Uma Cobertura de Impacto #1: 12/01/12

Sem banner ainda, mas ontem o Ricardo me sugeriu cobrir o Impact… falei que faria e postaria amanhã quando acordasse (hoje e agora, rs). Então espero que gostem.

Open segment-

Roode abre o Impact, dizendo que era comentado que ele é o campeão mais dominante da história do belt e que ele concordava com isso, principalmente ao derrotar Storm, AJ e agora Hardy.

Após um pouco de Roode arrancando heat ele convidou Jeff para vir apertar a mão dele e parabenizá-lo, mas quem aparece é Sting, o atual GM da TNA.

Sting anuncia que o senhor Selfish terá que defender o belt novamente contra Hardy numa rematch após uma discussão entre os dois sobre importância, realmente épica.

Opinião sobre o segment: Roode está cada vez mais consolidado como top heel da TNA. Ele não precisa abrir a boca para arrancar um grande heat. Isso na Impact Zone, imaginem no Wembley daqui alguns dias.

A adição de Sting sempre melhora as coisas, a mic skill dele faz qualquer frase se tornar no mínimo… foda? A discussão entre os dois (Me boss… you employee.. Me… World Heavyeight Champiôô) foi realmente engraçada.

Penso até quanto tempo podem fazer Sting e Roode parecer refrescante e engraçado… na minha opinião, para sempre.

Morgan e Crimson vs. Robbie E e Robbie T.

Esta match só serviu para uppar o que aparente e infelizmente são as duas top tags da TNA: Joe e Magnus (que é boa) e Morgan e Crimson (que muitas vezes faz eu querer dormir).

Foi uma match menos que decente. Posso destacar algo de bom como o esforço do Morgan para fazer uma boa luta, mas ele é um gigante sem talento, mesmo achando o Carbon Footprint um finisher interessante e impactante nas mãos (ou nos pés) dele.

Morgan e Crimson ganharam com um tag move e Robbie E., o que era para ser o TV Champion saiu mais jobber e whatever do que nunca.

Nota: DUD

Depois da “luta”, Joe e Magnus interferiram e derrubaram Morgan e Crimson. Isso me deixa contente.

Garrett Bischoff volta e seu pai também.

Primeiramente é mostrado um vídeo dos acontecimentos com Garrett… Sting pedindo para ele ser um wrestler, Garrett com algum sucesso e Garrett saindo fodido de maca após um DDT do Gunner.

Depois Eric Bischoff vem ao ringue. Fala mal do Bischoffinho, diz que ele não tem amigos, não tem talento… o mimimi de sempre.

Bischoffinho vêem ao ringue, troca algumas farpas e diz que tem um novo treinador que vai surpreender ele – e que por vários motivos me parece ser o Hogan.

Opinião sobre o segment: Não sei se alguém realmente está comprando essa feud, mas eu digo que ela me deixa entediado demais e esta previsível em tantos níveis que me parece coisa que podia sair da… deixa pra lá.

Eu tenho fé no Garrett, ele tem look, vai ter push, ele tem uma boa mic e com um pouco de treinamento pode lutar bem, mas não o vejo como lutador ativo do roster enquanto Doug Williams e Shanoon Moore estão sem feud.

Enfim, segment chato e sem muito porquê, mas se ele foi passável dou crédito ao Junior.

 Winter diz que está de volta, que é uma 2 times KOs Champion e que vai mostrar o porquê contra ODB.

 Logo é mostrado um vídeo sobre a relação amorosa de ODB e Young, desde o Wildcard até quando ODB se entregou a barba de Young e eles se beijaram… ouro puro esse casal, lutam bem e são realmente engraçados. TNA pode manter eles por mais uns 4 meses sem saturar.

ODB (com EY) vs. Winter (com Angelina Love)

Uma funny match boa, ODB é divertida e luta bem, assim como o seu “namorado”.

Prefiro não avaliar a luta porque ela não teve intenções de mostrar qualidade, embora eu tenha achado ela bem legal, tanto pela atuação de Young e ODB, como também pela match, que teve alguns moves bem legais e, que se fosse algo sério, poderia sair algo digno da divisão de KOs.

