Overtime #14 – Money in the Bank 2011

Previsível, sem sal, morno, dispensável, monótono, chato: Atributos adequados para os pay-per-views passados. Surpreendente, incrível, fantástico, memorável = Money in the Bank 2011. Uma nova era começa na WWE, e vocês, caros leitores e fãs de wrestling, estão vivenciando esta era. E como eu disse outrora, a WWE tende a ditar o ritmo do wrestling estadunidense, e irá fazê-lo novamente. Siga o protocolo e confira o que aconteceu de tão memorável neste evento inesquecível…

https://getreadytorumble.files.wordpress.com/2011/04/bannerovertime.png?w=371&h=148&h=123

Card

SmakDown MITB Ladder Match
Divas Championship Match
Mark Henry vs. Big Show
Raw MITB Ladder Match
Christian vs Randy Orton – World Heavyweight Championship Match
CM Punk vs John Cena – WWE Championship Match

Smackdown Money in The Bank Ladder Match

Se fossemos seguir a linha do pensamento lógico o obviamente merecedor tem nome e sobrenome, Daniel Bryan, uma vez que ele é um dos melhores e mais promissores talentos da companhia, e atualmente seu personagem está estagnado no plantel. Uma maleta que garanta a title shot com certeza daria uma repaginada em Bryan, assim como fez com Edge, Punk e mais recentemente: Miz. Das maletas a serem disputadas essa era a mais imprevisível contenda, embora a da Raw estivesse deveras equilibrada, uma vez que o lógico não é o caminho adotado no wrestling em diversas ocasiões, ainda mais quando se fala em quem merece ou não. Dos presentes, apenas Heath Slater e Justin Gabriel não estavam no imaginário dos fãs como possíveis vencedores, embora no decorrer do combate a dúvida pairasse sobre a arena se eles seriam capazes de tal. No fim compreendeu-se que os dois entram para o seleto grupo de Shelton Benjamin’s ladder match role, ou como preferirem, σκάλα ρόλο Shelton Benjamin ταιριάζουν (Google translator de inglês para grego, um idioma que todos entendem). Como estamos acostumados com o ilógico da WWE, D.Bryan obviamente não era uma de nossas apostas, mas uma esperança. Sheamus, Wade, Cody Rhodes, ou até mesmo Kane estavam como os maiores favoritos.

Luta:

Um ponto positivo a luta vai ao número de habilidosos dispostos a aplicarem spots, e destes Slater e Gabriel foram os que mais se arriscaram – compreensível, uma vez que nada tinham a perder e precisavam fazer uma imagem para conquistarem status. Falhas notáveis de booking fizeram a qualidade da luta inferior ao que poderia ter sido feito com os wrestlers envolvidos, contudo isto é um mero retrato do que é o SmackDown atualmente, entretanto esta imagem também mostra em cada polegada que o problema da brand vem da equipe criativa, não dos wrestlers lá presentes. Das falhas, convém citar que foram oriundas do também ponto alto de booking: valorizaram o momento individual dos competidores – facilitando a atenção para quem vê –, entretanto em algumas ocasiões não havia competitividade, e o individuo tinha que esperar até chegar alguém para impedi-lo de pegar a maleta ou coisa parecida.

O que cito acima ocorreu algumas vezes, a mais notável foi com Sin Cara. Na ocasião ele esteve no ringue e não havia escadas, o que lhe obrigou a ter que descer para buscar uma até ser atingido por Barret, mas o tempo que levou para isto ocorrer tornou as cosias monótonas… Seguindo esta parte da luta, Cara se recuperou, mas em seguida foi atacado por Sheamus resultando no steroid powerbomb que quebrou a escada e lhe deixará de fora de ação por 30 dias. A reclamação basicamente vai ao seguinte princípio: 8 lutadores, e apenas um de pé?

