And That’s The Bottom Line #10 – Minhas noites de Wrestling: Parte 1

Fala galera, beleza? Como eu disse há um tempinho atrás, eu disse que estaria fazendo um texto sobre minha experiência na BWF na Virada Cultural. Até demorei um pouquinho, mas encontrei um brecha com esse House-Show da WWE aqui no Brasil.

Enfim, se quiser ler, vá até a continuação do post, você não vai se arrepender! 😛

Lembro-me bem no Sábado, dia da BWF. Acordei todo entusiasmado, de manhã (coisa quase impossível xD). Logo fui ver qual seria o lugar exato que o ringue da BWF estaria localizado, entrei um pouco na Net e um tempo depois almocei. Uns minutos depois fui até a casa do meu colega perguntar se ele iria mesmo pro Show, já que só indo na casa dele pra ele querer ir. Pai dele falando demais por ele não ter dinheiro pra ir, mesmo assim ele soltou uma verba e voltamos pra minha casa. Me arrumei e fomos pra estação mais perto de casa que são 20 minutos andando (ZL meu amigo…). Pra provar que é Zona Leste, é só ver que até num Sábado, o Brás ainda tem gente brigando por causa de lugar na hora da baldiação.

Bem, me lembro que eram exatas 17:05 da tarde quando cheguei na Sé, e dali eu quis ir correndo, pois o Show estava marcado para aquele horário, mas quando vi que nem precisava, fui andando mesmo. Cheguei do lado do ringue e vi o Xandão ajudando a montá-lo. JURO que me deu um calafrio em ver o meu preferido da BWF de perto (Imaginem com o SCSA *-*). Fiquei ainda uns 2 minutos até que ele ficasse desocupado e chamei-o pra tirar uma foto comigo e com meu amigo. Depois disso cumprimentei ele e com sábias palavras disse: “Quero ver Show hoje!” e ele me respondeu rindo “Com certeza vai ter!”. Dois minutos depois vi o Lanzoni ali fazendo uns reparos e na minha frente passou o Beto. Juro novamente que não sabia quem era, MUITO diferente do que via pela Internet. Até chamei ele e falei “Beto?”, ele estranhou e disse “É o que dizem..rs..”. Tirei uma foto com ele e pedi pra chamar o Lanzoni (Falando nele parece mais gordo pessoalmente xD’). Falei que eu era o Ricke e logo ele percebeu quem era, até chamou o Raposa, e este demorou pra saber quem eu era viu ¬¬. Enfim, ficamos batendo um papo ali durante um tempo, perguntei se estariam gravando, e já tinham feito uma gambiarra com uma câmera num dos pilares da estrutura, e até hoje não cederam imagens e nem o Lanzoni postou a cobertura do bagulho pra me ajudar nesse texto rs.

Eu e Xandão

Eu e Beto

Bem, fiquei lá mais um tempo, parado, vi vários como a Bia, o Mano John, Igor, Bob Jr já estava lá há um tempo, mas nenhum deles chegou perto pra eu poder falar. Bob Jr foi o único que até chegou perto mas ele estava bem ocupado e preferi não atrapalhar, pois estava tudo às pressas. Alguns minutos depois, o Beto pegou meu celular e disse que faria algo bem legal e foi lá tirar umas fotos dos cinturões. Cara, muito legal mesmo! Enquanto eu nem sabia de nada, fui olhando as fotos, vi o Terremoto ali mas nem passou pela minha memória qual seria o novo nome né… Já estava escurecendo, começava a chegar um grande pessoal pelos arredores da praça. O espetáculo estava prestes a começar. Algumas figuras no Show como um cara vestido de Mário, um gordinho lá bem animado com a camisa do Hogan (Pra minha surpresa não era o Gustavo USHAUSHUAHSUH), parentes do Zumbi (Ele que nem parou pra tirar uma foto quando saiu dos bastidores 😦 ) e até uma mendiga drogada já enchendo o saco, e felizmente estava do outro lado.

