Overtime #19 – Análise – WWE Royal Rumble 2012

E finalmente começou o Road To WrestleMania! Confira na melhor análise da blogosfera o que ocorreu de bom, e de ruim (e bote ruim nisso) nesta vigésima e quinta edição do Royal Rumble Get ready e confira na continuação da postagem!

https://getreadytorumble.files.wordpress.com/2011/04/bannerovertime.png?w=371&h=148&h=123

Além de dar início ao tão aguardado Road To WrestleMania, a melhor época do ano na WWE, este evento também apresenta como característica ímpar “trollar” magnificamente os fãs de wrestling, seguindo o sentido mais cruel da palavra. Então estejam seguros que do começo ao fim do evento, você estará se sentindo passado para trás por uma força extremamente superior, neste caso, o gênio forte de Vince McMahon.

https://getreadytorumble.files.wordpress.com/2012/01/royal-rumble-2012.jpg?w=534&h=331&h=298

World Heavyweight Championship Match

Cage Match: Big Show vs Mark Henry vs Daniel Bryan

Yes! (∞x) E na jaula lutaram o campeão Daniel Bryan contra os dois monstros, Big Show e Mark Henry. Aos fãs de Bryan que anseiam para que o mesmo tome uma personagem mais agressiva e credível, esta exibição é uma nítida confirmação de que isto não vai acontecer tão cedo. Seguindo justamente no caminho contrário, Bryan torna-se a cada show um covarde de marca maior, embora ainda seja capaz de apanhar o suficiente e permanecer de pé. Sobre a luta em si, Big Show a dominou praticamente por inteiro, embora o campeão e Henry tenham respondido em seu tempo. A qualidade do combate em si é extremamente questionável, contudo compreensível em detrimento da situação que se encontram as personagens. Henry, lesionado, Show com a vingança pelo seu título a flor da pele, e Bryan encurralado sem saber ao que recorrer.

Com um pobre storytelling, resumindo-se a trocarem golpes de impacto, a luta encerra-se de maneira estranha, devido a curta duração, levantando a hipótese de o final ter sido um botch (erro) ou apenas um booking mal feito. Após Big Show nocautear Mark Henry, que tentava aplicar o seu finisher em D.Bryan, o campeão D.Bryan logo tratou de escapar e fugir da gaiola, porém Big Show tentou impedi-lo subindo, inclusive, na grade… Tentando de todas as formas conter que o campeão fugisse, Show segurou Bryan pelas mãos, porém como um quiabo ele escorregou e caiu no dojô, vencendo o combate… YES! YES! YES!

O rumo que Daniel Bryan terá de agora em diante nesta Road To WrestleMania é muito instável e imprevisível, muito se deve ao fato de não ter defendido seu título com credibilidade uma vez sequer até então, sendo essa Cage match uma estipulação que não favoreça neste critério, também. Porém se há uma aposta pessoal, poderia dizer que o mesmo irá pôr o cinturão em jogo no Elimination Chamber, e caso retenha, possa encarar um top face do SmackDown na WrestleMania.

Nota: **

Bella Twins, Beth e Natalya vs Kelly Kelly, Alicia Fox, Eve Torres e Tamina

Momento ideal para ir preparar um lanche. Em nada adicionou ao evento esta 4 tag team match. Ou melhor, a rebolada de Eve Torres antes de seu moonsault fez o combate inteiro valer a pena. De resto, tudo descartável, até mesmo o fraco crossbody de Kelly Kelly acarretando um strike nas divas fora do ringue… Beth encerra a luta fazendo tag in em uma das Bellas e aplicando seu grandioso Gram Slam em Kelly Kelly, finalizando com o pinfall. Fazia tanto tempo que não via algo a sério das divas em um show da WWE que havia até mesmo esquecido quem era a campeã.

Nota: *-*

John Cena vs. Kane

O monstro Kane, quem diria, finalmente retornou e agora é pra valer! Dando continuidade a storyline “Embrace the hate!” (Admita o ódio!!), ambos entraram com a proposta de contar a história da rivalidade no ringue, e ao que se propuseram, realmente cumpriram. O porém entra em que muitos esperavam um ponto final, e não uma vírgula, aguardando ansiosamente para que The Rock e Cena finalmente tomem caminho e proporcionem épicas promos durante esta Road To WrestleMania.

