TNA :: Destination X – 2011 :: Roundtable

No âmbito da parceria entre o Get Ready to Rumble e o Universo Wrestling vimos desta forma partilhar o nosso Roundtable de revisão do Destination X da TNA. esperemos que gostem e que deêm fedback como da última vez 🙂

TNA: Destination-X
IMPACT WRESTLING Zone
Orlando, Florida
10/07/2011
Comentadores: Mike Tenay e Jeremy Borash

– Singles Match: Samoa Joe vs Kazarian
Muito bom começo de PPV. Joe esforçou-se bastante neste combate contra Kazarian. Joe tinha o “choke” aplicado, mas Kaz conseguiu chegar às cordas dando origem a uma discussão entre Joe e o árbitro Earl Hebner, até que Kaz, surpreendeu todos com um “front rolling cradle” para a vitória.

“The Icon” Kapitas: O público esteve bem no apoio a Joe que dominou grande parte dos minutos iniciais da contenda. Samoa Joe apareceu com uma imagem mesmo muito forte levando o combate para o exterior e mastigando Kaz de um lado para o outro, onde este ia tendo rasgos de instinto que nunca ultrapassaram um ou dois golpes consecutivos. Isto começava a parecer um squash compridinho visto que Kazarian não parecia ter argumentos para um tão dominador Joe.

Interessante a forma super inteligente como este combate foi “bokado”… Joe castiga durante quase todo o combate, mas de repente Kaz saca um movimento springboard que inverte completamente o domínio do poder. Ou seja, querem que alguém engula que depois de ser fustigado ele mamou dois feijões mágicos e agora já consegue acertar tudo?! Qual Super Cena qual quê… É que o Samoa Joe ficou mesmo sem chance e comeu com os moves todos durante um bom período, até conseguir ir também ele à saquinha dos feijões mágicos e recompor-se.

Quando parecia que o combate ia ser mais uma vez baseado na ofensiva de Joe, que regressava ao domínio, chegando mesmo a aplciar o Rear Naked Choke, é aqui que Kazarian aplica um roll-up.

Penso que juntar Samoa Joe com Kaz para fazer um combate destes é um insulto para com quem paga bilhete. Ambos podiam dar um excelente combate, sem que Kaz tivesse tido uma vitória completamente desprovida de qualquer mérito, algo que não acrescentou absolutamente nada ao seu personagem…
Nota do combate: *1/2

NunoTaker: O show começa bem, com um dos melhores combates do PPV. Samoa Joe igual a si, muito físico, a conseguir explorar todo o seu Move-Set, com o Kazarian “a ver”, até conseguir equilibrar a contenda… Pessoalmente esperava a vitória do Kaz, mas não a queria, pois a actual Storyline do Joe resultaria melhor sendo Heel, pois uma Losing Streak, só serve para um Turn e sendo o Joe um Babyface “moderado”, com o apoio incondicional que ele tem do publico, o Heel Turn não resultaria lá muito bem… Outro facto interessante é a vontade de Samoa Joe querer vencer por Submissão, tendo vindo a perder combates por causa disso… Kaz com aquele Roll Up, literalmente roubou o combate ao Joe, que estava a deixar a sua marca no PPV. Para a história fica a vitória de Kaz sobre Samoa Joe.
Nota do combate: *** 1/2

Beowolf: Combate sólido como deve ser qualquer opener, mas não passou disso, o que desaponta imenso tendo em conta quem são os dois intervenientes. E deu-me a sensação durante este combate que Samoa Joe tinha perdido alguns quilitos. Não gostei de que o combate tivesse terminado por roll-up, mas enfim, isso são gostos pessoais. O combate pecou por falta de história por detrás e já se viu muito melhor vindo dos dois, e tendo em conta que era um ppv para mostrar o de que melhor havia na X-Division, as suas prestações poderiam ter sido muito melhores.
Nota do combate: *1/4

Passam “clips” do PPV de 2005 chamado Unbreakable com Joe vs Daniels vs AJ Styles. Eles estão realmente a publicitar bem o combate entre Daniels e Styles como um verdadeiro “main-event” para ver quem é o melhor X-Division wrestler de sempre.