No decorrer da luta a WWE percebeu e pediu aos lutadores (através dos árbitros) para que eles se recuperassem mais rápido dos golpes. Logo você vê, o sujeito sofre um duro finisher, que em situação anterior o deixou caído por tempos, mas agora se recupera em segundos (vide Rhodes que após Barret aplicar o Wasteland teve que se recuperar para impedi-lo de pegar na maleta, tudo porque os demais não podiam fazê-lo). Com isto, bem ou mal, ocorreu uma ligeira melhoria da luta, por outro lado forçou que muitos golpes fossem desvalorizados.

Pulando os defeitos, houveram bons momentos. A rápida união de forças entre Slater, Gabriel e Barret criou uma atmosfera diferenciada e incrementou o psicológico do combate, que foi muito bem trabalhado em cima disto. O momento em que os “flyers” deram seus vôos sobre os oponentes também vai para o highlight desta luta. A vitória sorriu a Daniel Bryan que teve créditos em um duro duelo contra competidores que valorizaram sua conquista. Cabe agora ver que rumo será dado ao seu personagem.

Avaliação: Levando-se em consideração as falhas de booking, porém que a crowd interagiu, os wrestlers souberam conduzir a história contada no ringue, e os bons spots proporcionados, ***3/4 é uma nota justa.

Divas Championship e Big Show vs Mark Henry

O público presente na arena de Chicago neste evento é o mais fiel público fã da WWE, mas acima de tudo, são pessoas com visão crítica do que estão assistindo e reagiram conforme o que lhes foi mostrado. Quando Bryan desprendeu aquela maleta a arena veio abaixo. Essa luta entre divas ser logo após este memorável fato é um completo anticlímax, por mais que na ringside Eve gritasse, batesse palma, ou fizesse um strip tease, ninguém estava se importando com a luta, nem mesmo eu, nem mesmo você.

O que vale citar então? Que a campeã reteve, e a fase “Model’s Champion” continua. Nessas horas eu fico realmente puto com o sujeito que bebeu o suficiente para engravidar Kharma e tirá-la de competição, logo agora, logo agora… Ela podia estar sendo campeã… De qualquer forma, ninguém se importa com divas mesmo, e se você se importa, bem, veja meu recado abaixo:

A avaliação será dispensada para não manchar a imagem do que foi este pay-per-view, assim como será dispensada a avaliação de Mark Henry vs. Big Show. Porém desta falarei um pouco a respeito… O combate encerra uma rivalidade violenta e que prometia uma luta sonolenta, mas por sorte foi uma pentada violenta (hã?) onde o Henry não deu espaço para Show, causando-lhe também uma lesão no joelho com a cadeira, afastando-o por tempo suficiente para se recuperar da lesão verdadeira. Agora teremos em breve Kane vs Henry, uma rivalidade que renderá lutas equivalentes ao rivotril na luta livre, assista e durma imediatamente.

RAW Money in The Bank Ladder Match

Voltando ao que realmente foi bom, considerando as duas exibições anteriores como um mero protocolo para preencher o card, segue a segunda ladder match do evento. Gimmick matches como esta tendem a ser violentas – sem precisar de sangue, o que muitos julgam ser o fator determinante para um combate violento –, além de violenta, uma Ladder Match com oito envolvidos é certeza de spotfest, ainda mais quando se as escadas e caras como Mysterio, Kofi e Bourne envolvidos (faltou John Morrison…).

Geralmente as participações mais marcantes são daqueles que aplicam os golpes mais arriscados, mas destacarei algumas das que julgo terem considerável relevância e seu motivo. Bem, The Miz caiu de uma altura capaz de matar alguém e lesionou o joelho, embora eu não saiba se foi kayfabe ou não, porém o que é interessante notar foi o seu “retorno”, quando todos os 7 estavam caídos. Mesmo sendo heel (o que não fez muita diferença em Chicago), e considerado “boring” por muitos, Miz arrancou uma reação incrível do público, fico me imaginando quando este cara tiver o seu face turn… Mas se é para citar reação do público vale mencionar as tremendas vaias muito merecidas que Rey Mysterio recebeu ao longo da luta. Desde a sua entrada até ao segundo soar do sino Mysterio era vaiado cada vez que chegava perto da maleta. Há apenas duas explicações para as vaias: o personagem está desgastado, ou ainda não degustaram o anão sendo World HEAVYweight Champion, se for, essa vai para o livrinho de anotações: Suas ações hoje e as conseqüências no futuro, e: como suas ações no passado influenciam no presente.

