Overtime #16 – WWE – Hell In A Cell

Após um longo hiato de… Desde o Money In The Bank! Finalmente retorno com minha coluna semanal (deveria ser quinzenal!) onde faço mnha análise dos eventos pay-per-view da WWE e da WWE 2.0 com 2 velas e Kit Gás, ou para os que preferirem: TNA. Acredito que poucos tenham entendido o trocadilho acima, mas siga na continuação do post deste bom pay-per-view da WWE, que já fazia um bom tempo que não se via um diga-se de passagem.

https://getreadytorumble.files.wordpress.com/2011/04/bannerovertime.png?w=371&h=148&h=123

Com um card pouco atrativo a opção assistir o Rock In Rio, mesmo que em casa, parecia ser mais atrativa nos momentos que antecediam a video promo do Hell In A Cell. Mas eis que o show começa (e como era a Pitty que estava se apresentando…) e temos como primeiro combate da noite o ex-campeão mundial Celtic Warrior Sheamus frente ao também ex-campeão mundial Christian.

A rivalidade tem se sustentado em invasões e ataques, sem muita conversa, apenas para mantê-los ocupados no plantel e não ficarem sem planos, assim como para agradarem os fãs em boas exibições, como foi o caso. Infelizmente não posso citar muito da luta uma vez que o confronto mais interessante no momento era eu vs streams com lags. No geral foi um combate intenso e se encerrou com uma reviravolta de Sheamus levando a melhor com seu broken kick e terminando com pinfall.

Para dar sequência tuvimos una batalla entre dos guerreros mexicanos, Sin Cara vs Sin Cara. O heel entrou com uma theme song editada dando um clima mais maligno, dark, ou alguma coisa nesse sentido (__________ complete com a palavra que melhor se adequar em seu caso). Desta vez já havia encontrado um stream decente, e aliás: em HD. Mas era claro, ninguém queria ver essa luta… Nem mesmo eu, tão certo que em diversos momentos senti o sono me levando e não dava a mínima para o que estava acontecendo no ringue. A iluminação muito obviamente atrapalha e fez com que a parte mais legal tenha sido o pós-fight na zuação em comentários a respeito do Sin Cara Azul. Não sei porque mas para eles a palavra azul deve ser muito engraçada. Fico imaginando eles discutindo sobre Avatar então. Aliás, o Sin Cara Azul venceu.  (Viu como você não dava a mínima?)

O título de duplas foi o primeiro a ser defendido na noite, os campeões AirBoom reteram contra Jack Swagger e Dolph Ziggler. É interessante notar que em alguns instantes a divisão de duplas da WWE deu uma ligeira melhorada e com algumas ações simples – usar wrestlers que estão sobrando, uni-los, e eis uma tag team! Claro que não é tão simples como parece, tem que haver toda uma química e bom workers dispostos a tentar carreira em dupla, mas é só ver os resultados recentes para ver que essa é a melhor opção tomada. AirBoom, Swagger e Ziggler, Os Usos (embora não tenham sido muito usados ultimamente), e até mesmo Miz e Truth (deixarei para comentar melhor sobre eles no final do texto, já que são um caso a parte).  Boa vontade > All.

Um anticlimax para a boa sequência da relação resultados x bons combates é o combate seguinte entre Mark Henry e Randy Orton, a Hell In A Cell Match pelo World Heavyweight Championship. Não importa o que seja feito no ringue, não há como ser algo legal. Ou melhor, até tem: Daniel Bryan invadindo no final da luta e dando cash in. Mas como isso não aconteceu não é milagre para ninguém imaginar que este é um fortíssimo candidato ao momento mais fraco do show, certo? De atributo especial para uma Hell In A Cell Match pouco se teve, no máximo o mesmo que se faz em uma cage match. Henry venceu com seu finisher e segue seu reinado assustador, mas que por outro lado trouxe um bom rating no primeiro smackdown de reinado…