Entretanto, com o combate encerrando-se em empate por Double count-out, onde Cena, sob os gritos de “Cena sucks e Let’s go Cena!” não se importou com o resultado da luta, mas sim em descontar toda a sua fúria em Kane, que por sua vez não sentiu os ataques de seu oponente e foi capaz de reverter a situação, sobrando pique até mesmo para ir ao camarim de Zack Ryder, que estava em cadeira de rodas, trazê-lo ao ringue e aplicar um tombstone piledriver, mesmo com Eve suplicando por clemência. O fruity pebbles Cena tentou salvar seu amigo, porém foi vítima do monstro vermelho com um chokeslam… E a continuação nós veremos nos próximos capítulos.

O lado positivo disto tudo é que desta forma John Cena assumira uma personagem mais agressiva para bater de frente com o Rock, invés de continuar a ser o fruity pebbles que tanto nos irritou por anos. Estando dividido e aceitando o ódio dentro de si, eu não faço questão que Cena tenha seu tão esperado heel turn (que se ocorrer, será de bom grado), mas sim que sua personagem não continue estagnada e dê uma revigorada.

Nota: **1/2

Drew Mcintyre vs Brodus Clay

O susto e a emoção de ouvir Broken Dreams tomou conta de mim, finalmente Drew McIntyre estaria a lutar em um evento pay-per-view. Porém tudo se dissipara ao ouvir a introdução de Funkassaraurus, Brodus Clay, em seguida. O ódio tomara conta até mesmo dos streams, que resolveram entrar em greve neste momento. O sósia do Gustavo muito provavelmente “squashou” o most underrated superstar da WWE, pois em menos de 3 minutos ao conseguir um stream melhor, era Brodus Clay quem estava comemorando… Melhor fazer de conta que nada disto existiu, mas é melhor somebody call my momma, porque eu estou ficando com um ódio tremendo desse Gordus Clay que bateu já em dois wrestlers de minha preferência, William Real, e agora Drew.

Nota: ¬¬

WWE Championship Match

John Laurinaitis como special guest referee

Dolph Ziggler vs. CM Punk

A que sem dúvidas era uma das lutas mais aguardadas, depois da Royal Rumble Match, a grande chance de Dolph Ziggler de se estabelecer no main event, a disputa pelo cinturão mor da WWE. Com uma estipulação que ameaçava comprometer o andamento da luta, Ziggler e Punk realizaram um combate agradável de se assistir, embora o booking tenha interferido diretamente no que tenhamos sentido a respeito da luta.

Laurinaitis interferiu diretamente no andamento da luta, deixando-a até mesmo um pouco mais emocionante, pois sem o mesmo a chance de vitória de Ziggler era nula. Para começo de conversa, John pediu que outro árbitro viesse mediar o combate, pois iria ser o referee reserva, digamos assim. Tudo isto em razão de ser julgado hoje, na Monday Night Raw, por Triple H. Tentando ser o mais justo possível, sua primeira ação foi banir Vickie Guerrero do dojô. Seu segundo grande ato foi socorrer o árbitro que havia sido atingido durante a luta. Embora Laurinaitis pudesse fazer a contagem, ou ver que Ziggler estava dando tap out, ele optou por socorrer primeiramente o árbitro. Deixando Punk em fúria, obviamente. Quando o referee se recuperou, Punk ia para um GTS, porém Dolph Ziggler reverteu em um Zig-Zag, e… 1! 2! Quase! Punk deu kick out e logo tratou de encerrar a luta sem muitas cerimônias, aplicando seu GTS, se não me falha a memória o terceiro da noite, e assim retendo o cinturão. Quem será o homem a tirar-lhe o título? Dolph Ziggler está longe de ser uma real ameaça… Save us Y2J… Senão Rock ou Cena podem… Enfim né…

Nota: ***1/2

E agora, senhoras e senhores, leeeeeet’s get ready to rumbleeee!!!

Royal Rumble Match

E a melhor invenção da WWE, a Royal Rumble Match, o combate cujo vencedor tem direito a disputar um título na WrestleMania! Algumas informações sobre a Royal Rumble são interessantes de serem mencionadas, como por exemplo: É a melhor oportunidade para retornos, para estréias, para trolladas da WWE… E nesta edição a WWE gostou de deixar bem claro “todos os superstars da WWE são elegíveis de participarem da Royal Rumble!” O que você pode compreender com isto?