Evan Bourne, apesar de não ter tido a mínima chance de vencer, deixou sua marca na luta ao aplicar o shooting star press do topo de uma escada. Este provavelmente é um franco candidato ao Spot of the Year. Bem, a última participação marcante em minha opinião é a de Alberto Del Rio. Obviamente os outros tiveram sua importância no combate, mas se teve alguém que verdadeiramente sofreu o pão que o diabo amassou esse alguém foi Del Rio, o milionário mexicano apanhou de todos do começo ao fim, finishers, escadas, quedas, tudo que podia levar ele levou. Menciono então o brilhante começo de luta quando todos se voltaram a atacá-lo com as escadas na mão.

A última disputa pela maleta se deu entre o castigado Alberto contra o vaiado Rey. Em certos momentos Rey tomou a frente conseguindo ficar muito perto da maleta, porém em um ato de esperteza e desespero Alberto arrancou a máscara do “compatriota”, que foi obrigado a proteger o rosto abandonando a maleta para Del Rio. Detalhe sórdido para o incrível botch que foi no final, pois Rey Rey se desequilibrou e invés de cair para fora do ringue de imediato, ele bambeou para a escada de ADR, derrubando-lhe… Mas isto não fez diferença, o destino estava nas mãos do Señor Dinero en el Banco, Albertoooo Deeeeel Riooooo!

Avaliação: Um bom combate tem de tudo, desde a spots insanos até botches vergonhosos. Porém os pontos negativos foram esmagados pelo o que foi feito de bom, e muito se deve ao bom booking do combate, que não se torna monótono em momento algum, um ótimo entretenimento, entrando na escala ****.

Orton vs Christian – Wolrd Heavyweight Championship Match

(Se Orton for desqualificado, Christian se torna campeão)

Ultimamente o SmackDown – que há muito era meu show predileto – se tornou exatamente o que eu achava da Raw: um show semanal sem sal. Não sei como isto aconteceu, porém acredito que em breve isto mude. Porém muito se questiona de quem é o responsável por tal, até porque nós temos a tendência a procurar por um único responsável, não por todos eles. O culpado pela corte marcial dos fãs brasileiros é Randy Orton. Será mesmo? A luta pelo cinturão que representa o SmackDown define basicamente o momento da brand.

Alguns campeões precisam de microfone e outros do ringue para serem campeões. Alguns exemplos podem ser dados, Eddie Guerrero precisa apenas do ringue, John Cena do microfone, Randy Orton, do que ele precisa? Na formula 1 há dois pilotos que podem ajudar a explicar o que é Randy Orton e talvez nos ajude a compreender porque há tanto deste sentimento de overrated sobre ele. Vettel e Hamilton serão minhas cobaias: Vettel ano passado quase perdeu o campeonato da fórmula 1 por ser como Hamilton – que também foi campeão –: Audacioso e irresponsável. No campeonato 2011 Vettel é líder isolado e com folga, em uma distância para o segundo colocado superior a 50 pontos se eu não me engano. Dos dois, qual é meu piloto favorito? Hamilton. Por quê? Porque ele é competitivo e audacioso. E qual o problema com Vettel? Ele não traz competitividade ao primeiro lugar, embora seja um grande piloto. Voltando ao wrestling, aqui eu cito que Randy Orton é um grande lutador, porém todos os fãs já sabem que poucos caras o ameaçam em uma luta, acho que John Cena, Triple H, e Undertaker são os únicos que no presente momento trazem esta dúvida contra RKO.