ODB ganhou com o The BAM (um F5 apelidado assim pelo Tenay),

Nota:NR

AJ pede satisfações para Kazarian.

 AJ chama Kaz ao ringue, que entra com uma nova theme (até porque ele usava a da Fortune, que teve seu último suspiro no fim do Wildcard com a traição de Kazarian).

AJ diz que podia esperar a traição de qualquer um, menos de Kaz e queria saber o porquê de ele ter feito aquilo, por quê?

Kaz diz que não pode responder por que e então Daniels surge, dizendo que pode, pois é o mais inteligente ali, sem dúvidas.

Ele diz que não precisava sujar as mãos com o AJ e que Kazarian não se preocupava com ele. Kaz tenta dizer que não é aquilo e Daniels tem uma pequena discussão com ele, mas no fim AJ ataca Daniels e Kaz tira ele do ringue enquanto AJ grita com os dois.

Opinião sobre o segment: Por um lado, isso vai render ótimos segments, lutas e vai dar uma feud para três grandes talentos da TNA que se fodem há anos lá dentro, mas por outro é so a feud AJ vs. Daniels feita pela 845205° vez e com um toque de repetição da feud de heel obrigado a isso entre Dreamer e AJ em 2011.

O segment foi bom, Daniels é genial na mic e o personagem dele é excelente. AJ também melhorou muito, mesmo estando jogado no midcard, só que o problema é que sei onde isso vai acabar.

Storm sobre a luta dele contra Angle no Genesis

Storm entra com sua feud redneck foda e começa a reclamar sobre o resultado da luta dele com Kurt Angle domingo. Diz que Angle venceu do único modo que podia, trapaceando, e queria uma rematch.

Angle aparece, diz que não está vestido para isso, que está aproveitando a vitória dele e que não há nada que possa fazer ele lutar contra Storm esta noite.

Dizer isso, porém, no Impact é muito perigoso, pois o Sting pode escutar.

E ele escutou.

Sting aparece e diz que haverá sim uma rematche e ainda valendo o 1° contender para o TNA World Heavyweight Championship. O GM do Impact sugere a Angle se trocar, pois a match começará após o intervalo comercial.

Além disso, Sting também anunciou que teve a idéia de que se Roode trapacear ele perderá o belt.

Opinião sobre o segment: Aqui temos três grandes talentos, duas lendas e um wrestler super talentoso que sem dúvidas ainda pode virar uma.

Storm tem sua gimmick redneck, mas ele aparenta realmente vivenciar ela. O jeito dele não podia ser mais natural e os segments dele não podiam ser mais incríveis.

Angle fez um ótimo trabalho uppando Storm e agora os dois parecem realmente estar de igual para igual.

Sting adicionou novamente ainda mais brilho a um bom segment, o que resultou num ótimo segment.

James Storm vs. Kurt Angle – 1° Contender pelo TNA World Heavyweght Championship e Rematch da Luta do Genesis

 O combate foi tudo aquilo que faltou na luta de domingo. A crowd estava animada, a match foi movimentada, teve suas reviravoltas e até a sua emoção.

Os nearfalls dessa match foram muito mais emocionantes e os momentos em que Angle quase deu tap na sua própria submission e que Angle cuspiu cerveja na cara de Storm – estilo Reversal Russa – foram sensacionais.

E por algum motivo os dois pareciam até mais dispostos. É incrível como as matches conspiram para serem melhores no Impact… maldita Impact Zone.

Match digna de PPV e ainda com um fim limpo, para acabar com chave de ouro a feud e dar um up nas estrelas para Storm, que já está pronto para o cinturão novamente.

No fim Storm ganhou com o codebreaker e um super kick.