O óbvio, a participação dos comentaristas e narradores, começando por Jerry The King Lawler, que não durou mais do que um minuto, depois Booker T, este tendo até participado de uma maneira mais decente, porém logo voltando à mesa, e por que não, ele, o mala mor da empresa, Michael Cole… Que foi eliminado por… Bem, ele se auto-eliminou quando ela, sim, ELA! A monstruosa Kharma retornara a WWE!

Outro quesito único deste tipo de luta é o retorno das lendas. E nesta edição duas retornaram, primeiramente foi o caricato Jim Duggan, arrancando uma reação incrível do público e muitos gritos de “USA”. Não durou muito no ringue, o que é de se compreender devido a sua idade, porém contribuiu bastante para a luta. A segunda lenda foi o Outlaw Road Dogg, oh you didn’t know it!!! Sendo que este não teve tanto pop quanto o primeiro, e tenha lutado por mais tempo.

Há coisas que só acontecem na Royal Rumble Match, e nesta edição rolaram dois momentos para se entrar na história, porém apenas para os que tem senso de humor, obviamente. Bem no começo do combate, quando tudo ainda estava muito sério, e começa a contagem regressiva… 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2… 1.. E toca Realleza!!! Alberto Del Rio está de volta… Oh espere um segundo, surge um calhambeque caindo aos pedaços, e quem sai deste é Ricardo Rodriguez! Sim, o announcer especial de Alberto Del Rio, com uma sunga que mais lembrava uma gigante fralda, e em forma física de… barril, participou da Royal Rumble Match. Ele também teve seu sonho de Wrestlemania. Embora o mesmo tenha durado pouco e tenha sido eliminado por Santino Marella. Falando em Santino, ele e Mick Foley proporcionaram um momento épico. A lenda hardcore pôs o Mr. Shocko  para duelar contra o Kobra, de Santino Marella. O público foi ao delírio.

Uma grande participação nesta luta foi a de The Miz, que foi o primeiro a entrar e fez uma promo dizendo que não se importava em ser o primeiro, pois venceria e mostraria àqueles que duvidaram que ele seria o main event de uam WrestleMania que também é capaz de vencer a Royal Rumble Match. Bem, capaz ele até é, o ponto é que não foi, contudo permaneceu 44 minutos no combate, o wrestler que mais lutou, seguido por Cody Rhodes, que esteve no ringue por 41 minutos. Mas infelizmente, para eles, Big Show, o último a entrar, eliminou ambos de uma vez só com um clothesline.

A luta teve dos seus clichês, como a parte “todos contra o gigante”, teve o lado bem humorado, como supracitado, o spot inacreditável, como a hora em que Miz jogou Kofi Kingston para fora do ringue, porém o negão plantou bananeira e no melhor estilo Exorcista retornou ao ringue. E de todas as partes obrigatórias, teve também a melhor, a do wrestling e emoção puramente falando. Os dois responsáveis por tal foram Sheamus, o vigésimo e segundo a entrar, e Chris Jericho, o vigésimo e nono. Por cerca de 10 minutos esses gladiadores (do milênio passado?) duelaram e disputaram a vaga na WrestleMania com unhas e dentes. Y2J demonstrou estar em perfeita forma física e em momentos esteve prestes a ganhar, assim como Sheamus… Mas quem venceu mesmo foi ele, o Celtic Warrior, The Great White, o King of the Ring 2010, Sheamus!

Muitos vibraram, outros se irritaram, mas fato é que agora o Sheamus irá compor o main event da WrestleMania (talvez seja a open card, mas…) e, acredito eu, muito provavelmente irá desafiar Daniel Bryan. Ou será que teremos uma reviravolta muito grande neste Road To WrestleMania, podendo Sheamus trilhar até mesmo para a disputa da Streak de Undertaker? Veremos nos próximos capítulos. Despeço-me aqui, e fique ligado, em breve sairá um dossiê blogosfera, parte III, expondo os altos e baixos, o que há de melhor e de pior na nossa blogosfera, prepare-se, muita coisa será dita.

Fella!!! - da puta...

Nota: ****

No geral, um evento legal, com lutas de qualidade abaixo da esperada, mas tudo pode facilmente ser ignorado por que o foco realmente é a Royal Rumble Match. Eu prefiro esperar para ver o que a WWE irá nos proporcionar neste Road To WrestleMania antes de tomar opiniões precipitadas. Deixe você também sua opinião sobre o Royal Rumble deste ano!