O que tudo isso tem a ver com o combate? Eu parto do princípio de que um wrestler ter quatro (ou mais, sei lá) lutas seguidas contra Orton e perder todas elas torna a coisa saturada por si só, ainda mais quando as chances de vitória limpa são quase inexistentes. Vejamos, a luta entre Orton e Christian no Money in the Bank foi eximiamente correta. Correta, boa, sem erros – o que vai muito pela característica de Orton ser perfeccionista (Vettel está bem menos audacioso, muito mais cauteloso). Eu resumo meu pensamento ao comportamento da ruiva na primeira fila assistindo o combate, independente do que fosse feito no ringue ela pouco se importava, o final já parecia meio óbvio…

Citei Orton, porém ele não foi o único culpado. Christian neste combate teve apenas um único momento em que agiu como heel – afinal de contas o estilo de luta de um heel é diferenciado do face –, e este foi o final. Deixar para tornar as coisas interessantes no final é o que eu considero um erro. Entretanto este erro vai ao que se remete a luta como um todo, não ao resultado final. Da luta em si ela foi o feijão com arroz, o final foi a carne. Podia ser um simples filé assado como tem sido feito, porém a WWE resolveu nos dar um churrasco inteiro. Christian cuspiu no campeão, que se irritou e baixou o Pai Preto esquecendo completamente que se aplicasse um chute nos bagos adversários perderia o cinturão. E dito e feito, Christian é o novo campeão mundial dos pesos-pesados… Não se preocupem, até o SummerSlam teremos um heel de verdade como campeão.

Avaliação: Como eu disse, arroz com feijão, que pra mim é um prato ***, porém somando-se a churrascada no final, ***1/2, puta merda, to com fome… Quero leite. (riariariaria)

John Cena vs CM Punk – WWE Championship Match

(Se Cena perder, ele é demitido, if Cena wins we riot)

Em certos momentos, principalmente em época de UFC, eu me pergunto: Por que eu gosto de wrestling? Algumas vezes vejo cada coisa estúpida que me dá a vontade de simplesmente largar mão disso… Quando não são as federações, são alguns fãs, quando não, é o simples enjôo disto tudo. Porém essas idéias me fogem a cabeça quando vejo uma luta como essa. Se há uma maneira de descrevê-la em uma palavra, eu usaria: fantástica. Apesar dos “botches” ocorridos ao longo desta quase Iron Man Match, nada prejudicou o main event da noite.

Cena disputou contra Punk usando todas as suas armas e inclusive adicionando novos golpes (um uppercut na veia dos que julgam Cena e suas limitações, não é Chavito?), o Chicago Made respondeu a altura e o nível da luta foi se elevando conforme passavam os minutos. Para os que não compreenderam o combate e dizem não ter visto nada demais no que foi feito sobre aquele ringue, eu tenho uma coisa a dizer: Vão aprender o que é luta livre! Não importa se é opinião, algumas verdades são irrefutáveis. Esse duelo foi histórico, não só pela sua qualidade em si, mas por tudo o que representa. Não gostou?

Punk se declarou ser a voz dos que não são ouvidos, e disse tudo aquilo que todos nós sentimos e não temos como expressar. Aí explica-se o tamanho pop que recebeu. Aliás aqui vai uma observação, Cena muito malandramente jogou sua camiseta para um nítido fã, por que ele não tentou jogar no meio da galera e termos então uma repetição do que foi o One Night Stand de 2006? Nesse combate os fãs fizeram a diferença, até porque ele não foi feito entre dois wrestlers apenas, mas sim entre todos ali presentes, desde a ruiva sem sal que eu citei até ao esquizofrênico que ficou famoso por ficar ao lado de CM Punk na foto em que Philli manda beijinhos de good bye para Vince.