Muito feliz pelo nome

Bom, o Show já começa, eu estava bem animado. Entra o Tom e outro cara que acabo de esquecer o nome no ringue, anunciando todos. Estava eu lá pensando no que poderia acontecer, querendo conhecer os lutadores estrangeiros até que o Tom mostra os novos cinturões e ai me lembrei que seria dito o novo nome do Terremoto e pra minha surpresa, qual era? Sim, MAREMOTO. Não sei o que aconteceu, mas tenho provas certas de que eu dei esse nome no Post feito pelo Raposa pra ajudar a escolher o novo nome do cinturão. Fiquei felizão mesmo. Se pegaram minha ideia, eu posso ser grato por ter ajudado a BWF! Até perguntei pro Lanzoni que estava tirando umas fotos se pegaram minha ideia. Se eu tivesse mandado pelo E-mail eu poderia até ir pros bastidores! 😦

Bem, começa o evento, todos lá representando seu países, até que anunciam o México. Veio o Zumbi, mas não vi o Super Crazy! Eu até que fiquei desapontado por ele não aparecer, mas eu fui ver a BWF, não ele! Porém tem gente que foi pra fazer ao contrário. Vi muitas pessoas indo embora quando viram que o Super Crazy não estava lá, isso que é foda. Então, vejo a maioria dos lutadores com um carisma muito grande, exemplos como o Kaiser, Maniac Esgar, Apocalypsis principalmente pela sua máscara e Alisson Evans que era gostosa demais! 😛 À partir daqui não lembro qual foram as próximas lutas no formato exato, por isso disse que a Cobertura do Lanzoni me ajudaria por aqui né.

Então, acho que é bom falar um pouco sobre a minha participação no Show, que sem modéstia a parte, foi uma das mais ativas de todos os fãs. Uma delas já foi o Maremoto, a primeira de muitas. A primeira parte foi uma das melhores. Alisson Evans acompanhando o HellSpawn, estava na minha frente, ela logo foi cumprimentando praticamente à todos. O sortudo mesmo foi uma criança que ganhou um beijo dela e essa tal criança estava no meu lado, e acha mesmo que perderia a oportunidade? Logo trouxe ela pro meu lado e lasquei um beijo! 😛

Se não me engano a próxima luta seria do Maniac Esga. Nessa luta eu consegui puxar um couro de “Maricón” após ele vir com bandeira da Argentina junto do Ripper, e todos começaram um canto de Maricón. Por falar no Maniac, um dos melhores Heels da noite hein… Sabe mostrar como é um argentino em meio à vários brasileiros. Além disso tive que aturar um dedo do meio por parte do Touaregue, tentei tocar na mão dele e logo mostrou o que é um Heel… Bem foda!

Outro momento que achei engraçado foi o Chiarelli após vencer sua única luta a noite. Desceu do ringue junto com a Lilly, olhou pra minha cara e logo pegou meu boné e levou junto, achei mesmo que ele iria levar, mas claro que só estava fazendo seu papel e jogou o boné pra trás sem ver e ainda teve um cara que pagou um pau do jeito que peguei ele no ar… Peguei ele praticamente já botando na cabeça, e olha que eu tava quase caindo da proteção.

Algum tempo depois veio o Tim Anderson lutar. Cara, todo mundo do lado que eu estava, ficava gritando o nome dele (Inclusive meu lado era o mais empolgado), puxaram até um “USA, USA, USA” ali. Depois da luta tirei duas uma foto com ele no primeiro intervalo e em outra luta ele com o cinturão. E lembram do menino que estava ao meu lado? É, conseguiu uma das proteções de cotovelo do Tim autografado por ele mesmo! Aliás, nesse intervalo tive uma das melhores sensações do mundo…