Eric Young apareceu num “show” de autógrafos com Curry Man e Suicide a assinarem autógrafos. Suicide está lesionado. Sangriento também está a assinar autógrafos (Amazing Red com uma máscara). Curry Man (Daniels) disse que Suicide está lesionado, Sangriento não tem um visa como deve de ser e ele tem de descansar para um combate com Cody Deaner em Tokyo amanhã (disse o Curry). Eric Young precisa de um parceiro dizendo que Danny Partridge não apareceu, isto porque uma data de pessoas do “show” de Danny Bonaduce estão aqui. Shark Boy fazendo de Steve Austin, disse que ele seria o seu parceiro.

– Singles Match: Doug Williams vs Mark Haskins
O público não esteve muito dentro disto pois não conheciam Haskins. Este último não conseguiu fazer uma boa primeira impressão, particularmente com o público ao vivo. Ele trabalhou como “face” mas ao longo do combate, foi apupado. Foi um combate normal durante a maior parte, e duro num “spot” ou outro. Haskins foi até à corda superior, mas escorregou e caiu da corda superior. Ele depois voltou à corda superior (visto que assim era o final), falhou o “Shooting Star Press” e Williams fez o “pin” com um “Schoolboy”. Eles apertaram mãos quando acabou.

“The Icon” Kapitas: Antes de passar ao combate própriamente dito quero só deixar um aparte… O Rob Terry já justifica um sutienzito não?! Outro detalhe interessantíssimo é ver pessoas que pagam bilhete para a fila da frente para estarem sentadas… O que quererá isto dizer?!

O miúdo, coitadinho, ainda tentou puxar pelo público, arrecadando reacções de meia duzia por meia duzia de segundos, mas pronto, tentou… Se a intensão da companhia era testá-lo nos Estados Unidos penso que até não se safou mal, apesar de ter levado uns boos quando escorregou do corner antes de ir para o SSP. No entanto acho que esta não é a forma correta de enquadrar um lutador numa companhia, pois para alguma coisa existem os house shows.

O combate até foi porreirinho, deu para mostrar o puto sem ser posta de parte a acção de Doug Williams. Bons moves de parte a parte… História bem contada… Missão cumprida… É isso…
Nota do combate: *3/4

NunoTaker: Nota inicial sobre o combate: o bronzeado “natural” do Doug Williams. Mesmo aquele bronze típico das praias solarengas do Norte de Inglaterra, onde chove todos os dias… enfim, Open Challenge, aparece um John Morrison Wannabe, quando devia aparecer ou um Jay Lethal ou o próprio Kurt Angle! Só de pensar no que o Kurt e o Doug poderiam fazer, até dá água na boca só de pensar na genialidade da coisa, pois se pensarmos, a noite de Domingo era dedicada à X Division, (e o Kurt é um ex-campeão da X Division) e não a um indivíduo que se diz que vai ser um grande lutador da X Division… É ele e o Sangriento… Relativamente ao combate, Doug Williams como Heel (como se não houvesse show na semana anterior, em que o Doug era Face, mas pronto…), e um Face pouco convincente, protagonizou um dos combates menos apelativos da noite, mas que mesmo assim, teve um nível aceitável, pena o final “desenrascado”por culpa do Botch do Haskins.
Nota do combate: **

Beowolf: Outro combate sólido, mas que começou a sofrer um pouco devido a falta de interacção do público, provavelmente porque a grande maioria não conhecia a figura. Alias, quem é que teve a brilhante ideia de fazer o debut de um desconhecido num ppv? Só se faz debuts em ppvs de pessoal que o publico conheça, para assim causar mais impacto.

A prestação de Mark Haskins não foi a melhor muito provavelmente por nervosismo, e foi muito manchada por alguns botches, principalmente no segmento final quando ele tenta aplicar o Shooting Star Press. Oh sim, e é o segundo combate que termina com um roll-up.
Nota do combate: *1/2

Austin Aries disse que ele era o mais completo, melhor wrestler no roster da TNA e que vai mostrar isso no “Four-Way Match”.