Oh shit! Acabei colocando a carroça na frente dos bois… A história do combate se trata sobre o melhor no mundo, a auto-comprovação de Punk, e Cena tentando provar ser capaz de render tudo aquilo que esperam de um grande wrestler. Entretanto eu devo ressaltar que ele precisa melhorar em alguns fundamentos como o kick out… Ao longo dos mais de 30 minutos Cena sentiu o que é a vida de um lutador do circuito independente, sendo “stiffado”, ver o público batendo na barricada, sentir o calor humano de perto. Como isto pode ser possível?

A enorme arena de Chicago carregou um clima, uma emoção, um sentimento tão forte que tornou tudo especial. Essa é minha principal justificativa para compreendermos como é possível assistir essa luta quantas vezes quiser sem enjoar, porque a carga emocional foi maior do que o tempo pode apagar.

O grande acerto deste evento vai para o booking, que foi mais refinado e minucioso, procurando pequenos momentos para contar a história da luta e explorá-la mais e mais. A presença de Vince e Laurinatis, Cena tendo Punk no STF porém largando-o ao perceber que ocorreria um novo “screwjob”, indo de encontro ao vice-CEO e nocauteando-lhe, e ao voltar ser atingido pelo terceiro GTS, sendo o primeiro bem aplicado/recebido, e recebendo o pinfall, 1, 2, 3!!!!!!!! A arena vem abaixo, todos comemoram, Vince em ato de desespero pede para Alberto Del Rio fazer o cash in, porém para não estragar este momento a equipe criativa decide que Punk deva sair por cima, e ele aplica um senhor chute no Señor Diñero en el Banco e foge.

Avaliação: Sinceramente, tudo contribuiu para o espetáculo que foi, o valor do combate, a técnica no ringue, como ele se sucedeu, o público interagindo, o booking, tudo trabalhou junto e faz essa uma merecida Five Stars Match, minha quarta Five Stars Match desde que eu assisto WWE (2006), para quem não conhece as outras três, aqui vão: Undertaker vs. Shawn Michaels (WM 26), Shawn Michaels vs Ric Flair (WM 24), Chris Jericho vs Shawn Michaels (No Mercy 2008). Detalhe sórdido, HBK não é um dos meus prediletos.

Respaldo final: O pay-per-view Money In The Bank 2011 entra para a lista dos melhores eventos feitos pela WWE desde que se tornou WWE, e o melhor dos últimos 4 anos sem sombra de dúvida. Duas ladder matches incríveis, um co-main event legal, e uma memorável WWE Championship Match. O que mais eu preciso? O que mais você precisa?

Anúncios

37 comentários em “Overtime #14 – Money in the Bank 2011

  1. SmackDown MITB ao meu ver foi uma luta sensacional, que apesar de todos esses defeitos e desvantagens apontados por você, não vi nada que cause grande desfalque no embate. Venceu, na minha opinião, muitos irão de discordar, o menos óbvio de todos. Ou vai dizer que exagerei em antes da vitória, pensar que a WWE nunca daria um cinturão mundial para Daniel Bryan.

    Ótimo combate, com grandes spots, e um tempo bem satisfatório que a WWE deu para a luta.

    Eu estou “curtindo” o Mark Henry, claro que dentro do ringue, não dá pra ter esperanças de algo inovador, mas fora dele, está fazendo perfeitamente o que deve ser feito. Estava sendo uma grande feud, Big Show e Henry, expôs bons segmentos, agora que a rivalidade acabou, acredito que não terá outro capaz de levar essa rivalidade com o Henry.

    MITB do RAW discordo totalmente com você, foi bem inferior ao do SmackDown. Sim, tivemos o grande spot de Evan Bourne, mas em minha opinião, o combate não foi metade do que foi realizado na Open Match. Em certos momentos me pareceu uma luta confusa, e diferente de você, não gostei da “batalha de escadas”. Final mais confuso ainda, com resultado óbvio.

    Não estou dizendo que não gostei do combate, foi bom sim, mas não me agradou como o SD agradou.