Anúncios

17 comentários em “Overtime #19 – Análise – WWE Royal Rumble 2012

  1. Boa análise, eu gostei do pay-per-view, concordo com o que disse sobre a luta do WHC, o nível foi bom considerando as circunstancias, gostei muito de Punk vs Ziggler foi ótimo só acho que desvalorizaram muito o Ziggler, o Punk finalizou ele umas 4 vezes, ficou parecendo um coitado sem chance alguma…

    O Royal Rumble foi bom, mas a aparição dos comentaristas foi desnecessária, também não gostei de ver o Big Show aparecendo, apesar da decepção com o resultado o Sheamus merece esse destaque, considerando que em 2011 ele só teve uma feud com o Christian e ficou derrotando jobbers, talvez ele lute novamente com o Bryan na WM, ou até mesmo contra o Christian…

  2. Legal a análise,não vou falar muito das lutas,mas o fim da pelo WHC foi incrivel,e a luta pelo WWE Championship foi muito boa,Ziggler tem completas condições de entrar no main event da Raw.
    Sobre a RR Match,eu adorei,sei lá,pra mim Rumble tem que ser spotfest,não é pra ficar que nem no SvR que seu unico objetivo é bater e derrubar.A WWE pos oRhodes super over,o que é bom,por que ele tá engrandecendo esse cinto de forma absurda,até algumas vezes estando mais absoluto do que o WHC,o Ricardo Rodriguez entrando naquela caranga eu ri demais,o Kofi valeu pela luta inteira e a batalhade proporções epicas entre Mr.Socko e Cobra,que vai receber 5star do Dave Meltzer de certeza.Os comentaristas entrand achei muito divertido e a Kharma voltou né,então foi boa,bem melhor que a do ano passado que a Nexus dominou inteira :S

  3. Que análise, teve coisa que você falou que eu nem me lembrava que tinha acontecido, agora como pediu minha opinião…
    * Eu gostei muito dessa Royal Rumble Match, to vendo gente reclamar porque o Jericho não ganhou, aliás eu também reclamei mas foda-se, foi uma luta boa. Jim Duggan e seu patriotismo continuam da mesma forma, se ele ganhasse aquilo, ainda sim o publico iria gostar. Que combate fizeram Miz e Cody Rhodes, as participações mais longas, mostrando que Heel não é so correr como Christian e Bryan. Spot lindo do Kofi Kingston, ainda não tinha visto o finisher da Kharma, que graças ao grande vendedor de golpes Dolph Ziggler foi muito bem executado, achava que ela iria lutar so depois da ‘Mania, Beth Phoenix abre seu olho agora. Jericho e Sheamus fizeram uma luta digna no final, torci demais pro Jericho não cair, mas acho que quem teve mais chances foi Sheamus mesmo, que pra mim foi uma boa surpresa.
    * CM Punk lutou muito com o Ziggler, que pra mim não chegou nem a dar susto, e sim, Punk terminou com 3 GTS’s em Ziggler.
    *A Eight-Diva Tag Match foi boa em comparação ao nivel do conteudo que vem sendo apresentado, geralmente essas lutas duram 2 min e as faces ganham.
    * Senti a mesma coisa quando ouvi a excelente “Broken Dreams”, pensei comigo, é o fim do castigo ao Drew, mas depois veio aquela intro e acabou a esperança. Já sou um hater desse Brodus Clay.
    * E pra terminar, que desperdício a WWE faz com o Bryan, muito talento mas ele só foge (vide Christian).

  4. Aleluia review bom… Apesar que quando é da WWE, e você não vê com ódio nesse coraçãozinho, você faz bem 😛

    A WHC já foi dito tudo o que achava. E até porque, quem esperava uma bela luta deles três, era doido. Se os três estivessem em boa condição física (no sentido de sem contusão) mesmo assim uma lutaça seria muito difícil. Imagina com o Henry podre?

    A luta de Divas totalmente inútil,. assim como a do Clay, essa talvez o maior erro de bookagem do evento. Entendo querer colocar o Clay num PPV para dar ainda mais fama ao mesmo, mas fazer isso, e tirar preciosos minutos da luta do WWE title, ou até da RR match, foi complicado.