– Tag Team Match: Generation Me vs Eric Young and Shark Boy
Combate curto, veio assim do nada com nenhuma história e os fãs não queriam saber. Young fez o “pinfall” sobre Max depois de Shark Boy ter atingido um “Stunner” e Young com um “Wheelbarrow” directamente para um “Back Suplex”. A maioria foi para mostrar Young, com os seus dois títulos, barba épica e fazendo a sua “gimmick” aonde tira as suas calças (tipo Jerry Lawler a puxar para baixo a tira da roupa dele).

“The Icon” Kapitas: Combate de equipas mediano. Confesso que estava à espera de um spotfest muito maior. Os irmãos Massie estiveram muito bem, mostraram-se uma equipa muito disciplinada ao contrário de Eric Young e Shark Boy, algo que já era de esperar visto não serem uma equipa oficial.

O segmento inicial foi bastante interessante, ambos tentaram cativar o público, que, já desde o final do primeiro combate parecia ligado às maquinas. Acho que o pessoal na arena partilhou da minha angústia em relação ao primeiro combate.
Sem muita história para contar…
Nota do combate: *3/4

NunoTaker: Eu tenho os GenMe em muito boa consideração, é das Tag Teams mais talentosas do Mundo, muito irreverentes e perderem para o Eric Young e para o Shark Boy foi assim um golpe baixinho… Até porque o Shark Boy podia muito bem ter sido chamado para este combate para sofrer o Pin dum dos GenMe… agora, uma equipa formada “à 5 minutos” vencer uma equipa que já andou na contenda pelos títulos de Tag Team, arranha a imagem de qualquer equipa, mas eles próprios deviam ter noção do papel deles na TNA, dado o pedido de rescisão do contrato. Já o Eric Young, merece a vitória. É dos wrestlers que compreende bem o que é comédia no ringue, e mantendo-a na dose certa, torna-se extremamente agradável de ver. O combate foi relativamente superior ao anterior, muito rápido, bom ritmo, ao nível do que foi o PPV.
Nota do combate: ** 1/2

Beowolf: WC time. Eu já vi Eric Young ter muitas gimmicks parvas, mas esta recente é não só idiota, como chega a ser um insulto a nossa inteligência, e é pena, pois já ficou provado que Eric Young é capaz de ter uma gimmick séria e que cause impacto. É um desperdício na minha opinião.
Nota do combate: 1/2*

Styles e Daniels nos bastidores a falar um para o outro que vão dar cabo disto tudo.

Entrevista de Zema Ion. Ele disse que é a maior noite da sua carreira. Capacidades de promo não foram as melhores, mas ele tem um grande visual e mostrou que é uma futura estrela. Depois de Aries, obviamente que desiludiu.

– Ultimate X Match: Shannon Moore vs Robbie E vs Alex Shelley vs Amazing Red
Bom combate, não um dos melhores Ultimate X Matches, mas não foi mau de todo. O final viu Moore subir o poste da iluminação enquanto que Red trepou os cabos que direccionavam ao centro. Shnoon consegui derrubar Red que ficou maltratado no chão, o que permitiu a Shelley subir e derrubar Moore para conseguir sacar o X que estava no centro. Ele dedicou esta vitória a Sabin que estava no backstage e apareceu para parabenizá-lo pela vitória.

“The Icon” Kapitas: Alto, o público acordou!!

O primeiro erro deste combate aparece mesmo antes do mesmo começar. Robbie E. como único heel?! Para começar, quem é Robbie E!? O que é que ele ainda está a fazer ali?! Por amor da santa…acho que ninguém comete um erro destes…

Era mais do que óbvio que o fan favourite era o Shelley, mas também a forma como o combate foi conduzido propiciou a que isso acontecesse com este a começar muito bem, estando em toda a acção dos minutos iniciais, ou a dar, ou a apanhar, mas Shelley lá estava… e quando não estava por segundos, é porque estava a chegar…

O Red parecia o “Dream Crusher” era sempre a salvar a pátria quando alguém se chegava perto do “X”. Robbue E e Shannon Moore quase nada fizeram no combate que, sem grandes spots nem grande acção em ringue se tornou num dos mais fracos Ultimate X da história.
Nota do combate: **1/4