    Finalmente, Orton perde o seu cinturão (praticamente dele mesmo). Eu não reconheço mais esse Randy que estamos vendo hoje, faça das suas palavras a minha, enquanto dava o exemplo da F1. De matador de lendas, uma alcunha de extrema importância, ele se torna a víbora, jogada de merda, verdadeira merda. Hoje não temos mais o Orton habilidoso, de alta personalidade, de ambição dentro e fora do ringue, acabou aquele Randy Orton.

    SmackDown realmente decepcionando, com um ME desgastante e na minha opinião, muito mal elaborado. Luta razoável, com um final inovador, mas acho que essa inovação acaba por aí. No final, a WWE não podia deixar o Orton com pouca moral no PPV, lógico que não, tinha que fazer o Orton bater como cachorro louco no Christian, brincadeira…

    CM Punk e Cena, claro, grande luta, com uma crowd apoiando a cada minuto que se passava, e uma história que já dava conta do recado. Mas por favor, 5 stars? Não é demais? Vi uma luta em instantes lenta, ainda mais com uns dois botchs durante ela. Mas saindo do propósito do Meltzer, storyline marcante, que entrou para a história do pro-wrestling.

    Punk virou uma lenda, tanto talento para um wrestler tão jovem, que parece ter rodado a mil empresas por esse mundo. Parabéns também ao Cena, que deu tudo o que poderia dar, e fez um papel muito importante para esse destaque de CM Punk.

    Em geral, ótimo PPV, superando a anterior, que também foi um evento de exímia qualidade. MITB sem dúvidas chegou para ficar, para minha alegria, e acredito que de muitas outras pessoas também.

    Boa análise, Ricardo. Abraço.

    • Como disse, Daniel Bryan não era óbvio não, ninguém esperava por isso, nem pelo o que ele disse no SmackDown *spoilers*…

      E sobre a luta da Raw MITB, que isso cara… A da Raw não teve um momento monótono… Foi bem bolada pra caramba, não vi isso que você disse… Nem da parte confusa. Eles só estavam tentando pegar a maleta.

      Ah, só uma coisa, Punk já era uma lenda [das indys] antes de ir para a WWE, agora ele conseguiu entrar na história da WWE 😀

      Sobre a Five Stars Match, cara, a parte lenta que você viu é explicada pela psicologia de ringue dos wrestlers, a história sendo contada, ou você quer os caras no ritmo da coca por 40 minutos? Por isso que é mais fácil ter uma five stars com mais de dois no ringue, enquanto um descança, outros 2 lutam, e aí vai revezando…

      Enfim, vlw aê, Abs

        • É, mas Kane e D.Bryan possuem um histórico beeem diferente. Enfim, tomara que as influencias dele lá dentro surtam efeitos.

  2. SD MITB: Obviamente a Open Match, e acertadamente, já que a intenção e deixar, pelo menos num breve momento o Smackdown como show secundário.
    Luta boa e surpreendente, tanto pelo resultado, como pela qualidade da mesma, onde muitos achavam que seria inferior a da Raw.

    Divas: Nada a comentar

    Henry vs Show: Luta fraca, mas feud boa. Eu gostei de como Henry, como Heel, levou esta rivalidade e, vem fazendo um ótimo papel na minha opinião e deveria ser um os top heels, brigando por um dos títulos mundiais.

    RAW MITB: A luta foi ótima, mas na minha opinião não foi melhor que a do Smackdown, aliás, sempre quando tem uma Gimmick Match de cada Brand(MITB, Elimination CHamber, entre outras) a da Smackdown 80% das vezes é melhor. Resultado previsível na minha opinião, preferia Rey como Mr. MITB, mas Del Rio dará mais credibilidade à maleta.

    RKO vs Christian: Pelas regras impostas, Christian ganharia mesmo, já que seria o único modo dele poder arrancar uma vitória contra Orton e conquistar o cinturão. A luta em si não foi de encher os olhos já que esses dois seriam capazes de roubar o show se quisessem.

