?

Avaliação: ***1/4
Comentários:

Talvez estejam achando estranho eu ter equiparado o combate ao nível ***, se na visão de muitos algumas lutas anteriores é tida como melhor do que esta. Porém, como eu já citei antes, eu prefiro a combinação entre história e golpes, e aqui houve, até porque vale salientar que ambos são lutadores já experientes, e não dois garotos aí nos seus 20 e poucos anos. Souberam entreter e fechar bem o pay-per-view, que foi extremamente fraco.

Avaliação do Pay-Per-View: **
Comentários sobre o Pay-Per-View:

Os combates foram muito genéricos, havendo pouca variação entre uma luta e outra. A sensação geral que se teve é que o evento ao todo foi uma grande gaunglet match, o booking igual para a grande maioria dos combates, havendo as tag team matches, e as single matches, cada uma bom seu booking a ser seguido pelos lutadores restantes. Os combates que fugiram a regra foram exatamente os que eu mais gostei: Madison Rayne vs Mickie James, Kazarian vs Max Buck, e Sting vs RVD. No mais, até semana que vem no Over The Limit!

Anúncios

18 comentários em “Overtime #11 – Análise – TNA Sacrifice!

  1. Alguém me explica a lógica de dar a apenas uma luta do PPV menos de 2* e dar a média como 2*?

    Sobre a nota das lutas, eu daria mais a BM e menos a Sting vs RVD, mas faz tempos que desisti de entender o Ricardo…

    Enfim, PPV bom pela regularidade, nada de fraco, nada de memorável, de média geral eu daria 2* e 1/2

  2. Você diz que foi o combate que mais gostou, ou um dos, e você dá 1,75?? No mínimo 2, levando em conta as outras lutas delas… Sem contar que é incrível, mas sua perseguição para com a TNA é grande. Abyss vs Crimson foi MUITO BOA pro que todos esperavam, golpes bons, mesmo sendo dois gigantes, e um deles gordo, e vocÊ dá 2… A mesma nota de Kendrick vs. Roobie E. Com certeza ambas mereciam mais. Não acho justo você criticar uma luta por não ter história, outra por não ter bons comabtes, e assim ir. Se teve uma coisa, e não teve outra, ok, tire um POUCO de nota, não desconte um monte. Sem contar que não sei o que é história pra você, mas acho que as únicas que não teve MESMO foi Kendrick vs. Roobie E., até porque nem feud tinham. E 2,5 pra luta que mais teve história no ringue? Em que falaram tanto do passado de ambos ali, o que gerará feuds futuras?

    Resumindo, PPV foi bom, o segundo melhor da empresa, manteve-se toda uam média boa, incoerente, NO MEU MODO DE VER, todas essas notas baixas.

  3. E só mostrando como é injusto, você deu 1,75 pro LIXO que foi aquela tag match entre os locutores, a mesma nota de Mickie vs. Rayne. E ok, se for pra comparar com lutas de homens, você deu 2 pra Kendrick e Roobie, e também Abyss vs Crimson. RESUMINDO, vocÊ achou essas lutas UM POUQUINHO, o mínimo possível, melhor que a MERDA que foi a tag match do Extreme Rules. Agora vem me dizer que teve alguma lógica isso?

  4. Não persigo TNA, até porque minha perseguição não traria frutos algum a meu favor, só não tenho gostado de nada que ela tem oferecido desde então e achei esse ppv muito monótono, por pecarem na mesmice ao ponto de me fazerem gostar do combate mais lento.

  5. Ricardo, dessa vez você apelou cara, o PPV emoção do início ao fim velho, tipo você foi um pouco injusto(ao meu ver) em quase todas as lutas.Se o objetivo do wrestling é trazer bom wrestling e entreter, foi pra mim o 2° melhor PP da TNA no ano.