NunoTaker: Chega-se a um dos combates mais esperados da noite. Gostei (como sempre) do desempenho do Amazing Red… Penso que é um lutador bastante peculiar, com um Move-Set diversificado mas limitado devido às suas baixas dimensões, mas com um Manager jeitoso, poderia passar a figura de destaque na TNA. Se há lutador que personaliza a X Division, é o Amazing Red, e como tal, merecia muito mais tempo de antena, e de acção, principalmente… Mas voltando ao combate, acho que deixei ciente que eu gostaria que tivesse ganho o combate. Ganhou o Alex Shelley, não desgosto da ideia, mas detestei o final… Não só acho que este foi dos Ultimate X Match mais fracos dos últimos anos, como aquele final com a Cookie a agarrar a perna do Shelley durante 10 minutos (exagero) para que o Shannon Moore e o Red estivessem a postos para a sequência final do combate, tirou bastante brilho ao combate…
Nota do combate: **1/2

Beowolf: Tenho duas coisas a dizer acerca deste combate:
1º Eu simplesmento odeio o Robbie E. Acho-o uma copia barata do Zack Ryder ( apesar de me terem dito que a gimmick do Zack veio depois) e o facto de andar sempre com aquela coisa guinchante(Cookie) atrás não ajuda muito.

2º Este foi talvez o Ultimate X match mais fraquinho de sempre. É verdade que houve aquele momento em que Shannon Moore subiu a plataforma superior, mas levou a um dos finais mais estranhos e anti-climáticos de um Ultimate X. Fraquinho na minha opinião, mas mesmo assim, foi um bom combate, com os spots do costume.
Nota do combate: **

Low Ki em entrevista onde afirma que a vitória no combate seguinte lhe premitia ter um contrato numa companhia onde o Wrestling relamente importava. Estaria ele a falar de um contrato com a New Japan?

– Singles Match: Rob Van Dam vs Jerry Lynn
Apesar de ambos os competidores terem dado duro, a dinâmica dos nos 90 já não estava lá, isto adjuvado da audiência não estar propriamente com eles não ajudou muito. Estes tentaram reavivar alguns spots de antigos encontros entre eles, mas como já estamos a uns anos de distância do passado, o pessoal não se apercebeu lá muito bem do que eles estavam a fazer. RVD terminou a sangrar da boca e do olho direito. O sentimento que ficou foi que teria sido um combate excelente se realizado numa altura diferente com um público diferente. O final viu um Van Daminator seguido por um 5Star Frog Splash. É impressionante que apesar da idade e das lesões que teve, como é que Lynn ainda consegue dar um bom combate.

“The Icon” Kapitas: O público mostra um bom apoio a Jerry, sendo contra atacado com o público de RVD. A batalha começa nas bancadas antes de ter sequer sido dado o primeiro murro. Um apontamento positivo, pelo menos numa fase inicial.

O combate mostrou dois velhos leões que se conheciam como a palma das suas mãos. Um grande respeito mostrado um pelo outro, muitas manobras evitadas de parte a parte, alguns contra golpes pelo meio, no entanto, como a idade já não é a mesma de há 10 anos atrás o combate acabou por se tornar lento, com algumas paragens, aproveitadas para receber uns aplausos.

Apesar de ter alguma ferrugem por limpar e uns quilinhos a mais, Lynn ainda se apresenta numa forma muito boa. Eu continuo a dizer que este homem passou ao largo de uma grande carreira pois lá skills ele tinha.

O momento em que Lynn saca da primeira cadeira trouxe uma magia extra ao combate. Aquele primeiro spot foi fantástico apesar de achar que o sangue no sobreolho de RVD tenha sido “bladding”. Este toque à la ECW foi uma boa ideia e funcionou na perfeição e ajudando a elevar o final do combate.
Nota do combate:***1/4

NunoTaker: Combate clássico. O público dividido entre dois dos mais acarinhados lutadores do panorama actual. Pela primeira vez, assisti a um combate em que realmente havia gente contra RVD. Combate pautado pelo respeito no inicio, mas com Jerry Lynn a optar por uma estratégia diferente que lhe permitiu dominar o combate durante grande parte do tempo.