    Cena vs Punk: LUTAÇA, mas OVERRATED na minha opinião. O problema não é dar ***** pra essa luta, e sim que já houveram outras muito melhores que não tiveram essa avaliação, e isso estaria desvalorizando estas mais antigas, mas num geral eu daria **** 3/4, mesma nota de HBK vs Undertaker WM 25, melhor luta que eu já vi.

    PPV: Melhor do ano, sem dúvidas. Eu acho que se tirarmos a 2ª e 3ª luta, o PPV foi perfeito, e com isso, o Summerslam tem tudo pra ser um dos melhores do ano também, como tem que ser, já que é um dos Big Four.

    • Cara, quais outras que eu não dei ***** e mereceram? Ah, você tá falando do Meltzer? Ué, isso não tem nada a ver comigo e com a minha avaliação aqui não hehe

      No mais, é isso aí mesmo, SummerSlam se seguir a linha do MITB vai ser memorável.

      Abs

  3. Bom, eu ja dei minha opinião do PPV no WiCast, o PPV inteiro foi muito bom, eu ainda acho a TNA melhor que a WWE, mas se a WWE continuar assim, poderia mudar de opiniation

  4. Boa, Ricardo… E tá tomando o rumo certo de avaliar o PPV hein?! xD

    SD MITB: Não discordando tanto, mas acho que essa teve uma pequena melhora do que a da RAW. Achei mais emotiva, e uma característica melhor de uma MITB: Com tempo bem distribuído para o decorrer da luta. De princípio, por mim nem veria, pois pra que torcer por alguém apenas porque esta pessoa tirará o Title dos ombros do Orton? Mas conforme a luta eu vi de uma forma diferente. Os resultados estavam praticamente certos, mas vendo bem (O que quase ninguém faz), Sheamus não precisa de uma MITB para subir ao ME, sendo que a WWE já afirmou querer deixá-lo apenas por sua nacionalidade. Enfim, não esperava a vitória do Bryan, mas foi MUITO BOM, e agora resta torcer para que a WWE não faça suas cagadas de sempre…

    Divas Title: Como você diz, Kharma poderia ser Champion, e fazer uma luta muito boa, e imagine se isso mesmo acontecesse, como encararíamos esse PPV? Seria muito melhor. Mas mesmo assim, até achei a luta boa, mesmo que o tempo dela não ajudasse em nada, mas fizeram o que poderiam fazer, até porque KK como uma Wrestler é uma MERDA, sem contar as Bellas…

    Show vs. Henry: O maior problema de ter que esperar algo bom saindo dos dois, é que eles nem sequer tentam fazer o que corresponde o que ainda podem fazerem. Já que não conseguem levar a luta bem, porque não apelam e partem para uma sequência de Spots, que faz a luta parecer boa? É isso que seria melhor! Deixar a luta parada, pra apenas dar a emoção quando a luta acabar e lesionar o cara na perna, é algo que realmente não tem o que esperar.

    RAW MITB: Acredito que um tempinho à mais pra essa luta poderia ajudar, mas assim também foi bom demais. Não apostava tanto na vitória do Del Rio, e daria pra outro, mas sua vitória foi mais do que merecida. Minhas apostas iriam pra Rey, que era o único de mais confiança da WWE, e tomando os recursos que aconteceram ano passado, me influenciei por isso. Foi uma luta digna de MITB, com Spots, Botches com a Ladder (Tá, não precisava :P), e um vencedor que merece demais um World Title, principalmente porque já é tirado dos planos desde o começo do ano.

    WHC Title: Não foi como as outras dos últimos PPVs, mas foi boa. Só não gostei tanto pq Christian perdendo por DQ, só continua sendo desvalorizado, e não consegue vencer o Orton, mesmo que seja tradição um Heel vencendo por DQ, mas enfim, Christian agora tem o que ninguém mais esperava, outro World Title xD.