    Falando em WWE title, uma boa luta. Um pouco abaixo de minhas expectativas (talvez pelo foco ser o Laurinatis, e não a luta em si, ou talvez pelo tempo “roubado” que citei acima) mas mesmo assim, bem legal. Agora veremos se Punk chega ao WM com o WWE title!

    E a RR match, foda. A crowd ridícula de lá, acordou de forma incrível nessa luta, e deu ovações incríveis a alguns lutadores, e a todos os que voltavam, ou apareciam de surpresa. Até mesmo para o Road Dogg, que apareceu num Raw ai e quatro pessoas (sendo uma delas sua mãe) o aplaudiram apenas.

    Sheamus como vencedor é bom, pois foi uma boa surpresa, e não deixou o negócio meio óbvio, além de enganar a todos com aquele final. O ruim é que, novamente, não teremos ele no ME realmente (apesar que o ME dessa edição está garantido ser Cena vs Rock e nem o melhor combate possível de se fazer usando todos os wrestlers do mundo, tiraria esse posto) e ainda teremos um vencedor provavelmente com menos importância do que a streak, o ME e o WWE title, o que tira um pouco de crédito da match.

    Gostei do evento, gostei da review, gostei do gif, só não gostei mesmo do Ricardo 😛

  5. Eu sou obrigado a discordar acerca da open match. Eu gostei bastante. Claro, eu preferia o Bryan lutando like a boss, como nas indies, mas as circuistâncias não permitiam. O desempenho de um Henry machucado e um Show se movimentando MUITO (eu sempre comento que ele é um wrestler absurdo pro porte físico que tem), achei o spot final emocionante. Bryan está como um heel fujão, pelo menos manteve o título, o que me agrada.

    Divas foi inútil, mas eles precisavam encher um pouco o card, a WWE não é a ROH, os combates não são longos o suficiente pra encher 3 horas com 4 lutas.

    Primeiro falaram que o Drew era overrated, agora under? Claro, essa storyline é bem besta, mas o cara não merecia mais que um upper midcard, falando sério. E curto o personagem do Clay. Porra, já tem gigantes o bastante, bora ter algo mais daora. Funkassaurus é divertido a lot. Btw, a luta foi um cu.

    Concordamos nas duas últimas, bom WWE champ match e RR match INCRÍVEL. Entrou pro top 10 da história de ctz.

    Por fim, muito bom ppv, curti.

  6. Sério que o pessoal gostou dessa Royal Rumble? Na minha opinião foi uma das piores da história. Com exceção da luta do CM Punk, as lutas foram de regulares para péssimas. A luta na jaula foi o Daniel Bryan (como o American Dragon foi rebaixado…) fugindo do Mark Henry e do Big Show. A das Divas nem perdi meu tempo. O John Cena bateu no Kane (que vendeu muito todos os golpes), ficaram andado até a salinha onde estava o Zack Ryder (que estava de castigo, nem tinha televisão lá para ele ver o PPV), aí o Kane leva o Ryder até o ringue para terminar com ele (porque não em outro lugar, como o estacionamento, a lanchonete, o depósito, sei lá? Seria mais “hardcore” por parte do “malvadão” Kane), resumindo, enrolação. Preferia o Kane na luta grupal (o local tradicional dele). Aí teve mais um squash do Brodus Clay (eu gosto dele e acho que a WWE precisa de mais lutadores com gimmicks bem definidas. Quais são os lutadores que encarnam “personagens” atualmente: os sobrenaturais Undertaker e Kane, o “guido” Zack Ryder, o “carcamano” Santino Marella, o “Oscar” Goldust, o “mano” Hunico? Mais algum? A gimmick do Rey Misterio e do Sin Cara é serem mascarados, e só. Mas colocar squash em PPV é sacanagem). A única luta boa do PPV foi a do CM Punk com o Dolph Ziggler. E o pior ficou para o final. Se você observar o tempo que os lutadores ficaram no ringue (veja http://en.wikipedia.org/wiki/Royal_Rumble_2012 ), a grande maioria ficou menos de 5 minutos no ringue (as exceções foram o Chris Jericho que ficou 11 minutos, Kofi Kingston, Dolph Ziggler e Sheamus que ficaram aproximadamente 20 minutos, e The Miz e Cody Rhodes que ficaram aproximadamente 40 minutos. Mais ninguém durou mais que 10 minutos, e vários não duraram nem 2 minutos. Logo, não puderam mostrar nada). Desperdiçaram o tempo colocando os 3 narradores (Jerry Lawler, Booker T e Michael Cole), no lugar de 3 lutadores “da ativa”, para brincarem com o Coole (só os bookers acham graça nele). Ao invés de perder tempo com os 3 narradores e com o Jim Duggan (que aparece todo ano de eleição nos EUA), porque não colocar aquele lutador que tem paralisia cerebral parcial e fez campanha para estar na Royal Rumble? Seria muito melhor! A Kharma poderia muito bem ficar mais tempo (apesar dela estar voltando da gravidez), pois tem o “physic du rôle” (a característica física) para encarar muitos lutadores, mas parece ser a sina das mulheres no Royal Rumble entrar, eliminar alguém e ser eliminada logo (como já aconteceu com a Chyna e a Beth Phoenix). As únicas coisas bacanas foram alguns spots (bananeira do Kofi Kingston, dupla do Mick Foley com o Santino Marella, entrada da Kharma e do Ricardo Rodriguez, botinada do Sheamus no Jericho no final). Resumindo, outro PPV estragado pelas bookagens sem-noção (que não deixam os lutadores mostrarem seu potencial). Fiquei animado quando apareceram no ringue os campeões CM Punk, Brian Daniel e Zack Ryder, mas parece que os bons ventos já passaram.