A sequência final do combate foi fenomenal, do melhor que há por aí. Estes senhores, estão longe de ser velhos, apesar de serem veteranos… Tem muito para dar, ainda. Engraçado foi ver como foram usadas duas cadeiras num combate com DQ (pois não havia nada a indicar o contrario).
Nota do combate: ***1/2

Beowolf: Muito bom combate, onde ambos deram o seu máximo. Jerry Lynn teve uma óptima prestação tendo em conta a sua idade e lesões que sofreu ao longo da sua carreira. E devo acentuar que RVD continua a vender golpes que nem um animal (flip powerbomb O.O). É o combate que a gente já queria ter visto anteriormente quando fizeram o ppv em honra a ECW, e sem duvida valeu a espera.
Nota do combate: ***

– Fatal 4 Way Match: Jack Evans vs. Austin Aries vs. Zema Ion vs. Low Ki
Vencedor ganha um contracto com a TNA
Melhor combate até agora. Uma porrada de grandes moves executados por todos os quatro. O final viu Evans aplicar em Low Ki a huracanrana do turnbuckle que viu Low ki voar no ringue. Evans ameaço o 630, mas Ion atirou o para baixo das cordas, para de seguida palicar o 450 em Low Ki. Evans acabou mesmo por aplicar o 630 no prostrado Low Ki, mas este safou-se, ao que Austin Aires aparece e aplica um dropckick seguido por um brainbuster no ex-WWE e efecua o pin para ganhar o contrato. Todos os 4 deveriam de ser contratados, pelo menos por aquilo que mostraram aqui!

“The Icon” Kapitas: É que nem vou perder muito tempo com isto. Fantástico o combate!! Vejam…aconselho vivamente!!

Vou apenas destacar que os quatro funcionaram extremamente bem, logo tenho que dar os parabéns a quem os seleccionou e escreveu o script para o combate. A situação entre Low Ki e Aires foi bem trabalhada tendo estes dominado grande parte da acção. Nada de estranhar visto terem um background bastante semelhante. Ion dava em força aquilo que Evans dava no ar, aglo que contrabalançado com os estilos bastante completos de Austin e Low Ki conferiu spots incríveis ao combate. E atenção, aqui funionou muito bem apenas um heel para três faces.

Uma pequena nota para os cânticos de “sign them all”… Não é bem assim… Aires já tem o contrato garantido, Low Ki já é conhecido e já se sabe no que ele pode dar, Ion é forte e marca uma boa presença, mas ainda não provou nada para além do seu atleticismo e o Evans ainda é novo e ainda tem um longo camino pela frente para merecer destaque numa Main Stream. Jogaram bem em equipa, falta ver o que dão em singulares…
Nota do combate: ****1/4

NunoTaker: O combate da noite. O chamado Spot Fest a que os fans de Wrestling gostam de assistir de vez em quando. Zema Ion mostrou umas boas manobras. Austin Aries mostrou o lutador completo que é. Low Ki mostrou o que podia ter dado à WWE. Jack Evans mostrou ser o Highlight Reel a que já nos habituou. É um lutador que embora tenha um excelente e impressionante Move-Set, acho que não seria devidamente aproveitado na TNA, um pouco à imagem de Amazing Red. De salientar os cânticos de “Everybody” no inicio do combate, representativo de que quem quer que ganhasse o contrato, o publico não ia ficar insatisfeito. O contrato foi para o lutador que reúne as melhores condições de ser uma adição para o Presente da X Division, podendo vir a ser muito rapidamente o Top Heel dessa divisão, já que Robbie E não o conseguiu…
Nota do combate: ****

Beowolf: Porque é que todos os combates na TNA não são como este? Se a TNA fizesse combates com esta qualidade em todos os shows e ppvs, não estaria agora nas ruas da amargura. Sem dúvida o combate na noite, senão o melhor do ano na TNA. E devo concordar com o publico neste combate, dêem um contrato aos 4, pois são uma melhor aquisição que qualquer Steiner, Hardy ou Hogan.
Nota do combate: ****1/2