SUBI NO RINGUE! Sim, nesse intervalo tivemos uma grande interação com o público. Logo tivemos um campeonato de cambalhotas no ringue e o Tom indicou que cada um que estava dentro do ringue chamasse um de cada lado (Eram 3) da plateia. Eu, de primeira fila, gritando que nem um louco, fui um dos chamados. Logo dei a volta até lá, fui correndo, vi até gente gritando “Cagado”, enquanto ia, nem liguei e procedi. Tom avisou que pra subir no ringue tem que ter estilo. E por isso tinha que ser pela 3ª corda. O primeiro cara já tinha subido, todo estranho, e teve que descer (Teve problemas pra isso rs), mas logo foi denovo, subiu com cautela, estilo Big Show, normal. Logo após fui eu. Cara, eu estranhei e muito as cordas, pensei que era algo leve, mas assim que puxei ela pra pegar impulso eu vi que era bem firme e tive que me preparar denovo. Até pensei em dar uma de Chavo na entrada, caindo no chão e rolar pra delírio da galera, mas vi que poderia dar cagada e escolhi ir normal, como um High-Flyer. Até dei um pequeno deslize e pisei no chão já pronto pra fazer que nem o HBK dando giros no ringue de braços abertos e foi o que fiz. Lá fora estava meu amigo, gritando meu nome e todo mundo ajudou quem estava perto, me senti importante! UHAUSHAUHSUHAS Dentro do ringue começou então as cambalhotas. O primeiro se jogou e rodou no chão. Depois foi minha vez, dei um roleamento com o ombro, acho que perfeito, cai em pé, nem dei aquela tombada pro lado, mas perceberão que eu fui errado. O terceiro deu um pulo e botou as mãos no chão e fez a tal cambalhota, mas como se fosse um mergulho. Todos disseram que já tinham um vencedor, achei que seria eu, pois ele olhava pra mim, mas falavam que cambalhota tem que as duas mãos batendo no chão, e me ferrei, perdi, mas levei um CD da MadLack. Na hora que sai, vi o Nino Mercury, fui tirar uma foto com ele. Lá estava um dos Masters, e ele disse que eu não conhecia (De fato, não), mas inteligentemente, eu disse “É LENDA”. Os dois ficaram muito felizes e me desejaram um bom Show!

Depois tivemos um Work Shop, e ai pensei em ser chamado de novo, o cara nem chamou. Em vez disso chamou o cara de Mário e o gordinho Hogan perto de mim. Foram mesmo pra pagar mico. Ficaram tentando fazer o treinamento básico da BWF, mas fizeram feio. Serviu pra dar risada e só. Depois disso tivemos outro Work Shop, agora com os lutadores da BWF mostrando como seria cada exercício. Foi dois caras normais e dois gordinhos, um deles sendo tiozão, além dos alunos da BWF. Eu faria esses exercícios muito bem, enquanto alguns fizeram bem mal. Os alunos da BWF foram bem, mas pareceram estarem bem nervosos. Depois ainda tivemos um com meninas, que só precisavam dar uma estrelinha, umas conseguiram, outras não. E tinha uma de CM Punk ali hein… Até tentei fazer um “X” do Punk pra ela :P.

Na volta dos intervalos já eram umas 10:30. Liguei pra casa do meu amigo pra avisar que bateria do celular estava acabando, assim como os créditos e que estávamos bem, e voltaríamos amanhã. O problema é que o pai do maluco que atendeu o telefone, falando que era pra chegar no Sábado ainda. Então falamos beleza, vamos embora. Então pedi para que o pai daquele menino que estava ao meu lado pra guardar lugar até que eu chegasse, pois tinha que levá-lo pra casa e logo em seguida voltaria (Até porque ele é só amigo, mas é burro pra caralho, mais velho que eu e não sabia voltar da Sé pra casa). Mas o imprevisto aconteceu, fomos até a estação e os portões estavam fechados. Voltamos até o ringue, quase brigamos com uns caras lá que não queriam dar licença (Eu já tinha saído do meu lugar né) e falei que meu tio era o cara que tava guardando o lugar pra mim. Fiquei lá de boa, enquanto meu amigo quase cagando de medo. Falei, se quiser vamos de busão, ele respondeu que era melhor ficar, de manhã íamos.

Bem, tivemos depois disso às luzes apagadas. Microfone não pegava e assim a luta ficou estranha. E foi nesse momento que tivemos um dos piores momentos da noite, o público. Porra, começaram a gritar “Bate no juíz”, “Marquito”, “Tio Chico” pro Ripper, e quando o Ninja veio gritavam “Naruto”, isso porque era o pessoal da zueira, que nem entendia nada, estavam chapados e iam ver a BWF só pra passar o tempo. Enquanto isso tivemos o Hardcore ativo com o Xandão, que conseguiu os melhores Pops da noite. Eu mesmo gritei pra caralho! 😀 Um tempo depois veio o Megastar. Ele logo se tratou de vir até o público e fazer uma pose pra foto, e logo em cima do meu amigo, e eu do lado:

Cara de LOL

Claro que eu não deixaria de falar dos acidentes. Kaiser é um exímio lutador, mas acho que tem um Finisher muito perigoso para as estruturas da BWF. Esse Package Piledriver se tem um pequeno erro, pode ferrar o pescoço de qualquer um, e isso aconteceu com o Tony. Fiquei bem preocupado com isso, não só eu como todos presentes. Não deu um minuto de atendimento e os lutadores já estava fora dos bastidores. Lily mesmo já estava chorando! Também tivemos um pequeno acidente com o Stiner. Eu mesmo nem percebi qual era o problema quando ele caiu, pois nessa hora acho que o Nino estava ameaçando o Igor, e quando voltei a olhar pron ringue, estava ele lá no chão. Fiquei bem preocupado, da onde eu estava parecia um braço quebrado, e assim não teríamos outra luta. Felizmente a BWF fez bem em tirá-lo e substituí-lo pelo Robson Cruz (Que conseguiu cair duas vezes pra trazer a lixeira pro ringue uhaushasuhas)

Deu umas 3:20 da manhã, o Show acabou… Eu fiquei meio sem saber ali, até porque se tivesse acabado às 5:00 como programado, eu madrugava ali mesmo, e até ficaria menos perigoso. Bem, tive que ir embora na hora que acabou mesmo, e fomos perceber que a estação estava aberta apenas do outro lado da praça, puta merda mesmo. Fomos embora, perdi o meu RG e chegamos na ZL às 4:30 da manhã, vocês não sabem o perigo que é vei, e ainda mais andando pela comunidade de uma favela! Bem, felizmente chegamos tranquilo, até pensei em voltar, só que não voltaria pra estação sozinho, pois é uma caminhada grande. Fui pra casa, cheguei às 5:00 e tentei acordar às 9:00 pra voltar pra Sé às 10:00, mas só acordei às 13:00 isso porque me chamaram pra ir jogar bola. Falei vamos, até eu chegar na Sé ficarei por pouco tempo mesmo.

Bem, gostei bastante de alguns lutadores. Kaiser e o Megastar são sensacionais na minha opinião. Esgar foi muito bem fazendo seu papel com o Ripper. Zumbi luta demais. Apocalypsis só lutou uma vez e quando saiu, caiu de cabeça na Apron xD. Hades e Hellspawn são muito bons também. Além dos lutadores da BWF que são bem fodas!

___________________________________________________________________________

Uma experiência muito foda. Nunca pensei que ficaria tão alegre em ver a BWF uma vez. Me surpreendi com tantas lutas boas, com o público bem animado. Só estragou um pouco pra mim essa pausa de quase 1 hora e quando voltarem, não terminarem o Show na hora programada. Só sei que ano que vem eu estarei lá novamente, e daqui pra frente tenho certeza que estarei bem mais ligado à Luta Livre Nacional!

É isso galera, espero que tenham gostado desse texto, pois pra mim foi muito especial viver e hoje lembrar de tudo que passou! A parte 2 será sobre o House-Show da WWE aqui no Brasil, logo logo estarei presente no Blog com mais um texto!

Comentem, critiquem, façam sugestões, dicas e digam o que acharam do texto. Aguardo-lhes nos comentários!

And That’s The Bottom Line, Cause Ricke Said So!

Anúncios

3 comentários em “And That’s The Bottom Line #10 – Minhas noites de Wrestling: Parte 1

  1. É uma Pena eu morar no ES, também conhecido com o “Acre do Sudeste”, eu queria ter ido na Virada Cultural e no House Show, mas 4 Passagens, 1 Ingresso do Ibirapuera, Metro + Busu ia ficar caro pra porra, e Tô no 3º do Ensino Médio sem trabalhar, esperando o vestibular, e cê deu uma quase-sorte digamos, eu preferiria ir no Workshop, e SE FUDEU, perdeu o RG xD Ah, Bom Texto Fella

  2. BOOOOA GAROTO!
    Massa, fiquei feliz por você, porque dá pra ver que tu gosta muito disso tudo.
    Invejei você por estar presente nesse evento. Queria muito estar ali também, mas moro no fim do mundo, daí complica.
    Legal pra caramba seu texto e fotos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s