Após o combate, invés de conectar diretamente para a luta de divas, Cody Rhodes entra em campo, ou melhor, ringue, e vem com sua voz de pato dando entrevista ao Jornal Nacional falar mais um bocado de coisas que ninguém quer ouvir. Por isso eu coloquei o audio no mudo e me concentrei na minha querida Amy Lee cantando My Immortal, essa música me acende várias lembranças, assim como toda a exibição de hoje [02/10] do Rock In Rio. Tive que compartilhar os meus tímpanos quando vi John Morrison entrando no ringue. WTF? Os dois realizaram um combate interessante, com detalhes para o novo antigo cinturão intercontinental, Cody trouxe a vida (bring me to life na cabeça) o antigo cinturão e foi obrigado por Laurinattis a defendê-lo, mesmo que despreparado e trajando social. Apesar de ter se esforçado JoMo não foi o suficiente e com um roll up ou school boy (não estou seguro do que foi, nem lembro direito) Cody reteu a cinta branca.

Por incrível o que pareça, a luta de divas até o presente momento no pay-per-view era a que mais me fazia diferença. Afinal de contas, por quanto tempo será que a Kelly Kelly continuará trabalhando baixo para os bookers? (blow jobs, sacaram?) Bem, o prazo se encerrou no Hell In A Cell, e em uma apresentação digníssima Beth Phoenix conquistou o cinturão feminino da WWE, embora tenha necessitado de umas ajudinhas básicas de sua amigona Natalya. Ossos do ofício.

E enquanto assisto a Innervision – System of a Down entorpecido escrevo agora sobre o main event da noite, a Hell In A Cell Match entre Alberto Del Rio, CM Punk e John Cena pelo WWE Championship. Para compensar minha noite (queria muito estar na noite de hoje no Rock In Rio, embora eu tenha ido na noite do dia 25), John Cena não venceu desta vez! E de forma muito justa, diga-se de passagem. Durante o combate Cena prendia Alberto em seu STF quando Ricardo Rodriguez conseguiu a chave e abriu a cela, se encaminhava para atacar Cena, porém o Superman se protegeu e levou a luta pra fora da gaiola. Nisto Del Rio atacou Cena conseguiu trancar a jaula com Cena do lado de fora. Fantástico! A luta que estava padronizada e cadenciada em bom nível ganhou uma nova carga emocional. El patrón com a ajuda de um bastão dominou CM Punk de cabo a rabo e deu pau da luta se tornando WWE Champion pela segunda vez!

Detalhe sórdido para o número de vezes que o WWE title mudou de dono desde o Money In The Bank pra cá. Detalhe que do Royal Rumble até lá haviam sido apenas umas 2 vezes, se não me falha a memória. Acredito eu que a WWE esteja compensando o tempo de longo reinado do Miz, (sem contar o do Orton antes) bitchs love curtos reinados. Agora paremos para pensar: Del Rio prendeu Cena do lado de fora… Não, na verdade, Del Rio que se prendeu dentro da gaiola com Cena fora! Ele tem que sair de lá! E nesse momento, quando a jaula começou a levantar, Cena se aproveitou para vingar-se del patrón impiedoso, porém (holy mountain) ENTÃO Miz e Truth (eles foram expulsos da arena antes do primeiro combate começar, esqueci de citar) invadem e atacam todos presos dentro da gaiola.

Tudo ficou insano (areials)! A jaula que estava subindo então desceu, o locker room inteiro da WWE veio tentar abrir a jaula – lembrem-se que ela estava trancada -, enquanto Miz e Truth acabavam com todos! Triple H entrou em fúria… E até a polícia foi chamada, aliás eles abriram a jaula e prenderam os demitidos da WWE. HHH sem deixar por menos partiu com tudo para cima dos dois (vicinity of obscenity), mas foi separado e agora termina o show…

Acredito eu que de longe Slipknot foi a melhor apresentação do Rock In Rio, assim como esse final foi o ponto alto do show e cativará o público  a assistir a Raw amanhã, embora System of a Down esteja sendo bem animado e me trazendo lenbranças muito boas, assim como Evanescence fez. Gus’N Roses deixarei para amanhã pelo Youtube, mas Raw verei ao vivo e espero que o Modestinho faça o review para que eu tenha um espaço para comentar sobre o show, porque deve ser muito legal… Né? Ou pelo menos deve ser um tiro no pé e me deixar muito puto e eu vou querer esculaxar do mesmo jeito.