– Singles Match: Abyss vs Brian Kendrick
Combate pelo X-Division Title
Kendrick venceu o combate e o respectivo título que estava em jogo. O público não se interessou por grande parte do combate que, basicamente, viu Abyss dominar Kendrick que não estava a conseguir vender nenhuma ofensiva. O final viu Abyss dexar Earl Ebner KO com uma clothesline, Bischoff apareceu e levou de Kendrick. Bully Ray, Gunner e Scott Steiner apareceram e atacaram Brian que foi salvo por alguns membros da X-Division e engalfinharam-se com os Immortal. Brian lá conseguiu voltar ao ringue e quando Abyss se preparava para o Chokeslam este consegui contra balançar com um roling cradle pin. Com este final, e principalmente com este combate, Kendrick ficou completamente descredíbilizado como campeão. Como a X-Division também já não interessa de muito à companhia isso também não será problema…

“The Icon” Kapitas: Bryan Kendrick fez lembrar o Colin Delaney na ECW da WWE…Enfim…6 minutos a enfardar antes de aplicar a primeira murraçada que saiu bem forte por sinal abrindo lhe o sobre olho…adivinhava-se outra brincadeira ao estilo do que fizeram com o Joe e o Kaz e a verdade e que depois de apanhar milhões o Kendrick sacou dos feijões mágicos. Domina um bocadinho e torna a levar porrada, mas é aqui que o incrível acontece, mal o árbitro é knockauteado por Abyss, Kendrick já consegue aplicar ali um move pomposo e vai para o pin…já viram?! A assistência conseguiu contar até 10…que azar das trevas…

É pá…este cabelo do Bischoff vai lá vai…tava a ver que a cambada não vinha…mas o mais engraçado de tudo é que, na cambada face vêm os Generation ME e o Shark Boy que, supostamente andaram à patada há uns minutos…vale a pena continuar a falar em coerência?! E não me venham com a historinha de que representam todos a X-Division que não cola…há imensos lutadores que a representam, bastava pegar num face qualquer…até não digo que não viesse depois junto com a cambada toda, mas ali tinham uma boa oportunidade para destacar os face da dita divisão.

Parei de ver por aqui, senti-me insultado de mais, mas pelo que li no report, isto ainda piorou…Uma mudança de título num segmento de 15 minutos…onde já se viu?!
Nota do combate: 0*
Nota do segmento: 0*

NunoTaker: Talvez, a par do Williams vs Haskins, o combate menos bom da noite. Mesmo assim, foi o consagrar da possível salvação da X Division. Os próximos Impact’s vão confirmar se a X Division é para manter ou se vai acabar às mãos de Abyss. Isto porque, embora o título tenha mudado de mãos, o verdadeiro teste prende-se com Brian Kendrick conseguir mantê-lo depois do Hardcore Justice, onde aí, possivelmente vai ser posto em jogo o X Division Championship, num combate em que se Abyss vencer, o destino do Título mudará, tornando-se o Xtreme Championship. Pessoalmente, espero que isso não aconteça, pois não só a TNA não tem lutadores “Extremos” o suficiente, como tem talentosos lutadores capazes de fazer da X Division o principal chamariz da TNA.
Nota do combate: **1/4

Beowolf: Este combate foi o que eu disse que seria desde o inicio, um completo Squash match. Kendrick não saiu credibilizado com este combate, muito pelo contrário, mas tendo em conta como têm tratado o X-Division Title (Que chegou a ser o 2º titulo mais importante da companhia), não é de admirar muito.
Nota do combate: 1/2*

– Singles Match: AJ Styles vs Christopher Daniels
Um combate muito bom. O público continuava a não ajudar muito pois esteve calado grande parte da contenda, nunca acreditando em Daniels como vencedor, visto não mostrarem grande heat cada vez que este tentava uma submissão ou um acentamento. Foram cerca de trinta minutos de boa intensidade com bastantes moves aereos e dives, juntamente com algum cruzamento de movimentos entre os dois combatentes. Um bom clássico com ambos os lutadores a conseguirem fugir do finisher um do outro e onde o final foi desbloqueado após Daniels ter tentado o Agels Wings da tor rope, mas Styles reverteu atirando o de costas ao chão, aplicando de seguida o spiral trap para o pinfall. Daniels parecia desolado no final da contenda.