    Minha nota geral do evento é 8,7 – 10,0

  6. O ppv teve no ser redor wrestling e talvez quem escreveu este texto esteja habituado a ver entretenimento , pois quase todas as lutas tiveram um fio condutor , uma storyline , com sempre bons golpes técnicos .
    Dou este ppv 7.5 de 10 , valeu pela volta de chyna aos ringues e a boa luta entre kaz e max. ( this is wreslting chants foram lindos).

  7. Não achei lixo o review, pelo contrário, as descrições e tal foram boas, o problema foi o porque dar notas tão baixas. Tipo, não foi um PPV foda, mas se foi na média, teria que ser PELO MENOS 2,5, por ter sido mediano apenas. Pra mim foi bom, overall do PPV 3. E outra, dessa vez, você pecou, preferiu a velocidade incerta, por não ter visto tudo corretamente devido as streams falhas, do que rever, e ai sim avaliar tendo duas opiniões diferentes, e uma completa e tal.

  8. Assistirei novamente o evento, mas na hora não vi nada disso que o povo está falando.

    Só um adendo, wrestling é entretenimento, não esqueçam a necessidade de um estar fortemente ligado a outro, pois se eu quiser simplesmente ver dois caras lutando, vejo o UFC! 😉

  9. Eu daria ***, sem dúvida. Pra mim, tudo que me entretem, é entretenimento. Não importa se é UFC, WWE, WWF, Kart, TNA, se entretem…

    Mas enfim. Esperava mais da WHC Title Match, que vem desapontando ultimamente. Percebi uns Botches do RVD, como a tentativa de Monkey Flip no Sting, onde ele simplesmente caiu. Tomara que Sting vs. Anderson seja melhor…

    Bom, eu achei o PPV emocionante do início ao fim, mas algumas lutas poderiam ser melhores. Agora veremos o futuro da Chyna na TNA.

  10. Bem, mais fácil eu fazer um artigo sobre como eu vejo wrestling, e ver se consigo convencê-los ou não, mas pelo menos que entendem a maneira como enxergo as coisas e porque dos meus critérios, a priori sem lógica, mas depois perfeitamente compreensíveis…. 😉

      • Depende muito, a caracterização de personagens da WWE favorece, ao contrário da TNA. Na TNA conta-se nos dedos os personagens que dá para se levar a sério…

        • Ok, ele leva o Cena mistura de 100 coisas a sério, leva o Kofi Kingston a sério e não leva o Brian Kendrick? OK…..

  11. Pô, eu me surpreendi com o PPV, não estava à espera de lutas boas, principalmente dos velhotes no ME.

    Acho meio “paia” você optar por dar as notas de uma luta, no conjunto de história… História pra mim, é só uma coisinha que completa a luta, o resto, é tudo para os Shows semanais, onde tudo se inicia, e tem seu desenvolvimento. No PPV já é outra coisa.

    Bem, alguns errinhos que poderiam ser consertados por parte da TNA, como a Promo em PPVs, que não é preciso, assim como uma Falls Count Anywhere numa luta que né apenas uma Singles, e tbm estipulações à serem decididas na hora de uma luta sem alguém sequer saber, como Dreamer vs AJ… Pq não anunciam no iMPACT? :S

    Gostei de AJ vs Dreamer mesmo que o segundo já tenha passado da hora de aquetar-se e o errinho dito acima. Tbm curti Kaz vs Max e me surpreendi com Abyss vs Crimson, que pra mim, era uma das lutas que eu menos esperava ser boa.

    Ok, entendo seu ponto de vista sobre as notas, mas acredito que às vezes exagera! xD

    Minha nota ao PPV é um **3/4 por conta de tudo que eu falei ali, e creio que esses erros não houvessem, eu daria uma ***1/4 NO MÁXIMO!

  12. Tempo recorde hein, legal. Gostei da análise, como sempre mandando bem nas reviews, mas seilá cara, nem li com muita atenção, porque ultimamente não venho vendo graça alguma na TNA. Mas sempre há quem goste….

    Espero voltar a gostar da TNA, hehe. Abs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s