Enfim, aqui fica esse rascunho de overtime que está sendo postado mesmo assim e PULEM COM SYSTEM!!!! Tentative!

Anúncios

9 comentários em “Overtime #16 – WWE – Hell In A Cell

  1. É isso aê tiozão, bom resumo do PPV… e do Rock in Rio tmbm 😛
    Realmente desde o MITB a WWE não nos proporcionava um ppv tão interessante como este, o Hell in a Cell não é um ppv qualquer, ainda bem que eles não cagaram em cima como o Night of Champions.

    Christian vs Sheamus era uma das lutas que eu estava mais esperando. Gosto muito dos dois, acho que eles tem uma química bacana no ring, e provaram isso no ppv, agora espero que Sheamus tenha sua chance de disputar o WHC e fapça uma feud legal no ME.

    Sin Cara vs Sin Cara foi muito bom também, no momento me lembrou da feud Kane vs Kane, só que versão highflyers’-‘. No geral a luta foi bem movimentada, o que atrapalha mesmo como sempre, é a iluminação e tmbm nesta luta o público não estava interagido com o combate. Mas deu pro gasto…

    A tag Team match apesar de não estar no card, já era esperada. A cada semana que passa, Kofi e Evan se entrosam mais e mais, obtendo características de uma boa Tag. Já Ziggler e Swagger apesar de gostar dos dois, não achei que formaram uma boa tag, posso estar enganado pois é a primeira vez que vejo os dois lutando como dupla. O resultado foi o esperado e ele fizeram outra luta boa.

    Mark Henry e Randy Orton, para mim a lutas menos esperada ( depois das Divas match xD ) porque nós já sabemos como são os dois néh, é aquele arroz e feijão de sempre… Mas nada posso dizer da luta pq foi nesse momento q meu stream foi pro limbo ( ainda bem) e então peguei só o final do combate¬¬

    O segmento com Rhodes foi confuso e serviu apenas para passar o tempo, as coisas boas disso foi ver o retorno do clássico IC title e ver o Morrison lutando, apesar de estar jobando :/

    Divas Match: Eeebbaaaa Beth Phoenix ganhou! Fuck You kelly Kelly 🙂

    MAIN EVENT: Foi a melhor luta da noite como deveria ser, Cena com o title fez o wrestling q ele sabe e os outros foram muito bem resultando em uma boa luta, com um resultado bom, apesar de que preferia a vitória de Punk, pq ele é o que mais merece. E o segmento final foi fantástico e também inusitado, se a WWE for esperta, dará para fazer uma boa storyline com isso tudo.

  2. Boa análise, de um bom evento. Mas não sei se é por causa do calendário, com isso um PPV ficou muito perto do outro (2 semanas de um pra outro é um absurdo) ou se é porque não vi o PPV inteiro, ou sei lá, mas não me deixou nada animado. Assim, como disse, foi um PPV bom, mas sei lá, nem a inesperada vitória do Del Rio, seguida pelo ataque bem legal do Miz e Truth, e os resultados bons, me deixaram muito animado. De fato não sei, sei apenas que foi um PPV bem “esquecível” e que logo nem lembrarei mais dele.

    Agora é esperar por outro PPV desses, assim, esquecíveis, e depois… SURVIVOR SERIES *-*

  3. Passando só pra falar que o show do Metallica foi muito melhor que o Slipknot, flw.

    Ta, eu falaria do PPV também, mas não cheguei a assistir ainda, e pela análise, parece ter sido bem boring até o final sds

  4. Muito legal este Overtime Ricardo… Diferente de alguns, gosto sempre de ler suas opiniões sobres os eventos.

    A WWE voltou desde o Money In The Bank a prender a minha atenção.
    A WWE voltou a me entreter.

    Não comentarei mais pois pretendo fazer um texto sobre o que penso do momento da WWE.

    Abraços.

  5. Eu não gostei do PPV. Não consigo admitir lutas Hell in a Cell sem ódio, sangue e violência. Não dá pra tirar hell in a cell da hell in a cell

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s