” The Icon” Kapitas: Um aparte antes de começarmos: Alguém reparou no “Hi Colt Cabana how are you doing” sign?! Aparece mais ou menos aos 4 minutos de combate…

Bem, este é quase o Undertaker vs. Shawn Michaels da X-Division. Dois originais destas lides. Acima de tudo dois amigos que se conhecem muito bem, quer em ringue, quer fora dele. Penso que a forma como juntaram a quebra do kayfabe à storyline funcionou muito bem pois cativou o interesse das pessoas para o Main Event.

Não vou alongar muito pois o combate foi muito, mas mesmo muito bom…vimos dois guerreiros em ringue num combate interessante que deixou àgua na boca para mais um possível encontro dos dois daqui a uns aninhos.
Nota do combate: ****

NunoTaker: Acho que este combate pecou um pouco pelo sentimento de “Encher Chouriços” que os lutadores tiveram quando olharam para o relógio e viram que faltavam 45 minutos para o PPV acabar e eles já estavam a entrar em ringue. Obstante esse facto, o combate foi muito bom, com uma boa história aplicada pelos dois, com os dois lutadores a mostrarem que conhecem bem, e com a TNA a não fazer o que seria algo expectável, isto é, o Heel Turn de Daniels. Para culminar um bom PPV, um bom combate, com respeito entre os dois lutadores.
Nota do combate: ***3/4

Beowolf: Um combate bastante longo, mas que sem duvida deixou vontade para mais. AJ Styles é sem duvida o melhor wrestler da companhia, e Daniels conhece-o como ninguém, por isso sabemos que quando estes dois estão juntos, coisas boas e grandiosas acontecem. O combate foi sólido e não teve um momento parado sequer, mas infelizmente não foi acompanhado por um público decente que soubesse puxar por ambos, pois certamente ninguém naquela arena acreditava que Daniels vencesse este combate.
Nota do combate: ****

Considerações Finais (por NunoTaker): Em conformidade com toda a IWC, eu também estou extremamente agradado com o Destination X. Foi um PPV bastante conseguido, onde lutadores que normalmente não recebem o destaque merecido, puderam mostrar o valor que têm e provar que são bem melhores que muitos dos que figuram PPV sim, PPV sim. Outra nota de destaque prende-se com o possível canto do cisne da X Division neste PPV. Terá sido a ultima vez que vimos a X Division no seu esplendor na empresa de Orlando? Eu espero que não, mas o sentimento que eu tenho em relação a este PPV é que a TNA pode estar a pensar fazer aquilo que a WWE fez com combates como Hell In A Cell, Money In The Bank, ou TLC. Centra-los num só PPV. A meu ver, mostra a importância que os “manda-chuva” da TNA acham que a X Division tem na estrutura da companhia. Não são bons o suficiente para figurar semanalmente no Impact, mas uma noite por ano, vamos dar-lhes o destaque (que eles merecem). Espero que a TNA prove que estou errado e que começe a mostrar que se o Wrestling realmente interessa, tem de haver mais um pouco de “Destination X” no Impact.

Report traduzido do F4Online
Revisão por “The Icon” Kapitas, Beowolf e NunoTaker
Anúncios

10 comentários em “TNA :: Destination X – 2011 :: Roundtable

  1. De novo vi verdadeiros absurdos nas notas… Como assim 1,5 e 1,25 pra Joe e Kaz? ambos mostram mais de 10 minutos de pro wrestling bom. Sabemos que eles poderiam dar mais, mas era uma open match, ninguém espera uma open match com 20 minutos né? No mínimo 2,5 pra essa luta, que foi uma das melhores do PPV.

    Luta do Williams e adversário surpresa, sem muita objeção, curto, oponente decepcionante, luta fraca.

    Luta de tags… Como assim o personagem do Young é ruim? O cara está hilário desse jeito, cativando todos… A luta era o que eu esperava, média no quesito técnica, muito boa no sentido entretenimento… 0.5 estrela? REALLY? REALLY? 2 estrelas pra mim.