    WWE Title: Alguém exceto o Booyaka discordava de uma 5*? Bem, eu não! Muitas vezes quando eu julgo uma luta, é pelo que vejo no ringue, e eu vi uma 5* Match ali. TUDO foi importante pra isso, incluindo o Vince e o Cena, que ninguém dá os créditos na maioria das vezes. Como já disse, o Cena pode ser o cara mais chato, mas quando ele se esforça, ele consegue o que queremos, pois se é pra ser Superman, que seja direito pelo menos!!!
    Parabéns de mais à todos que bolaram isso, principalmente ao Punk, que começou tudo… e é isso, a WWE pode fazer várias cagadas imensas seguidas, mas faz UMA coisa boa, e praticamente apaga tudo o que foi feito (Eu disse PRATICAMENTE viu?).

    Melhor PPV do ano sem dúvidas, na minha opinião. E não foi por duas lutas que manchou ele, pois os principais anulam elas!

      • Em vários lugares… Mas não quis dizer exatamente apenas pela nacionalidade, mas isso já é metade da resposta por deixarem ele lá, pois a Irlanda não é um lugar tão comum para o Wrestling (No caso, para o Wrestling americano), e poucos conseguem uma carreira assim como a do Sheamus.. Então, querem preservá-lo, e ainda tentando buscar mais fundo a audiência dos país.

        • Nunca li isso, pode ter alguma relação, mas sua qualidade é tamanha, que ele ficaria lá sendo americano, irlandês, brasileiro ou chinês, o cara luta DEMAIS, um wrestler quase que completo e pronto pro ME.

        • 2 ou mais no Gustavo. Nunca li isso não, e ele é até apadrinhado de certa forma pelo Triple H. Confere melhor essas suas fontes aê cara.

  5. Lol, pela primeira vez concordo com tudo que você apresentou nesta ánalise Vamp (:

    Money in the Bank foi um Pay Per View muito bom, porém o low-card acaba prejudicando o show.

    Cumprimentos ;D

  6. Cristian imitou o Carlito e cuspiu no Orton pq ele não quis ser Cool…
    Boa análise Ricardo, não tenho muito o que discordar, o que importa é que o PPV foi o mais foda dos ultimos tempos, vamos ver como as coisas seguem agora na WWE se eles não derem aquela hagada de sempre tem tudo para ser bom \o/

    • Porque o build up não foi tão bem construído quanto o combate na WM 26, e a luta na WM 26 em si foi melhor mesmo, mais emocionante e tudo o mais.

      • Luta do WM 25>WM 26, mas storyline do WM 26>>>>>>>> WM 25. Num geral, se Joe vs Kobashi, Cena vs Punk e uma outra da AAA são 5 estrelas, as duas do Taker e HBK na WM deviam ser 6 estrelas 😛

        Como disse, Meltzer é exemplo pra outros, pra mim é um bosta sem critério, já que pra ele uma torcida animada vale mais que uma luta foda.

        • concordo gustavo o meltzer é um merda não me conformo que
          ele não deu 5 star match pra ladder match da wm 2000 e a
          tlc da 17 e o que me deixa é que ele não da 5 star para
          benoit vs hbk vs hhh, que pra min foi a maior luta da história.

          ps:o meltzer tem que saber que as vezes a torcida tá quieta não
          porque está ruim a luta,mas sim pelo suspense que as vezes a
          luta tem.

        • Muita gente o endeusa sem necessidade, mas ele merece respeito, o cara trabalha nisto há anos e entende bastante do assunto. Ele possui os próprios critérios, só não o convém ficar explicando detalhadamente e bláblábláblá.

  7. Alguém anda acessando MUITO Fuck Yeah Dementia lol.

    Enfim. Concordei com tudo. Foi um puta dum PPV e finalmente a WWE está mostrando do que é capaz quando realmente quer fazer bonito.

    Só não concordei com a 5 stars pra WM 26, eu achei a 25 melhor :p

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s