Nota: ****

 Sting estava fazendo uma promo para a TNA quando Madison Rayne apareceu, insistindo no desejo de ter o cargo de VP da KOs agora que Karen Jarrett foi demitida. Ao invés disso, Sting anuncia que semana que vem teremos uma steel cage entre Mickie James e Madison Rayne

Jeff Hardy vs. Bobby Roode – Rematch do Genesis, Luta pelo TNA World Heayvweight Belt e estipulação extra: se Roode trapacear ele perderá o título.

Eu não sei descrever ao certo quanto gostei dessa match. Hardy recebeu um grande pop e estava em ótima forma e Roode parece cada vez maior a cada aparição.

Para mim essa match foi até melhor que a do Genesis (conspiração contra os PPVs again), novamente a crowd esteve muito mais nessa luta no que na de domingo, o que deixou os nearfalls mais emocionantes.

Se eu não tivesse lido os spoilers realmente acharia que o Hardy ia ganhar o belt neste Impact porque a atuação deles nos deu isso para acreditar.

Alguns spots repetidos em relação a última match deles, mas eles foram melhores executados desta vez por Hardy, que parece realmente aquele que adorávamos em 2008.

A match termina num timing perfeito. Hardy começa com um stunner, depois vai para o twist of fate, tira uma parte da sua linda roupa de mergulhador, dá o swanton, Tenay fica louco – quando o velho se anima ele se torna um dos maiores comentaristas de todos os tempos, sem dúvidas – e o ref começa a contar, parece que tudo vai acabar agora, 1, 2… Bully Ray.

Espera, Bully Ray? Sim, ele aparece num timing do caralho, empurra o juiz e depois o nocauteia… como não foi Roode nem Hardy que causou isso, a match termina em no contest e Roode retem novamente.

Tem que parabenizar a equipe que dessa vez fez que Ray não fosse notado nem por um mínimo segundo e Ray que também consegue fazer um ótimo trabalho como heel.

Uma pena que anteriormente a TNA tenha mostrado um segment que Ray dizia para Roode não se preocupar, se bem que aquele segment teve uma das melhores frases que o Ray já falou “Eu sei o que está acontecendo, você está com ciúmes porque apenas eu fui pros trendings topics, mas não fique preocupado” (o que é meio irônico porque Roode não só foi para os TTs durante o Genesis como também no início do Impact, rs).

Nota: **** (eu gostei do fim também por isso essa nota, rs)

 

Considerações finais: A primeira hora do Impact pecou demais, tivemos que agüentar Bischoff, Robbie E, Robbie T… sendo salva apenas pela atuação de ODB e Young e de Sting e Roode, mas a segunda hora foi tremendamente boa com lutas acima da maioria dos PPVs da TNA.

Vale a pena checar esse Impact… e o da semana que vem também, que deve estar ainda melhor pelo que eu li.

Minha única reclamação foi o passo do show, primeiro só segments longos e depois só lutas longas.

 

Anúncios

9 comentários em “Uma Cobertura de Impacto #1: 12/01/12

  1. Legal, pelo jeito veio para ser o apoiador da TNA MESMO.

    Gosto de que tenha reviews da TNA aqui, pois poucos assistem sempre, e quase ninguém faz review, é algo novo aqui.

    Sobre o review, gostei, mas acho que poderia encurtar em algumas partes. Se quer dar opinião em todo segmento, ao invés de dar uma no final ou algumas poucas durante o texto, faça assim mesmo, curto. E não precisa entrar em muitos detalhes nas lutas, um resumo rápido é melhor. Até porque,. por melhor que seja o review, se ele é muito longo, pouca gente lê.

    Mas é isso ai, tirando esses toques, achei muito legal, continue!

    • Vlw pelos toques, é o primeiro review de um show que eu já fiz e quando vi o Impact pela primeira vez não esperava ter que fazer a cobertura.
      Peguei mais ou menos o modelo do review do 411 mania, mas acho que acabei deixando algumas coisas mais longas do que devia, rs.
      Meu objetivo é fazer que o povo veja o Impact, que na minha opiniao é o show que está no melhor momento e espero que consiga, rs.
      Quanto ao nome… eu acho titulos importantes, rs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s