    Nota da Ultimate X poderia ser um pouquinho maior, mas nada muito alto, afinal, quem já viu Ultimate X entre Sabin, Williams e Bentley, ou mesmo de tag entre LAX e AJ e Daniels, ou várias outras fenomenais, essa deixou a desejar mesmo.

    Combate do Lynn e RVD realmente passou das minhas expectativas, muito bom, mesmo o RVD lento… Só mostrou que Lynn, mesmo mais velho, é melhor e merece mais destaque que o RVD. Notas plausíveis.

    Nada a declarar da fatal four way, até porque se algum de vocês desse menos de 4 estrelas, ia até Portugal agredí-los 😛

    Reclamaram que o Kendrick não conseguiu bater no Abyss… Po, um tem 1,70 o outro 2 metros… Só venderam a força do Abyss, nada anormal e nada absurdo. O final foi típico da TNA, mas foi bom, pois em tempos comuns, veriamos apenas trêm membros da Immortal acabar com TODA A X DIVISION. Mas não, tivemos algo coerente. A luta acabou como devia, Kendrick sai como campeão, nada de moral abalada, vocês estão exagerando… 0 estrela?? PQP, até desanima.

    ME achei abaixo das espectativas devido ao que o NunoTaker falou. Viram que faltava 45 minutos de PPV, e ficaram simplesmente 10 minutos em arm drags inacabáveis que fizeram que a torcida, já desacreditada numa vitória do Daniels, morresse de vez.

    Resumindo, maioria das notas discordo, e algumas são simplesmente absurdas… NunoTaker é o mais sóbrio de vocês, todas as notas coerentes, bem colocadas.

    • Concordo plenamente. 1,5 pra Joe e Kaz é imperdoável. De resto, achei bastante justa as notas.

      E Robbie.E já encheu. Sua catchphrase eh uma tosquice daquele Jersey Shore, sua Gimmick parece a do Ryder (porém pior) e a quela Snooki *cof* Cookie já encheu.

  2. Sério, a maioria de vocês ai são PÉSSIMOS com notas. 4 estrelas pra AJ vs. Daniels? Lynn vs. RVD foi bem superior, e ganhou nota mais baixa.

    ZERO estrelas pra X-Division Title Match? Por que isso, tá doido? A luta pode não ter sido uma das melhores, mas isso é exagero demais! Assim tbm com Kaz vs. Joe que fizeram uma luta mais do que ótima pra abrir o PPV e vcs dão 1 e meio pra ela!

    Deviam ter um bom senso maior ai hein, pois estão bem errados em algumas partes, principamente na sinopse da luta em azul, dizendo que a luta foi bom e talz, e na análise da luta falam totalmente diferente!

    • Boas caros colegas,..convém ler a justificacao das notas…pelo menos eu opto por analisar sempre todos os pontos negativos e apontamos pois acho que tem mais piada advertir as pessoas para os detalhes do que ver as coisas superficial ente…aceito perfeitamente as criticas pois o objectivo do post e que os leitores intervenham também dando os seus pontos de vista

      E sempre difícil de encontrar parceiros para esta analise, pelo que, como vejo interesse da parte do pessoal aqui no blogue venho disponibilizar uma vaga no post do mitb… Se estiver alguém interessado enviem e mail ate sábado para universo.wrestling@gmail.com

      • Se eu não fosse viajar no sábado, e com isso nem verei o PPV, eu participaria. Mas numa próxima eu estou apto sim, só nos comunicarmos.

  3. Eu ia postar o meu Overtime ontem, mas tive que sair, e hoje cheguei e exclui o que tinha e vou fazer outro, daqui a pouco eu posto, não saí do blog, e no meu próximo post vou explicar o que se passas.

  4. Li por alto e é aquilo, uns disseram coisas que não condiz com o que foi o pay-per-view, outros foram mais coerentes. Normal haver discordâncias, mas houveram discrepâncias… No geral acho legal a ideia, porém não entendo porque não há ninguém do Get Ready To Rumble. Aliás Kapitas, por que nós do GRTR também não temos um espaço no Universo Wrestling?

    • Como disse e uma questão de nos organizarmos e fazermos este post em conjunto pois e sempre difícil arranjar os 3 opinistas para o post…me deixa seu contacto e falamos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s