  7. Opinião: Gostei do PPV. Foi divertido; em grande parte, claro, graças à RR match, que contou uma história sensacional. Acho que só a do ano passado foi mais divertida de se ver do que essa.

    E, por favor, PAREM DE RECLAMAR DAS DIVAS! Pô, a luta delas foi muito melhor do que muitas tags masculinas que ficam enchendo a p(*) do Raw! Teve até um spot semi-digno de um Money in the Bank!
    Sabe o que parece? Que vocês são um bando de velhos chatos e aposentados, que não curtem mais nada na vida além de levar o cachorro pra cagar!
    Nota: *** pras divas, Ok?

  8. Gostei do Review, mas discordo em alguns pontos.

    Eu curti um pouco até a Open. Era o que dava pra fazer. Henry faz tempo que tá machucado, e ainda se esforça pra continuar lutando. O Show quase nunca tá em uma Cage Match, nem é acostumado e fiz o que tinha que fazer. Até conseguiu o inacreditável quando subiu na maior parte da Caga, coisa que nunca pensaríamos em ver. Foi ruim, até foi, mas não tanto.

    Sobre as Divas, achei muito melhor do que vinha sendo uns tempos ai. Não foi nada exagerado e não saiu nenhuma merda, inclusive não saiu nada de luta de dois minutos. No tmepo que deram fizeram coisas boas. O foda é que acham que Divas faram o máximo, e nem sequer dão apoio quando fazem, só por dizer que “Nunca conseguem, vou pular esta parte mesmo” e acabam nem dando atenção.

    Squash Match em PPV é sacanagem mesmo, principalmente com o Drew. Nem pra ser uns 5 minutos eles não poderiam fazer? Porra, o PPV acabou era 11:45, 15 minutos faltando pra acabar o PPV na hora certa, não precisava algo de 1 minuto desnessário pro PPV.

    WWE Title muito boa, pena que Laurinaitis é mais perigoso do que o Ziggler para o Punk. Isso que não deixa a luta fluir como poderia. Mas mesmo, luta ótima, Punk ainda Champion e o Ziggler mostrando que tem conteúdo pra ser Main Eventer.

    E a Rumble eu curti bastante, principalmente o vencedor. Só não sei onde têm pessoas que não concordam com isso. Parecem que preferem ver o Sheamus lá lutando contra o Mahal no Smackdown, no RAW, PPV sem sentido algum, do que verem ele vencendo a Rumble e indo pra WM. PQP viu… Jericho merecia? Merecia, mas fazer o quê? Ele preferiu a banda dele do que a WWE. Cena não deixa de lutar para fazer seus Shows de Rap por ai… Sheamus vencendo é mais do que ótimo, e lutar contra o Bryan é melhor ainda. E pensar que os dois estiveram em uma Dark Match na WM 27 e um ano depois estarem em um dos Main Events da WM 28 por um World Title.

    Enfim, ótima Review novamente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s